Resenha - O que me faz pular

Resenha O que me faz pular Naoki Higashida
Sinopse: "Naoki Higashida sofre de autismo severo. Com grande dificuldade de se comunicar verbalmente, o jovem aprendeu a se expressar apontando as letras em uma cartela de papelão, e, aos treze anos, realizou um feito extraordinário: escreveu um livro. Delicado, poético e profundamente íntimo, O que me faz pular traz uma nova luz para entendermos a mente autista. O jovem explica o comportamento muitas vezes desconcertante das pessoas com autismo e compartilha conosco suas percepções de tempo, vida, beleza e natureza, apresentadas em um relato e um conto inesquecível."

Naoki é um jovem de 13 anos, extremamente inteligente e sensível, mas incompreendido, refém do seu próprio corpo que o impede de se expressar e de explorar o mundo.

Durante muito anos, viveu completamente isolado no seu mundinho interior. Ninguém entendia por que ele chorava, gritava ou pulava incessantemente, por que tinha obsessões de enfileirar seus brinquedos, falar em voz alta, correr livremente, ou por que não conseguia falar, manter um diálogo e responder as mais simples perguntas.
"Por favor, não nos julgue apenas pela aparência. Não sei por que não conseguimos nos comunicar de forma adequada. Mas não é por não querermos falar — é porque não podemos, e sofremos por causa disso. (...) Você consegue imaginar como seria sua vida se você não pudesse falar?"
Alguns achavam que ele era demente, que não conseguia entender o que os outros diziam ou que não tinha vontade de aprender. Mas todos estavam completamente errados! A vida de uma pessoa com necessidades especiais é muito complicada, tanto quanto a vida dos seus cuidadores e familiares.

Imaginem como deve ser angustiante ter a total consciência do que acontece ao seu redor sem conseguir reagir? Imaginem como deve ser frustrante saber que se está fazendo algo errado e não conseguir parar? Imaginem o quanto deve ser tenebroso saber que vocês são a causa do sofrimento daqueles que mais amam? 

Era assim a vida de Naoki, "Mas, graças a uma professora persistente e ao seu próprio empenho, aprendeu a soletrar palavras usando uma prancha de alfabeto." E, a partir disso, Naoki conquistou o seu lugar no mundo e quebrou paradigmas ao mostrar que a vida de um autista não era do jeito que todos imaginavam.

Pela primeira vez, em O que me faz pular, pudemos entrar na mente de um menino que sofre de um autismo severo e descobrir o que ele pensa, sente e aprender lições preciosas que nós, "pessoas normais", parecemos esquecer.
"Então, minha grande esperança é poder ajudar um pouco explicando do meu jeito o que acontece na mente das pessoas nessa condição. Também espero que, através da leitura deste livro, você possa se tornar um amigo melhor para alguém com autismo."
Convido todos vocês a se entregarem a essa jornada bela e delicada, compartilhando um pouquinho da vida de Naoki e entendendo de uma vez por todas que não podemos julgar uma pessoa sem conhecê-la.

"Não se pode julgar uma pessoa pela aparência. Mas, a partir do momento em que você entende o que acontece dentro do outro, vocês dois podem se tornar bem mais próximos. Do seu ponto de vista, o mundo do autismo deve parecer um lugar extremamente misterioso. Portanto, por favor, pare um pouco e ouça o que tenho a dizer. E faça uma boa viagem através de nosso mundo."

***

Desde que ouvi a Helo falar deste livro na 3ª Turnê Intrínseca tive a certeza de que precisava lê-lo. Me arrependo de não ter lido antes, porque sério, este foi o livro mais incrivelmente tocante que já li na vida, superando tranquilamente Extraordinário e outros tantos que seguem esta mesma linha, principalmente por se tratar de uma história real.

