Semana Silo - Top 10 Filmes Distópicos - Dia 6

E aí pessoal, para o post de hoje da Semana Especial Silo resolvi trazer um Top 10 de Filmes Distópicos. Para quem não sabe, Silo será adaptado para o cinema pela Cetury Fox e Ridley Scott. Espero que seja fiel ao livro e consiga reproduzir toda a magnitude da história. 

Mas muitos me perguntam: O que é distopia?

"Distopia ou antiutopia é o pensamento, a filosofia ou o processo discursivo baseado numa ficção cujo valor representa a antítese da utopia ou promove a vivência em uma "utopia negativa". As distopias são geralmente caracterizadas pelo totalitarismo, autoritarismo, por opressivo controle da sociedade. Nelas, "caem as cortinas", e a sociedade mostra-se corruptível; as normas criadas para o bem comum mostram-se flexíveis. A tecnologia é usada como ferramenta de controle, seja do Estado, seja de instituições ou mesmo de corporações. Distopias são frequentemente criadas como avisos ou como sátiras, mostrando as atuais convenções sociais e limites extrapolados ao máximo. Nesse aspecto, diferem fundamentalmente do conceito de utopia, pois as utopias são sistemas sociais idealizados e não têm raízes na nossa sociedade atual, figurando em outra época ou tempo ou após uma grande descontinuidade histórica. Uma distopia está intimamente conectada à sociedade atual. Um número considerável de histórias de ficção científica que ocorrem num futuro próximo do tipo das descritas como "cyberpunk", usam padrões distópicos de uma companhia de alta tecnologia dominando um mundo em que os governos nacionais se tornaram fracos." Fonte.

Quando li esta definição pela primeira vez tive a certeza de que não iria gostar deste gênero. Relutei até ler algum livro nesta temática até perceber que já havia visto muitos filmes distópico e amado. Que coisa, não?

 E o que Silo tem a ver com todos os filmes abaixo? Todos são ambientados num universo ditatorial, geralmente pós-apocalíptico e futurista. Apesar disto não ser uma regra, a maioria das histórias ultimamente têm abordado este ambiente. Num primeiro momento podem dar a impressão da existência de uma sociedade pacífica e perfeita, até as máscaras caírem e vir à tona toda a podridão que há por trás de um Governo altamente manipulador e sem medidas para alcançar os seus objetivos. O povo geralmente fica dividido entre continuar aceitando as regras e limitações impostas, tendo em vista que é tudo o que eles conhecem e a maneira que estão habituados a viver, e se rebelar, lutando pela liberdade, seja de expressão, de ideias, de sentimentos, ou física.

Desde que li Delírio, da Lauren Oliver, lançado no Brasil pela Editora Intrínseca, simplesmente fiquei apaixonada por este universo distópico. A distopia não é só uma fonte de diversão e entretenimento, carregada de tramas cheias de ação e aventuras. A distopia nos proporciona uma série de reflexões acerca da nossa própria sociedade, das nossas escolhas e atitudes como ser humano e das possibilidades futuras advindas delas. O interessante da distopia é que ela é atemporal, mantendo-se sempre atual em decorrência do seu viés crítico. Vocês já se imaginaram vivendo numa sociedade distópica?

Então leiam Silo e assistam alguns dos filmes abaixo e tentem responder a essa pergunta:
1. MINORITY REPORT: 

"Washington, 2054. O assassinato foi banido, pois há a divisão pré-crime, um setor da polícia onde futuro é visualizado através de paranormais, os precogs, e o culpado é punido antes do crime ter sido cometido. Quando os três precogs, que só trabalham juntos e flutuam conectados em um tanque de fluido nutriente, têm uma visão, o nome da vítima aparece escrito em uma pequena esfera e em outra esfera está o nome do culpado. Também surgem imagens do crime e a hora exata em que acontecerá. Estas informações são fornecidas para um elite de policiais, que tentam descobrir onde será o assassinato, mas há um dilema: se alguém é preso antes de cometer o crime pode esta pessoa ser acusada de assassinato, pois o que motivou sua prisão nunca aconteceu? O líder da equipe de policiais é John Anderton (Tom Cruise), que perdeu o filho há seis anos atrás em virtude de um criminoso que o seqüestrou. O desaparecimento da criança o fez se viciar em drogas e ainda continua dependente, mas isto não o impede de ser o policial mais atuante na divisão pré-crime. Porém algo muda totalmente sua vida quando vê, através dos precogs, que matará um desconhecido em menos de trinta e seis horas. A confiança que Anderton tinha no sistema rapidamente se perde e John segue uma pequena pista, que pode ser a chave da sua inocência: um estranho caso que não foi solucionado e há um "relatório menor", uma documentação de um dos raros eventos no qual o que um precog viu é diferente dos outros. Mas apurar isto não é uma tarefa fácil, pois a divisão pré-crime já descobriu que John Anderton cometerá um assassinato e todos os policiais que trabalhavam com ele tentam agora capturá-lo."

