Fuxicando sobre Romance de Época - Desafio de Março: Resenha - Austenlândia

Oi gente, vim prestar contas sobre o Desafio Fuxicando sobre Romance de Época de Março. Neste mês o objetivo era ler um romance de época com uma capa bem bonita.  Então, trago para vocês a resenha de Austenlândia, de Shannon Hale, um dos lançamentos recentes da Editora Record.

Sinopse: "Jane Hayes tem 33 anos e mora na Nova York atual. Bonita, inteligente e com um bom emprego, ela guarda um um segredo constrangedor: é verdadeiramente obcecada pelo Sr. Darcy. Embora sonhe com ele, os homens reais com os quais se depara são muito diferentes dos que habitam sua fantasia. Justamente por isso, ela decide deixar de lado sua vida amorosa e aceitar seu destino: noites solitárias aconchegada no sofá assistindo a Colin Firth em seu DVD. Porém, esses não são os planos que sua rica e velha tia-avó Carolyn, tem para a moça. A única a descobrir o segredo de Jane deixa, em seu testamento, férias pagas para a sobrinha-neta na Austenlândia. A ideia é que Jane tenha uma legítima experiência como uma dama no início do século XX e consiga se livrar de uma vez por todas de sua obsessão. Contudo, para isso, ela terá que abrir mão do celular, da internet e até do uso de sutiãs em troca de tardes de leitura, espartilhos e... a companhia de belos cavalheiros."

Quem aqui é apaixonada por Jane Austen, Orgulho e Preconceito e, principalmente, pelo Sr. Darcy? Sei que muitas donzelas continuam suspirando por esse personagem que, posteriormente, foi interpretado por Colin Firth numa versão produzida pela BBC.

Jane Hayes não é assim tão diferente dessas milhares de fãs. Aos 33 anos continua solteira e sonhando acordada com um príncipe que não existe. Sua tia-avó, Carolyn rapidamente percebe a situação e incentiva Jane a fugir do seu conto de fadas e procurar por um homem de carne e osso que seja possível de amar. Mas seus esforços restam infrutíferos.

Infelizmente, pouco tempo depois, Jane recebe a notícia acerca do falecimento de Carolyn, porém, para seu total espanto, descobre fazer parte do testamento da velhinha rica. Será que a tia tinha lhe deixado uma pequena fortuna? Será que finalmente ela poderia se mudar para um apartamento com ar-condicionado?

Mas não, Carolyn lhe deixou uma herança peculiar: um pacote de férias não reembolsável, com direito a passagens de primeira classe e hospedagem durante três semanas no Pembrook Park, em Kent, na Inglaterra.
"Pembrook Park, Kent, Inglaterra. Entre na nossa casa como um convidado e permaneça por três semanas, apreciando a hospitalidade e os costumes do país - uma visita para um chá, uma dança ou duas, um passeio no parque, um encontro inesperado com um certo cavalheiro, tudo culminando com um baile e, talvez, algo mais. Aqui o Príncipe regente ainda governa despreocupadamente. Sem roteiros. Sem finais escritos. Férias que ninguém mais pode oferecer." (Tradução livre).
Nada mal para uma amante de Jane Austen hein? Imaginem só que fantástico seria poder fazer uma imersão de três semanas na Inglaterra, se vestindo de acordo com a época e fingindo viver no ano de 1816? UAU! Eu ia amar.
"É imperativo que esses costumes sejam seguidos à risca. Pelo bem dos nossos convidados, qualquer pessoa que flagrantemente desobedeça essas regras será convidada a ir embora. Imersão completa no período da Regência é a única maneira de realmente experimentar a Inglaterra de Jane Austen."
(Tradução livre).
Jane, por sua vez, ficou meio ressabiada de início, afinal, ela havia decidido (novamente) desistir dos homens completamente, já que nunca teve sorte no amor e seus últimos treze namoros (sim, treze!) foram um fracasso.

