Fuxicando sobre Romance de Época - Desafio de Maio: Resenha - Noiva da Traição

Fuxicando sobre romance de época
Oi gente, vim prestar contas sobre o Desafio Fuxicando sobre Romance de Época de Maio. Por maio ser considerado o mês das noivas, o desafio consistia em ler um livro que abordasse a temática “casamento”.

Portanto, decidi ler Noiva da Traição, de Blythe Gifford. Já fazia tempo que tinha vontade de ler esse livro, primeiro, porque me viciei em romances de época e, segundo, porque Noiva da Traição conta a história de Solay, irmã de Jane, a protagonista de Lições de Sedução, um livro que amei demais.

Apesar de serem histórias independentes, digamos que ler Lições de Sedução antes tirou a graça de Noiva da Traição, já que eu já sabia tudo o que ia acontecer "depois". Mas não tive alternativa, tendo em vista que só soube da existência de Noiva da Traição depois de ler Lições de Sedução. Mas se alguém tiver interesse nesses livros, aconselho a lerem primeiro Noiva da Traição para depois partirem para a leitura de Lições de Sedução.

Resenha Noiva da Traição Blythe Gifford
Sinopse: "Ela foi prometida a um homem, mas terá de traí-lo. Os olhos de Solay encontraram os de um homem destituído de sentimentos. Ainda assim, ele teve o poder de fazê-la esquecer do mundo por breves instantes. Um erro, pois não havia tempo a perder com emoções quando tanta coisa dependia de seu prestígio na corte. No entanto, lorde Justin Lamont não podia ignorar a presença escandalosa da filha ilegítima do falecido rei. De cabeça erguida, ela caminhava como se a corte a adorasse. Ignorando a dor na alma dela, Justin cada vez mais se tornava arredio. Até que ponto ele seria capaz de se resguardar contra o charme fascinante de Solay?"

Noiva da Traição conta a história de lady Solay, uma jovem com um passado negro, apontada constantemente como a filha bastarda do rei Edward com a meretriz Alys Piers

Logo após a morte do rei, seu pai, Alys foi expulsa da Corte e teve todos os seus bens tomados, tendo que fugir com as suas filhas pequenas, sobrevivendo mal e porcamente. A vida de luxo, belos vestidos e muitas joias havia ficado para trás, para sempre.

Tudo o que Solay mais queria era preservar a família, ver sua irmã, Jane, crescer com saúde e dar condições adequadas de vida para a mãe. Ostentando uma coragem ímpar, partiu para a Corte a fim de convencer o rei Richard a lhe dar um subsídio mensal para a sua subsistência.

Mas chegando lá, encontrou em seu caminho lord Justin, um homem da lei, forte e impiedoso, que faria de tudo o que estivesse ao seu alcance para desmascarar as mentiras de Solay e impedi-la de arrancar um sequer centavo dos cofres públicos.

Porém, por ironia do destino, o rei, obedecendo aos seus caprichos escusos, determinou que Solay e Justin deveriam se casar. Mas Justin, na tentativa de se livrar do matrimônio indesejado, impôs uma condição que sabia que Solay não conseguiria cumprir: Solay deveria convencê-lo de que o amava até a Páscoa.

Como poderiam duas pessoas que se odiavam tolerar a companhia uma da outra? Como descobrir, em meio a tantas mentiras, intrigas e traições, os verdadeiros sentimentos inexplorados nos corações de Justin e Solay? Será que Solay voltaria para casa com condições de sustentar a família, ou seus desejos lhe cobrariam um alto preço?

Querem saber o que vai acontecer? Então leiam!

***

Comecei a ler Noiva da Traição logo depois de terminar O Visconde que me amava, de Julia Quinn, na empolgação que estava pelos romances de época. Talvez essa escolha não tenha sido a mais acertada, pois saí de uma história doce, leve, delicada e bem escrita para um panorama completamente diferente.

Me recuso a acreditar que Lições de Sedução e Noiva da Traição tenham sido escritas pela mesma autora. Apesar de ambos serem narrados em terceira pessoa, enquanto Lições de Sedução possui uma abordagem interessante, personagens ricos e complexos e tiradas de humor irônicas, do jeito que gosto, Noiva da Traição é um livro fraco, cansativo, repetitivo, com uma protagonista completamente irritante, superficial e sem força.

A história não engrenou e ficou interessante apenas nas cenas mais picantes, infelizmente algo que não é capaz de sustentar uma trama por si só. Os joguinhos de sedução criados pelos dois personagens e seus arranca rabos estilo gato e rato não me convenceram.