Minority Report foi um filme que me surpreendeu à beça. Não só pelos efeitos especiais e pela tecnologia de ponta, mas principalmente pela premissa da história que mostra uma sociedade teoricamente protegida de crimes e de criminosos sendo presos antes de cometê-los. A ideia é fantástica, o problema é que o sistema era falho e assemelha-se hoje em dia à pena de morte, tão polêmica e amplamente discutida. 
2. MATRIX:

"Em um futuro próximo, Thomas Anderson (Keanu Reeves), um jovem programador de computador que mora em um cubículo escuro, é atormentado por estranhos pesadelos nos quais encontra-se conectado por cabos e contra sua vontade, em um imenso sistema de computadores do futuro. Em todas essas ocasiões, acorda gritando no exato momento em que os eletrodos estão para penetrar em seu cérebro. À medida que o sonho se repete, Anderson começa a ter dúvidas sobre a realidade. Por meio do encontro com os misteriosos Morpheus (Laurence Fishburne) e Trinity (Carrie-Anne Moss), Thomas descobre que é, assim como outras pessoas, vítima do Matrix, um sistema inteligente e artificial que manipula a mente das pessoas, criando a ilusão de um mundo real enquanto usa os cérebros e corpos dos indivíduos para produzir energia. Morpheus, entretanto, está convencido de que Thomas é Neo, o aguardado messias capaz de enfrentar o Matrix e conduzir as pessoas de volta à realidade e à liberdade."

Quem aqui não se lembra das pílulas vermelha e azul? Qual vocês tomariam? Matrix foi um filme que revolucionou o seu tempo. A ideia de vivermos num mundo que de fato não existe é surreal.. e muitas vezes eu viajo pensando se isso não existe de verdade. Matrix também fala da alienação e nos convida a enxergar a realidade com outros olhos. 
3. O SHOW DE TRUMAN:

"Truman Burbank (Jim Carrey) é um pacato vendedor de seguros que leva um vida simples com sua esposa Meryl Burbank (Laura Linney). Porém algumas coisas ao seu redor fazem com que ele passe a estranhar sua cidade, seus supostos amigos e até sua mulher. Após conhecer a misteriosa Lauren (Natascha McElhone), ele fica intrigado e acaba descobrindo que toda sua vida foi monitorada por câmeras e transmitida em rede nacional."

Este é sem sombra de dúvidas um dos meus filmes favoritos. Apesar de eu tê-lo assistido quando ainda muito pequena, já fiquei arrepiada com a possibilidade de vivermos uma vida forjada e manipulada pela sociedade. O pior era pensar que a vida de Truman era ditada por pessoas que nem o conheciam, que não tinham a mínima ligação com ele e que o conheciam desde o nascimento. Pode-se dizer que O Show de Truman de alguma maneira previu o sucesso que os reality shows fariam na nossa década.
4. ROBOCOP:

"Em um futuro não muito distante, no ano de 2028, drones não tripulados e robôs são usados para garantir a segurança mundo afora, mas o combate ao crime nos Estados Unidos não pode ser realizado por eles e a empresa OmniCorp, criadora das máquinas, quer reverter esse cenário. Uma das razões para a proibição seria uma lei apoiada pela maioria dos americanos. Querendo conquistar a população, o dono da companhia Raymond Sellars (Michael Keaton) decide criar um robô que tenha consciência humana e a oportunidade aparece quando o policial Alex Murphy (Joel Kinnaman) sofre um atentado, deixando-o entre a vida e a morte."