Preciso confessar, nunca me senti tão pequena, tão insignificante e tão ignorante ao ler O que me faz pular. Nós, "pessoas normais" que vivemos reclamando da vida e julgamos ter problemas não temos ideia do que uma pessoa com autismo passa. Em primeiro lugar, nunca imaginei que existisse uma mente tão ativa e capaz "dentro" de pessoas portadoras de doenças tão severas.
"Não conseguir falar significa não compartilhar o que a gente sente e pensa. É como ser um boneco que passa a vida toda em isolamento, sem sonhos ou esperanças."
Quando olhamos para um autista, com um rosto sem expressão e um olhar vidrado e apático, como imaginar que dentro daquela cabecinha habita um ser tão enérgico, cheio de ideias e sede de viver? E isso me doeu tanto! Porque o diferente e o incompreensível tende a nos afastar. E não me refiro somente a autistas, mas também a vítimas de Alzheimer, Síndrome de Down, dentre outras síndromes ou até da própria velhice, em que a pessoa pouco a pouco se enclausura por não ter com quem compartilhar seus momentos restantes de lucidez.
"Você deve estar pensando: “Ele nunca vai aprender?” Sabemos que estamos deixando vocês tristes e chateados, mas sinto dizer que é como se não tivéssemos escolha, e é isso. Mas, por favor, façam o que fizerem, não desistam de nós. Precisamos de sua ajuda."
Mas e se essas pessoas todas que, aparentemente não entendem o que falamos e não conseguem se comunicar, escondessem dentro de si seres humanos tão fantásticos e dignos de atenção, tão sensíveis e aparentemente mais evoluídos do que nós, com percepções tão aguçadas e tão puras, o que fazer? Que tal começar escutando o que Naoki tem a dizer sobre si e sobre a doença? Que tal começar prestando atenção em todas as mensagens que Naoki tem a nos dizer e abrir os olhos para o mundo, enxergando sobre o ponto de vista dele? Tenho certeza de que a vida de vocês nunca mais será a mesma depois de ler O que me faz pular. E tenho ainda mais certeza de que esse livro é essencial para aqueles que lidam com essa doença todos os dias.
"Vocês não percebem. O fato é que vocês não fazem ideia de como nos sentimos mal. As pessoas que cuidam de nós podem até dizer: “Quer saber? Tomar conta desses garotos é um trabalho muito difícil!” Mas ninguém sabe o quanto nós — que estamos sempre causando problemas e somos inúteis em quase tudo que tentamos fazer — nos sentimos culpados e infelizes."
Não desistam de quem tem autismo. Eu sei que a vida de vocês, cuidadores e familiares deve ser muito difícil, mas a deles é muito pior. Não desistam de amar, de ensinar, de ter paciência e, principalmente, de aprender, porque eles têm muito o que ensinar.
"Compaixão de verdade significa não pisar na autoestima alheia. Pelo menos é assim que eu penso."
A Intrínseca arrasou na edição de O que me faz pular, produzindo um livro graficamente impecável, condizente com a beleza do texto. Para mim, o livro divide-se em três partes, a começar pela introdução, feita por David Mitchell, pai de uma criança autista. Só ali já estremeci e comecei a chorar e fiquei me perguntando o que viria depois. Uma das coisas que me fez adiar a leitura foi saber que a história era escrita com base em perguntas e respostas. Achei que isso seria chato e cansativo de ler, mas não, ao contrário, me fez comer o livro e o li todinho em cerca de meia hora. As perguntas são interessantes, dignas de um leigo que não entende nada do universo autista, algo bom para nós, pessoas comuns, e as respostas de Naoki são tão sinceras e espirituosas.
"Autistas não têm liberdade. O motivo é que somos um tipo diferente de seres humanos, nascidos com sentidos primitivos. Nós estamos fora do fluxo natural do tempo. Não conseguimos nos expressar e lutamos com nossos próprios corpos a vida inteira. Se ao menos pudéssemos voltar para aquele passado distante e líquido, então conseguiríamos viver de forma tão livre e feliz quanto o restante de vocês!"
De vez em quando ele tentava se aprofundar e ilustrar algo que sentia ou pensava nos contando uma história de sua autoria, pequenos contos que aqueceram o meu coração, principalmente o do final que não tenho nem palavras para comentar. Só para deixar claro, O que me faz pular não é um livro triste! De maneira nenhuma. Naoki é um menino engraçado, cheio de vida, que aprendeu a se amar do jeitinho que é. Mas não pude deixar de me emocionar e de me questionar sobre tudo o que ele falou.