Volto a dizer, talvez meu julgamento esteja viciado uma vez que eu já sabia tudo o que ia acontecer com o casal "no futuro", por ter lido antes Lições de Sedução, fato que acabou estragando todo fator surpresa. Ainda assim, minha opinião no que se refere à construção e desenvolvimento da história, personagens e diálogos permanece a mesma.

Estava pronta para dar dois corações ao livro, até chegar ao final e me deparar com a nota da autora, explicando que Noiva da Traição foi baseada numa história real, sobre o caso do rei Edward III com a meretriz Alice Perrers. Muito do que foi contado no livro a respeito das batalhas, traições e intrigas aconteceu de verdade e isso é algo que aprecio muito. Acho legal quando os autores fazem uma releitura de histórias verídicas e imaginam o que pode ter acontecido com determinadas pessoas e, nesse ponto, tiro o chapéu para Blythe, pois não creio que todos tenham imaginação suficiente para tanto. Por causa disso, Noiva da Traição poderia ser na verdade considerado um romance histórico e não um romance de época, de acordo com as diferenças que tracei neste post Romance de Época X Romance Histórico.

Antes de terminar, gostaria de fazer uma observação curiosa. Noiva da Traição se passa entre os anos de 1386 e 1387, no período medieval, enquanto que O Visconde que me amava se passa no de 1814, numa época muito mais pudica e cheia de convenções a se seguir, principalmente pela mulher. Acredito que, quem está acostumada com romances de época no estilo dos escritos pela Julia Quinn irá estranhar bastante os romances medievais, já que os costumes apresentados neles são muito diferentes.

Já imaginaram casamentos arranjados a bel prazer do rei, sem amor ou afinidades, em que os maridos e as esposas têm amantes a céu aberto, em que os casais fazem amor em campos abertos ou em corredores do castelo, em que os casamentos podem ser desfeitos com autorização do Papa e onde amantes se casam, em que mulheres se oferecem aos homens sem nenhum pudor e pessoas que nem se conhecem se beijam em festas a olhos nus por brincadeiras do Bufão? Bom, essas são apenas algumas diferenças que me chamaram atenção entre esses dois períodos. Nada que tenha me agredido, apenas me causaram certo estranhamento, principalmente pelo fato de eu ter lido um livro após o outro.

De qualquer modo, Noiva da Traição pode não ser um grande livro, mas cumpre o seu papel de entretenimento e nos ensina um pouco mais sobre uma época que há tanto foi esquecida. Vocês podem comprar os livros Noiva da Traição e Lições de Sedução nas bancas de jornal, no site da Editora Harlequin ou em ebook.

Noiva da Traição - Blythe Gifford
Editora Harlequin
286 páginas
Comprar: Saraiva / Amazon


***
Essa postagem está concorrendo ao TOP COMENTARISTA DE MAIO.

Clique AQUI e saiba como participar.

32 comentários

  1. Oi, Mi
    Adoro romances de época e de banca. Pena que este não agradou muito. quando não gostamos de um protagonista é horrível. Gosto de livros que são do período medieval.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade Monica, é complicado quando não conseguimos nos identificar com os personagens. Eu sou doida pelo período medieval, então amo ler tudo sobre ele. Beijos

      Excluir
  2. A bendita da expectativa sempre atrapalha. Quando lemos algo e adoramos, esperamos que ao ler outro livro do mesmo autor seja igual e lá vem a tal da expectativa para estragar tudo. Mas se é baseado numa história real está explicado. Eu estou no clima de romance de época também. Acabei de ler A rosa do inverno que amei.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai Sil, verdade, mas sacanagem viu, a autora fazer um livro tão bom e este não ser.. kkkk Beijos

      Excluir
  3. Comecei a gostar (mais ou menos) de romances de época, ainda não são a minha escolha de livros preferidos :P Gostei bastante si for ler vou ler na ordem para não mi decepcionar com a leitura e saber tudo o que acontece :P

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso Mi, se for ler, leia na ordem, talvez ajude. Beijos

      Excluir
  4. É uma pena que esse livro não tenha te agradado tanto assim. Mas acho que tudo contribuiu para isso: Ter lido a "continuação" antes, ter lido logo após o da Julia Quinn, as cenas forçadas, e por aí vai.
    Mas só fazendo uma observação nada a ver, quando você comentou em relação aos costumes das mulheres se oferecendo e os beijos entre desconhecidos nas festas, me lembrei logo do carnaval das ladeiras de Olinda. kkkkkkkkk

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim Dom, realmente os acontecimentos prejudicaram a leitura.. hehe Nossa, que interessante a sua associação viu.. pelo visto alguns costumes não mudaram.. kkk Beijos

      Excluir
  5. Poxa Mirelle, é tão triste quando a gente começa a ler um livro cheio de expectativa e vai se frustrando com a escrita né?
    A capa de Noiva da traição é linda. E a sinopse bem interessante, pena que tem essa decepção no meio do caminho. Mas pelo menos a nota no final te fez olhar o livro de forma diferente né?