Robocop, na versão 2014, é o remake do filme de mesmo nome lançado na década de 80, porém, com um roteiro muito mais interessante e efeitos especiais de cair o queixo. O filme foi para mim uma grata surpresa, criticando veementemente os desejos de dominação dos Estados Unidos em face dos demais povos e da sua necessidade de utilização de armamento bélico. Em Robocop, a solução para os problemas da criminalidade se resume a colocar robôs nas ruas para a contenção dos crimes, mas veremos que isto pode se tornar um grande problema ao invés de melhorar a situação. 
5. A HOSPEDEIRA:

"A fome e a violência foram erradicadas da Terra, bem como os problemas climáticos do planeta foram resolvidos. Estes feitos foram conquistados graças aos seres alienígenas conhecidos como almas, que ocupam corpos humanos como se fossem parasitas. Pregando uma sociedade baseada na paz, as almas perseguem os poucos humanos que ainda não foram dominados. Um deles é Melanie Stryder (Saoirse Ronan), que se sacrifica para que o irmão caçula, Jamie (Chandler Canterbury), possa escapar. Melanie passa a ser dominada por uma alma chamada Peregrina, que tem por missão vasculhar suas memórias para encontrar rastros de outros humanos. Entretanto, a consciência de Melanie ainda está viva dentro do corpo, o que faz com que Peregrina tenha que lidar com ela constantemente. Com o tempo, a alma fica cada vez mais fascinada com a vida e os sentimentos que Melanie tinha e passa a protegê-la de Buscadora (Diane Kruger), que deseja capturar seus amigos humanos o quanto antes."

A Hospedeira, escrito pela Stephenie Meyer e lançado no Brasil pela Editora Intrínseca é um dos meus livros favoritos. Em 2013 foi adaptado para o cinema de maneira louvável, levando em consideração tantas adaptações pavorosas que vemos por aí. A história, apesar de tratar da invasão alienígena e da dominação da raça humana, um tema até então muito comum, soube ser muito inovadora, criativa e ousada, explorando inúmeros novos detalhes a respeito dos segredos envolvendo a vida extraterrestre. Uma das coisas que achei interessante foi o fato dos ETs invadirem a Terra e subjugarem os humanos achando estarem salvando-os de uma vida nefasta, menosprezando a nossa própria capacidade de resolver nossos problemas e de nos tornarmos pessoas melhores.
6. CÍRCULO DE FOGO:

"Quando várias criaturas monstruosas, conhecidas como Kaiju, começam a emergir do mar, tem início uma batalha entre estes seres e os humanos. Para combatê-los, a humanidade desenvolve uma série de robôs gigantescos, os Jaegers, cada um controlado por duas pessoas através de uma conexão neural. Entretanto, mesmo os Jaegers se mostram insuficientes para derrotar os Kaiju. Diante deste cenário, a última esperança é um velho robô, obsoleto, que passa a ser comandado por um antigo piloto (Charlie Hunnam) e uma treinadora (Rinko Kikuchi)."

Círculo de Fogo é um filme que tinha tudo para ser um baita clichê, mas soube desenvolver a trama aliando-a aos efeitos espetaculares excepcionais. Ele não se resume a batalhas épicas, trata de relações familiares, envolvimento amoroso e da bravura do ser humano em defender a sua terra de ataques alienígenas.
7. JOGOS VORAZES:

"Num futuro distante, boa parte da população é controlada por um regime totalitário, que relembra esse domínio realizando um evento anual - e mortal - entre os 12 distritos sob sua tutela. Para salvar sua irmã caçula, a jovem Katniss Everdeen (Jennifer Lawrence) se oferece como voluntária para representar seu distrito na competição e acaba contando , com a companhia de Peeta Melark (Josh Hutcherson), desafiando não só o sistema dominante, mas também a força dos outros oponentes."  

A franquia de Jogos Vorazes chegou para abalar o mundo do cinema e da literatura, conquistando inúmeros fãs ao redor do globo. A proposta da história é ao mesmo tempo fantástica e cruel demais: colocar pessoas dentro de uma arena para combaterem entre si até a morte. É interessante pensar no que o homem pode fazer na tentativa de manter o poder e a "paz". E sabem o que acho ainda mais assustador, pensar que essa realidade não é assim tão absurda e tão distante do que vivemos hoje.
8. DIVERGENTE:

"Na futurística Chicago, quando a adolescente Beatrice (Shailene Woodley) completa 16 anos ela tem que escolher entre as diferentes facções que a cidade está dividida. Elas são cinco, e cada uma representa um valor diferente, como honestidade, generosidade, coragem e outros. Beatrice surpreende a todos e até a si mesma quando decide pela facção dos destemidos, escolhendo uma diferente da família, e tendo que abandonar o lar. Ao entrar para a Dauntless, ela torna-se Tris e vai enfrentar uma jornada para afastar seus medos e descobrir quem é de verdade. Além disso, Tris conhece Four, um rapaz mais experiente na facção que ela, e que consegue intrigá-la e encantá-la ao mesmo tempo."