Gente, O que me faz pular é leitura OBRIGATÓRIA, é sério. Este é um livro que precisa ser lido por todos. Nós, "pessoas normais", precisamos expandir nossos horizontes e entender de uma vez por todas que o mundo não gira em torno da gente, que existem muitas cores além do preto e do branco e que o preconceito só nos limita. Por favor, leiam! Com certeza se todos pensassem como Naoki, o mundo seria um lugar melhor de se viver <3

O que me faz pular - Naoki Higashida
Editora Intrínseca
190 páginas
Comprar: Saraiva
***
Essa postagem está concorrendo ao TOP COMENTARISTA DE MAIO.

Clique AQUI e saiba como participar.

22 comentários

  1. Oinnnnnnnn, eu também ouvi sobre esse livro na Turnê e fiquei apaixonada. Acho tão incrível como a gente simplesmente ignora alguém com esse tipo de dificuldade. Acho que esse livro trás uma lição muito importante, a de mostrar que por mais que um autista tenha dificuldades, ali dentro tem uma pessoa que quer se comunicar só não sabe como.
    Já tinha certeza que era lindo, mas agora com a sua resenha com certeza vou ler. Deve ser um livro extraordinário. ;)

    Bjks
    Sam

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, e como disse, isso me abriu os olhos para todos que acabamos ignorando ou nos afastando pela dificuldade de comunicação. Foi uma bela lição que aprendi. Beijos

      Excluir
  2. Mi, que livro!
    Vou ser sincera, me apaixonei pela capa e pela prespectiva de conhecer a história de alguem. Mas eu esperava algo proximo a Extraordinário e não estou muito no clima para esse tipo de leitura. Acabei deixando esse livro de lado. Recentemente a Glaucia me disse que gostaria muito de lê-lo, dai eu vejo essa sua resenha apaixonante! <3
    Já inclui o livro na minha lista e assim nao irei esquece-lo mais =)

    Beeijos, Dreeh.
    Blog Mais que Livros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, que pena Dreeh, realmente ele não é ficção, mas consegue ser tão lindo quanto Extraordinário, além de ser facílimo e rápido de ler. Tomara que você dê uma chance a ele. Beijos

      Excluir
  3. Nossa Mi, tanta empolgação me deixou curiosa.
    Ouvi falar pouco deste livro, mas já fiquei interessada agora.
    Leria ele com certeza, ainda mais depois dessa resenha.


    Blog: livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Ooi Mi tudo bom???
    Deve ser muito linda a historia *-* Adorei sua resenha quero ler e descobrir mais sobre a vida de Naoki *-* Uma criança autista não e fácil de ser compreendida, são crianças muito amáveis, porem as vezes dão algumas crises e virão mais agressivas. Gostaria de ler esse livro sim afinal é obrigatório neh...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, realmente, e acredito, pelo que li no livro, que essas crises sejam reflexos dos problemas de comunicação que eles enfrentam. Não é fácil para ninguém :/ Nem para os autistas, muito menos para os que estão ao redor. Mas é lindo de ver que existe vida e pessoas inteligentes dentro dos corpos prejudicados pela formação genética, de algum modo. Beijos

      Excluir
  5. Já tinha visto esse livro, mas nunca tinha parado pra me informar um pouco mais sobre ele. Por tudo o que você falou aqui, essa é, realmente, uma leitura obrigatória. Esses livros nos servem como "tapas na cara", para compreendermos que não somos os únicos que tem problemas. Enfim, fiquei bem curioso pra ler.