    Bjok

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade Raquel. Pois é, foi como eu comentei, dou muito valor para romances históricos baseados em fatos reais. Nesses casos consigo relevar um pouco.. hehe Beijos

      Excluir
  6. Como eu super me enrolei esse mês com provas e coisas do tipo, acabei não pegando o livro que tinha proposto na listinha, mas já tinha lido O Visconde que me amava pelo meio do mês e resolvi usar ele, eu simplesmente entrei e ainda estou numa vibe Julia Quinn tão forte, que enquanto não terminar de ler os benditos Bridgerton que já lançaram (acredito que só falta um), não vou conseguir ler nenhum outro! D: Enfim... Hahahahaha, uma pena que você não tenha curtido muito a sua protagonista, também detesto quando isso acontece comigo, ou arrasto na leitura ou ignoro tudo sobre ela e me foco nos secundários xD mas realmente, o fato de ser uma releitura sobre um momento histórico é interessante, também acho fantástico quem consegue fazer isso! :D

    http://relativismoescrito.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ale, super te entendo, estou viciada nos livro da Julia também. Ela é uma diva. Só sinto te desapontar informando que a série Bridgerton é composta por 9 livros.. kkk então ainda falta um bocado para lermos tudo.. kkk Beijocas

      Excluir
  7. Ai, Mi, realmente, não acho que conseguiria gostar do livro... Realmente não me interesso muito por romances de época. Li A Cidade dos Segredos apenas por saber que muitas pessoas tinham gostado. Além disso, eu estava mais curiosa quanto ao mistério que nele existe...
    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Babi, descobri que este gênero está longe de ser seu favorito. Eu era igualzinha.. e depois percebi que talvez baste ler o livro "certo". Comecei pelos da Julia Quinn e não teve erro.. hehe Beijos

      Excluir
  8. Mi,
    Ufa! voltei depois de um tempão enrolada com trabalho, desafio e filho.
    Bom, meu gosto literário é bem diferente, eu não li nenhum romance de época e o problema é a época. Passado não me atrai, gosto mais de livros futuristas, ficção científica ou romances atuais mesmo.
    Os livros em continuação trazem esse problema mesmo, serem reveladores demais e dificil ler fora de ordem, não é mesmo?!
    Acredito que se você tivesse lido na ordem teria gostado mais!

    Beijão
    Chrys Audi
    Blog Todas as coisas do meu mundo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi lindona, seja bem-vinda de volta :D
      Pois é, também acredito que se tivesse lido na ordem eu teria gostado mais, o problema é que nem sabia que tinha uma "ordem". Sacanagem eu não ter encontrado essa informação em local algum :( Beijos

      Excluir
  9. " Noiva da Traição é um livro fraco, cansativo, repetitivo, com uma protagonista completamente irritante, superficial e sem força." Vixee maria comovocê conseguiu ler isso até o fim???
    Acho que vc é como eu que detesta abandonar livros pela metade, né?
    Aff muito chato isso de criar expectativa e se frustrar, desejo uma leitura melhor na próxima.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não consigo abandonarrrrr.. por vários motivos, primeiro, sou muito curiosa, e não admito pensar que não vou descobrir o que vai acontecer nas páginas que não lerei. Segundo, sempre fico na esperança das coisas melhorarem. Terceiro, detesto abandonar livros. Até hoje só fiz isso 1 vez na vida.. kkk porque o livro era ruim demais.. daí não teve jeito.. fora isso vou até o fim, nem que seja em modo de leitura dinâmica mesmo.. kkk Beijos

      Excluir
  10. Começar um livro com altas expectativas muitas vezes estraga a leitura, mas é inevitável né!?
    Eu só me aventurei com um romance de época e amei <3
    Ainda nao me rendi aos de banca, mas quem sabe né rsrs

    Beeijinho. Dreeh
    Blog Mais que Livros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Dreeh, os de banca foram um desafio à parte para mim. Apesar deste não ter sido um grande livro, não desisti dos de banca, não. Beijos

      Excluir
  11. Começo lendo a resenha toda empolgada, gostando da sinopse e pronta pra procurar o livro para ler, daí chego na opinião e não era nada do que esperava :/ Ainda não consegui pegar um romance histórico ou de época para ler mas a minha curiosidade está imensa para com os livros da Julia Quinn. Uma pena Noiva da Traição não ter sido tão bom quanto Lições de Sedução, mas interessante o fato de ser baseado em fatos reais, e vou confessar que acho que irei estranhar bastante ao ler algo que se passa lá pelos anos 1300, os costumes parecem bem diferentes mas esse foi o fator que mais me deixou interessada.