Este é sem sombra de dúvidas um dos filmes mais esperados do ano, e será lançado no Brasil dia 17/04/2014 pela Paris Filmes. Já assisti ao filme e em breve trarei a resenha para vocês. Por enquanto vocês podem acompanhar os posts Especial Divergente para saberem maiores detalhes sobre essa trilogia. Posso adiantar que gostei do filme, principalmente da sua premissa de apresentar uma sociedade pacífica e controlada por um sistema de facções em que cada um se adequa em uma delas de acordo com a sua personalidade e habilidades acentuadas. Aqui, a natureza humana é o nosso maior inimigo e deve ser controlada a qualquer custo em prol da nossa própria sobrevivência.
9. ELYSIUM:

"Em 2159, o mundo é dividido entre dois grupos: o primeiro, riquíssimo, mora na estação espacial Elysium, enquanto o segundo, pobre, vive na Terra, repleta de pessoas e em grande decadência. Por um lado, a secretária do governo Rhodes (Jodie Foster) faz de tudo para preservar o estilo de vida luxuoso de Elysium, por outro, um pobre cidadão da Terra (Matt Damon) tenta um plano ousado para trazer de volta a igualdade entre as pessoas."

Elysium ressuscita a luta de classes: pobres x ricos, mas de maneira superficial. Achei que o filme poderia ter desenvolvido muito melhor o enredo, mas a preocupação maior foi focar-se nos efeitos especiais e nas cenas de luta e viagens espaciais, algo que para mim não é suficiente para torná-lo um bom filme. Sinceramente, na minha opinião, achei a participação do Wagner Moura totalmente ridícula. Sua atuação foi forçada e caricata, aparentando ser um ET em meio aos atores Hollywoodianos, e olha que eu adoro o Wagner Moura. Em contrapartida, Alice Braga deu um show de interpretação.
10. DREDD:

"O juiz Dredd (Karl Urban) vive na megalópole Mega City Um, um oásis de civilização na Terra Maldita, cerca de 120 anos no futuro. Bastante temido pelos infratores da lei, ele acumula os cargos de polícia, de juiz e ainda tem o poder de executar suas sentenças. Um dia, ele é encarregado de treinar uma candidata a juíza com poderes mediúnicos (Olivia Thirlby), e neste primeiro dia de teste os dois enfrentam a maior e mais perigosa traficante de drogas do local (Lena Headey)."

De todos os filmes elencados, este foi o que menos gostei. Com um roteiro pobre, ambientado num mesmo cenário, extrapolou nas cenas de ação e violência sem se preocupar em contar uma história. As cenas que mais gostei foram as psicodélicas, que mostram a gangue de Ma-Ma se drogando. Perfeitos para serem vistas em 3D.

E agora quero saber de vocês, quais outros filmes vocês acrescentariam nessa lista?
***
Essa postagem está concorrendo ao TOP COMENTARISTA DE MARÇO.

Clique AQUI e saiba como participar.

37 comentários

  1. Eu adoro o gênero distopia. Eu colocaria 'Eu Robô' com o Will Smith, bom, du acho que segue o gênero. Também gosto muito de 'Jogos Vorazes' ^^ e sem ser filme, até agora to querendo ler a saga 'Feios' </3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa pedida Rodrigo, tinha esquecido de Eu Robô. Beijos

      Excluir
  2. Oi Mi :)
    Ainda não assisti nenhum desses filmes, acredita?! Alguns eu não conhecia, mas gostei do enredo deles. Outros como, Jogos vorazes, Divergente e A hospedeira, só não vou assistir o filme porque quero ler os livros primeiro. :3
    Vou ver se eu assisto os outros. Valeu pelas dicas =)
    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jura Bruna? Nenhunzinho? Nem quando pequena? Nossa.. hehe Olha, eu já aprendi que costumo me decepcionar menos se vejo o filme antes.. então fica a seu critério escolher como prefere fazer. Beijos e boa diversão.

