Resenha - Dias Perfeitos

Resenha Dias Perfeitos Raphael Montes
Sinopse: "Téo é um solitário estudante de medicina que divide seu tempo entre cuidar da mãe paraplégica e examinar cadáveres nas aulas de anatomia. Durante uma festa, ele conhece Clarice, uma jovem de espírito livre que sonha tornar-se roteirista de cinema. Ela está escrevendo um road movie sobre três amigas que viajam em busca de novas experiências. Obcecado por Clarice, Téo quer dissecar a rebeldia daquela menina. Começa, então, uma aproximação doentia que o leva a tomar uma atitude extrema. Passando por cenários oníricos, que incluem um chalé em Teresópolis e uma praia deserta em Ilha Grande, o casal estabelece uma rotina insólita, repleta de tortura psicológica e sordidez. O efeito é perturbador. Téo fala com calma, planeja os atos com frieza e justifica suas atitudes com uma lógica impecável. A capacidade do autor de explorar uma psique doentia é impressionante – e o mergulho psicológico não impede que o livro siga um ritmo eletrizante, repleto de surpresas, digno dos melhores thrillers da atualidade. Dias perfeitos é uma história de amor, sequestro e obsessão. Capaz de manter os personagens em tensão permanente e pródigo em diálogos afiados, Raphael Montes reafirma sua vocação para o suspense e se consolida como um grande talento da nova literatura nacional."

Téo era um jovem estudante de medicina. Vivia com a sua mãe, Patrícia, em um pequeno apartamento no Rio de Janeiro. Levavam uma vida modesta e a única recordação que guardavam dos tempos de glória e luxo que viveram há anos era o Vectra do seu pai. Patrícia ficou paraplégica no acidente de carro que sofreu com o falecido marido e, desde então, as únicas alegrias de sua vida eram Téo, Sansão, o cachorro da família, e os passeios com a amiga Marli.

Téo se esforçava ao máximo para viver uma vida normal, ser um bom filho, um bom estudante e de vez em quando se envolver com algumas mulheres como "mandava o protocolo". Mas Téo não era normal. Ele era desprovido de sentimentos. Não conseguia sentir empatia, solidariedade, muito menos amor. Sua única amiga era Gertrudes, um cadáver da aula de anatomia.

Até a chegada de Clarice, uma jovem espevitada, de longos cabelos compridos escuros, totalmente porra louca que transformou a vida de Téo num caos. Da noite para o dia, Téo teve a certeza de que a amava. Clarice despertava em Téo sentimentos que ele nunca imaginou vivenciar.

Téo precisava ficar com Clarice, carecia ser amado por ela, mas a menina não queria dar chance alguma a ele. Téo, não admitindo o fracasso, tomou uma atitude drástica: golpeou Clarice na cabeça e a sequestrou, transportando-a viva, porém sedada, dentro de uma mala numa viagem morbidamente romântica, passando por diversas cidades das redondezas.

Téo tinha certeza de que, depois daquela viagem, Clarice perceberia que ele era o homem da sua vida, mas em meio a algemas, tapas e beijos, assassinatos e loucas fugas, ambos perceberão o quão difícil é conquistar dias perfeitos.

Querem saber se Téo e Clarice viverão felizes para sempre? Então leiam!

***

Solicitei o livro do Raphael sem ter a mínima noção do que esperar. No email que recebi da Companhia das Letras, me chamou a atenção o fato de Dias Perfeitos ser um livro nacional, escrito por um jovem que já está despontando no mercado editorial. Ademais, a capa é linda e a sinopse instigante. Como sou fã do gênero, quis conferir a história.

Narrado em terceira pessoa, achei que a trama custou a embalar. De início, Raphael faz um apanhado geral nos apresentando os personagens, detalhando suas características e personalidades, o que por um lado foi bom, já que conseguimos compreender, desde logo, que estamos lidando com um psicopata. Mas quando a história engrena, minha nossa, saiam de baixo! O que foi aquilo? De repente, a trama se tornou tão elétrica, tão envolvente, tão cheia de tensão, principalmente psicológica, que cheguei a ter dificuldades de respirar, e de dormir, porque não queria largar o livro.