    Beijos, Greice.
    diariodaalvorada.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sério que tu ainda não leu? Tu precisa ler! Acho que tu ia gostar muito, e comece mesmo pelos da Julia Quinn para ir se familiarizando. É bizarro ler algo que aconteceu há tanto tempo sabe?! Eu gosto porque me faz repensar e estudar o comportamento humano e ver o quanto ele evoluiu ou estagnou no tempo. Beijos

      Excluir
  12. Oi Mi..
    Adoro Romances históricos da Editora Harlequin. Ultimamente tenho lido muito pouco deles, mas adoro.
    Fiquei curiosa, esta história parece ser mesmo boa.
    Que pena que voce não gostou tanto assim.

    Blog: livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Leti, espero que você goste, quem sabe lendo na ordem não ajuda? Beijos

      Excluir
  13. Bom, eu amo um romance de época e gostei demais de "O Visconde que me amava" da Julia Quinn. Mas ainda insisto que você devia dar uma chance para Judith Mcnaught. Gente, achei os livros dela ainda melhores do que os da Julia. Amei todos que li até agora.Não conheço a obra da Blythe (é assim que se escreve?) e não fiquei muito curiosa, mas também curti a ideia dela ter se inspirado em episódios reais. Gosto quando o escritor tem essas sacadas. :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai amiga, sim, não esqueci dos livros dessa autora.. kkk só não tá sobrando muito $$ para comprá-los.. kkkk Eu amei Lições de Sedução, da Blythe, e ainda não entendo como podem ter sido escritos pela mesma autora.. bizarro. Beijos

      Excluir
  14. Oi Mi, estou adorando esta coluna.♥
    Primeiramente ma pena não ter agradado tanto ao livro, mas tenho certeza que isso não vai te desanimar ... Bom eu sou muito apaixonada por romances de Banca ( nem sabia desse título a eles sabia só de livros de banca), sempre li na adolescência (rsrsrs) porque tem muitos que falam de um amor incondicional, era isso que eu amava na leitura, depois mudei um pouco e comecei a ler outros livros, estou acompanhando tem alguns meses pela Carol e já estou achando que também já estou entrando nesse desafio e retornar com eles romances ♥. Parbéns estou adorando e entrando nos desafios tbm e entrando com eles no meu blog pessoal. bjs Aninha

    http://cafecomana.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi amiga, fico feliz que esteja gostando. Beijos e boas leituras.

      Excluir
  15. Pela sinopse me parecia uma livro que eu gostaria de ler, mas sua resenha me desanimou um pouco.
    No entando, confesso não ser a maior fâ de romances de época, então provavelmente eu tbm ia acabar não gostando.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Re, infelizmente tive a mesma impressão que você. Me animei para me decepcionar. Mas como disse, alguns fatores não ajudaram muito. Então aconselho você a tirar as suas próprias conclusões. Beijos

      Excluir
  16. Oi Mi, tudo bem?

    Eu queria poder vir todo dia no seu blog, seus posts estão cada vez mais incríveis *.* Mas, como falta tempo, vim conferir a resenha do desafio.

    Que pena que esse mês nossas expectativas não foram supridas né? Ainda assim, achei bacana isso da autora relatar que a trama é baseada em fatos reais, eu adoro esse período da história inglesa, e de certa forma, mesmo com os altos e baixos do livro, esse detalhe se tornou um atrativo. E isso que você falou das décadas, quando comparado com os livros da Julia Quinn, interfere bastante mesmo, até porque as convenções sociais são totalmente diferentes né?

    Beijos,

    Pah - Livros & Fuxicos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi amiga, obrigada pelo carinho. Pois é, concordo com você, no final das contas o livro se tornou atrativo em razão desse detalhe histórico.. e sim, é muito estranho ler dois romances de época de períodos e convenções tão distintas um atrás do outro. Não devia ter feito isso.. kkk Beijos

      Excluir