      Excluir
  3. Olá, Mi.
    Adorei a seleção de filmes. Gosto do gênero distopia tanto para a leitura como para filmes. Minority Report e Matrix são filmes excelentes. A Hospedeira é um dos meus livros preferidos, o filme também é muito bom. Jogos Vorazes e Divergente só conheço os livros, que são ótimos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Monica, também adoro livros e filmes distópicos. A distopia é um universo tão rico né, cheia de possibilidades. Beijos

      Excluir
  4. O Show de Truman está na minha lista de filmes que preciso assistir. Não sabia dessa Semana Silo, então vou dar uma olhadinha nos outros posts para saber mais =)
    Matrix, Jogos Vorazes, Minority Report são excelentes, só não gostei muito do filme A Hospedeira.
    Abraço!
    Meu Filme virou Livro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ju, veja O Show de Truman que super vale a pena e confira os outros posts dessa semana. Você vai gostar. Beijos

      Excluir
  5. Adoro o gênero distopia, eu assisti todos esses filmes, meu preferidos são Matrix, Minority Report e Elysium.

    ResponderExcluir
  6. Mi,
    Definitivamente eu amo o gênero! Seja em filmes ou em livros eu acho um gênero realista, embora quase sempre futurista! Eu explico!
    As distopias partem de quem somos hoje e no que poderemos nos tornar... Sociedades desiguais, corruptíveis e muitas vezes com um futuro trágico, como no caso de Jogos Vorazes, The 100, Silo e muitos outros!
    A distopia é um gênero que nos permite refletir sobre onde vamos parar se continuarmos assim ou até mesmo refletindo a vontade de muitos governantes em implantar um totalitarismo, uma ditadura e porque não um reinado novamente?!
    O ser humano está egoísta e a distopia consegue nos mostrar onde isso pode nos levar...
    Ahhhh tantas divagações, incrível!!!

    Desses filmes aí, vi Minority, JV, A hospedeira, Robocop e Matrix, o qual confesso que nunca entendi lhufas!!! rsrs
    Os demais vou procurar ver e Divergente, ver antes de ler com certeza!!!

    Beijos
    Chrys Audi
    Blog Todas as coisas do meu mundo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente Chrys, por isso que me tornei fã desse gênero. Adoro tudo que é história reflexiva e crítica que nos faça pensar. Matrix é mesmo uma piração.. kkk Beijos

      Excluir
  7. Acredita que até hoje não assisti Matrix? Até entrei na Netflix para ver se eles estavam disponíveis, mas apenas um está, e não é o primeiro, então precisarei baixar pra poder ver.
    Já assisti ao Show de Truman e o acho incrível. Além disso, sou apaixonada por essas distopias mais modernas, como Jogos Vorazes e Divergente.
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jura? Assista uma hora que você puder. Vais ver que é totalmente pirado, mas sustenta uma teoria plausível de manipulação da sociedade. Beijos

      Excluir
  8. Jogos Vorazes e Show de Truman são dois dos meus filmes favoritos (e os unicos que assisti dessa lista).
    Amo muuuuito!! Tenho muita vontade de assistir Matrix, mas acho que por preguiça ainda não fiz isso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkk então veja quando puder, vale a pena. Pelo menos o primeiro. Os outros não curti tanto assim. Beijos

      Excluir
  9. Jogos vorazes nem precisa ser comentado não é?! A melhor distopia ever. Mas ela não causou em mim o que Divergente causou, e por isso estou muito ansiosa para assistir ao filme!
    Matrix é um classico. Apesar de não ter entendido nada dela na época, gosto bastante dele!

    Vi um filme recente com Tom Cruise que era uma distopia e que gostei bastante. Não vou lembrar o nome do filme, mas ele era futurista também =)

    Beeijinho. Dreeh
    Blog Mais que Livros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pode ser Oblivium? Se for, não vi. Beijos

      Excluir
  10. Lembro de relances do filme 'O Show de Truman' mas não sei ao certo se assisti ao filme inteiro. Mas 'Matriz', 'A Hospedeira' e 'Jogos Vorazes' com certeza! Uns melhores que outros mas todos muito bons. Li seu comentário de 'Elysium' e me lembrei de 'Oblivion' que assisti e gostei, é o filme que a Dreeh citou num comentário acima. ;)
    Vou pegar 'Divergente' para ler essa semana na esperança de terminar a leitura e assistir ao filme no cinema em seguida! ;)

    ResponderExcluir
  11. Com certeza Distopia além de divertir é uma forma de colocar os leitores a pensarem e refletirem sobre a sociedade na qual vivemos e o governo que nos controla. Esse é um dos principais fatores que me leva a gostar tanto do gênero. Mas não sabia que haviam tantos filmes com essa temática já lançados, e isso desde 1980 e pouco com Robocop. Amo esse filme e não vejo a hora de ver essa novo filme com efeitos muito mais caprichados. Engraçado que o gênero explodiu com Jogos Vorazes pois antes era muito difícil ouvir falar sobre. Mas vamos combinar que o filme merece o destaque e sucesso que tem. A Hospedeira concordo que foi uma ótima adaptação e quero uma continuação! Hoje sai resenha de Divergente né?! \o/ Estou curiosa. E não sei como mas nunca assisti Matrix, pois é, o filme fez tanto sucesso e eu nunca vi :/