Mas já alerto, Dias Perfeitos é um livro para quem tem estômago forte. Téo é estudante de medicina, extremamente racional e inteligente e, por isso, somos contemplados com algumas cenas de dissecação extremamente reais dentre outras coisas. A escrita de Raphael é tão incrível que, apesar de Téo parecer um monstro na visão de alguns, não me pareceu tão mal assim. Eu cheguei a criar empatia por ele e torcer para que ele conseguisse conquistar Clarice e desse tudo certo ao final. E isso me assustou muito! Nossa Raphael, o que você fez comigo?

Na metade do livro, quando tive certeza de como a história ia acabar, o autor deu uma reviravolta tão grande que me tirou o tapete. Raphael não cansou de me surpreender e eu achei genial a inversão de papéis criada para os personagens. Só confesso que não fiquei muito satisfeita com o final. Apesar da narrativa ter começado com um ritmo mais lento, achei o desfecho acelerado demais. Tão rápido que as informações ficaram atropeladas e foi difícil de digerir o destino dos personagens. Sinceramente, queria que tivesse acabado de maneira diferente, mas isso é questão de opinião pessoal e não tira o mérito da obra que foi excelente.

Dias Perfeitos fala sobre uma história de amor obsessiva e doentia, capaz de enlouquecer até o ser humano mais "são". Gostaram da resenha? Então fiquem de olho nas novidades que é provável que role um sorteio dele por aqui, futuramente.

Aproveitem para conferirem o booktrailer do livro, protagonizado pelo próprio autor, a entrevista de Raphael no Jô, e a cobertura completa do lançamento de Dias Perfeitos no Rio.

Dias Perfeitos - Raphael Montes
Editora Companhia das Letras
274 páginas
Comprar: Saraiva
BOOKTRAILER


LANÇAMENTO DE DIAS PERFEITOS

10 comentários

  1. Oi Mirelle, tudo bom? Eu assisti a entrevista do Raphael no Programa do Jô e desde então tenho muita vontade de ler seu livro. Com sua resenha fiquei com mais vontade ainda, até mesmo porque você falou em reviravoltas, coisa que eu adoro. Um abraço e eu estou seguindo seu blog viu!! Dê uma passadinha no meu!!! Eva Malta, Blog Falando de Livros.

    blogfalandodelivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Eva, fui seduzida pela entrevista também.. hehe o Raphael é uma figura. Espero que goste do livro. Beijos

      Excluir
  2. Que sinopse e que resenha! Muito bons!
    Não é um estilo que me atraia, mas fiquei curiosa.
    Beijos Mi.

    ResponderExcluir
  3. Adorei! Primeira resenha que leio desse livro e já quero ele. Pelo o que você falou tem tudo o que gosto em uma boa história. É tão bom quando temos certeza do final e o autor puxa o nosso tapete hehehhe.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sil, sou como você, adoro ser surpreendida pelos autores. Acho tão chato, num livro nesse estilo, quando descobrimos o que vai acontecer desde cedo e a história segue o curso sem nenhuma novidade :P Este realmente não é o caso de Dias Perfeitos. Beijos

      Excluir
  4. Oi Mi, tudo bem?

    Gente, adorei a proposta do livro! A sinopse já me deixou nervosa, hahaha. Parece ser um bom thriller, mesmo que não tenhas dado cinco corações. Quatro já tá bom tbm :D

    Bjs,

    Raquel
    www.pipocamusical.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Raquel, que bom que ficou instigada. Então, na minha classificação, quatro corações é uma excelente nota. Só não dei cinco porque tenho reservado a classificação máxima para aqueles livrinhos que realmente arrebatam meu coração e se tornam meus favoritos forever.. hehe Beijos

      Excluir
  5. Oi, Mi
    Adorei sua resenha. Quero muito ler esse livro, pois deve ser muito bom. É bom saber que a literatura nacional está evoluindo muito.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade Monica, morro de orgulho disso :) Beijos

      Excluir