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim Dom, são completos tapas na cara e por isso precisam tanto ser lidos por todos. Espero que goste. Beijos

      Excluir
  6. Se você disse que supera Extraordinário, então vou acreditar, vou colocar na lista de desejados e torcer pra poder ler logo porque sou simplesmente apaixonada por esse tipo de leitura.
    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim Babi, na minha opinião supera Extraordinário por se tratar de uma história real e por nos ensinar tantas lições preciosas, mas importante ressaltar que as narrativas e o enfoque são completamente diferentes. Ainda assim, torço para que você também goste. Beijos

      Excluir
  7. Oi, Mi
    Adorei sua resenha.. Quero ler esse livto, pois gostaria de aprender um pouco mais sobre o autismo.. A capa desse livro é muito bonita.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom, fico feliz em saber. Espero que você goste. Beijos

      Excluir
  8. Mi ainda bem que eu tenho o ebook porque fiquei louca pra ler! A capa é linda mas a princípio meu interesse pelo livro era mínimo. Isso mudou de novo, óbvio por causa da resenha. Eu nem tenho muito o que comentar mas sei que é complicada a vida de pessoas que possuem algum tipo de distúrbio como esse. Não conheço nenhum autista mas a Alba do psycobooks tem um filho com esse problema e acho lindo demais a forma como ela fala do filho nos vídeos, os livros que ela lê à respeito da doença, e às vezes escutamos o rapaz nos vídeos. A gente não quer ter pena, mas que dá pena, isso dá! Trabalha comigo um homem que é mudo e surdo, é tão difícil isso, não queria estar na pele dele, mas eu gosto de me comunicar com ele, é uma experiência diferente de tudo que já vivi, na maioria das vezes eu só concordo e chacoalho a cabeça mas agora estou conseguindo criar diálogos, o que me deixa muito feliz! Portanto esse livro será uma das minha prioridades em leitura! Amei a resenha amiga!

    Grande beijo, Greice.
    diariodaalvorada.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai amiga, tão bom saber que despertei a sua vontade. Esse livro é tão rápido de ser lido e nos toca profundamente, principalmente o apelo que o Naoki faz de não desistirmos de pessoas autistas. Beijocas e depois me conte o que achou.

      Excluir
  9. Ainda não tinha ouvido falar sobre esse livro.
    Pra começar, a capa é muito linda.
    E que diferente, um livro escrito por um autista, só daí já dá pra gente perceber o quão inteligentes eles são.
    Fiquei bem intrigada com o livro, muitas vezes, ao vermos um autista, não imaginamos que eles são tão inteligentes e capazes de pensar não é?
    o livro é bem fininho, realmente deve ser uma leitura bem rapida.

    Bjok

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim Raquel, é bizarro e fico triste em admitir, mas não imaginava que apesar de enfrentarem limitações físicas, suas mentes eram tão férteis e ativas quanto as "nossas". Beijos

      Excluir
  10. Acho esses livros com temáticas a pessoas com alguma necessidade especial totalmente importantes, pois fazem as pessoas terem um pouco do ponto de vista do portador da doença e diminui assim o preconceito que essas pessoas possam sofrer.
    Quero muito poder ler esse livro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exato, além deles ampliarem as nossas perspectivas nos lembram que os nossos problemas são muito mais fáceis de serem resolvidos comparados aos problemas de pessoas como o Naoki, por exemplo. Beijos

      Excluir
  11. Ah história parecer ser muito linda. Acho legal nós, "pessoas normais", podermos entender um pouco o mundo dos autistas. Isso quebra muitos preconceitos e nos ensina a respeitar mais os outros. Com certeza entrou na minha lista de próximos livros a ler.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom Re, fico feliz em saber. Depois me conte o que achou. Beijos

      Excluir