    Beijos, Greice.
    diariodaalvorada.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa amiga, não consigo gostar do Robocop da década de 80.. e fiquei com medo de assistir ao remake, mas amei demais. Digamos que o gênero, apesar de antigo, virou modinha com estes livros infanto juvenis que bombaram pelo mundo né, acordando o povo para esse estilo e fazendo os autores escreverem mais sobre o assunto.. hehe Matrix é fantástico. Veja quando puder. Beijos

      Excluir
  12. Jogos Vorazes eu já me imaginei vivendo, mas só assistindo às lutas, não queria estar na pele deles não hahaha.
    Distopias são incríveis e fascinantes.
    Quando li a explicação aí em cima, fiquei assim: WHAT?
    Porque a explicação em si parece chata e complexa, mas quando lemos/assistimos, a coisa muda totalmente.
    M&N | Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso Top Comentarista

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também não queria estar na pele deles não.. kkk tive a mesma impressão que você quando li a explicação pela primeira vez.. jurei que não fosse gostar.. kkk Convenhamos, essa explicação da Wikipédia não ajuda muito e deve afastar muitos leitores em potencial.. kkk Beijos

      Excluir
  13. Distopias é um dos gêneros que mais gosto de ler. Tornou-se um dos meus queridinhos. Desse Top 10 que você colocou, assisti apenas "Jogos Vorazes". Confesso que tem alguns que não imaginava que era uma distopia, como "Matrix" e o novo "Robocop", por exemplo. Nesse momento, não me lembro de algum outro filme que tenha essa pegada distópica, mas posso dizer que esse seu Top já foi um belo começo pra dar uma conferida. Tentarei ver todos.

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Dom, é difícil classificar um filme ou livro. Digamos que a distopia virou moda com Jogos Vorazes e por isso todos esperam que uma história distópica siga esses padrões. Mas a distopia vai muito mais além e nem precisa ter guerras, disputas, brigas, muito menos se passar num futuro pós-apocalíptico. Matrix é distópico por apresentar a alienação da sociedade enquanto Robocop fala sobre a opressão de um povo que vive à mercê das grandes empresas que lideram o mundo juntamente com o Governo. Além disso, ambos falam da nossa dependência tecnológica e do quanto isso pode ser pernicioso para o nosso futuro. Beijos

      Excluir
  14. De todos só assisti A Hospedeira, que amo de paixão, e Jogos Vorazes, que é perfeito. O povo já sai me xingando quando digo que nunca assisti Matrix... também nunca vi Titanic e E.T... isso faz de mim um alienígena? kkkkkkk'
    Morro de vontade de ver Robocop, mesmo o pessoal dizendo que é fraco.

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, para que que tu nunca viu ET e Titanic! Internem o Leo! kkkkkkkk Sim, isso faz de você um alienígena.. kkk Nossa, Robocop fraco? Quem foi que te disse isso? Processa. Robocop é fodástico! kkkk Beijos

      Excluir
  15. Eu amo distopias! E minha primeira também foi Delírio.
    Li A hospdeira e achei perfeito, preciso ver o filme.
    Jogos Vorazes eu li e assisti e sou suspeita, amo de paixão.
    Já vi Matrix (só por causa do Keanu, confesso) E o Robocop velho (rs), mas não são meus favoritos.
    E necessito ler Silo, urgente!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você precisa ver o Robocop novo Ana, muito bom. Silo dispensa comentários, é leitura obrigatória.. hehe Beijos

      Excluir
  16. Genero muito bom, vem ganhando grande espaço entre nós leitoras fanáticas, rsrs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade Victória, a distopia acabou virando moda. Beijos

      Excluir
  17. Adorei o post. Gosto muito desse tipo de filme. Alguns não assisti ainda, mas vou assisti com certeza.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então a lista fica de dica Gi. Espero que curta. Beijos

      Excluir
  18. DISTOPIAS SÃO INCRÍVEIS! DIVERGENTE ENTÃO É SENSACIONAL! GOSTO DE TODAS"!!

    ResponderExcluir
  19. Se fosse série e não filme acrescentaria a série The 100 . Baseada no livro do mesmo nome. Muito boa.

    ResponderExcluir