Quem sabe a ida à Kent não poderia ser uma despedida à altura? Ela aproveitaria para, pela última vez, mergulhar na sua fantasia de época, e quando voltasse para casa, baniria todos os homens da sua vida, inclusive o Sr. Darcy. Quem sabe ela até jogaria todos os DVDs e livros da Austen fora? Hein?
"Mas que droga", ela sussurrou para si. Em todos os anos em que Jane fantasiou sobre Austenland, ela nunca considerou como, uma vez lá, ela se sentiria tão deslocada." (Tradução livre).
E quem diria que no fim, aquela vida de fantasia proporcionaria a Jane uma boa dose de realidade?

Querem saber o que vai acontecer? Então leiam!

***

Ouvi falar de Austenlândia há uns meses e fiquei seduzida pela sinopse e mortalmente curiosa sobre como seria viver literalmente um romance de época. Minha vontade de lê-lo foi tanta que não esperei pelo lançamento no Brasil e li em inglês mesmo. Pelo visto, realmente me viciei neste gênero literário. Obrigada Pah, de novo.. hehe.

Quando comecei a leitura não sabia muito o que esperar, mas já caí na risada quando vi que o livro começa com uma dedicatória para Colin Firth. De início, fiquei levemente irritada com a postura de Jane na história. Ela é aquela típica mocinha extremamente romântica e iludida na vida, tendo crescido acreditando em contos de fadas e felizes para sempre. Nós sabemos que a realidade é cruel, ainda mais com pessoas desse tipo, então nem preciso dizer o quanto Jane já sofreu de desilusões amorosas, né, porque foram muitas. Coitada.

Assim que surgiu a oportunidade para ela ir para Austenlândia jurei que Jane finalmente mergulharia de cabeça em sua fantasia, vivendo-a em sua plenitude e se curando de toda a fixação que tinha pelo Sr. Darcy e pelos livros de Jane Austen, mas o engraçado é que meio que aconteceu justamente o contrário. Por mais que a Jane tivesse a cabeça nas nuvens no mundo real, bastou ela pisar no mundo de fantasia para acordar e perceber que nada daquilo fazia parte de sua realidade.

Como se acostumar com tantas regras e limitações, conversas fiadas e vazias, costumes sem sentido? Como fingir algo que não se é? Por mais encantadores que os romances de época pareçam ser, a realidade daquela época era difícil, ainda mais para as mulheres. Nesse sentido, compreendo totalmente Jane e acho que o mesmo teria acontecido comigo. Afinal, suspirar por eles no conforto do lar é fácil, mas vivenciá-los.. hum, o furo acaba sendo mais embaixo.

Eu não sou nenhum pouco entendedora de romances de época. Tenho aprendido vagarosamente algumas coisas com amigas, mas pude perceber no texto da autora inúmeras referências a grandes clássicos. Talvez, para quem é apaixonado pelo gênero e já tenha lido muitos livros, essa história faça ainda mais sentido, já que vocês conseguirão conectar todos os fios da meada. Mas não se preocupem, não é pré-requisito ser entendedor do assunto. Eu não sou e me diverti assim mesmo.

Não sei como está a edição brasileira e estou doida para botar as minhas mãos nela, principalmente por causa da capa maravilhosa escolhida pela Record, mas na edição que li a narrativa era em terceira pessoa e se intercalava entre momentos ocorridos no passado e no presente deixando a leitura bem dinâmica. Uma coisa que gostei bastante foi o fato da Shannon ter inserido durante a trama pequenas informações sobre todos os ex-namorados de Jane. Assim, pude ter um vislumbre melhor acerca de todo drama vivido pela personagem.

Outra coisa que adorei foi a mudança de ritmo na história. Eu comecei lendo Austenlândia achando que fosse encontrar um romance água com açúcar bobo, mas me deparei com uma história que fala sobre autodescoberta, amadurecimento e a busca pela nossa verdadeira essência. Como Jane é muito maluquinha, ela nos delicia com ótimas cenas de humor e, além disso, a autora nos propicia pitadas de mistérios na trama. Durante boa parte da narrativa Jane e eu ficamos confusas sem saber o que era real e o que fazia parte da encenação dos atores que trabalhavam em Austenlândia. A situação às vezes ficava tão bizarra que Jane tinha a sensação de estar participando de um reality show.

O final é tãooo lindo. Fiquei tão orgulhosa da virada que Jane deu em sua história e do quanto ela mudou depois da experiência que vivenciou. Será que Jane finalmente encontrou o amor? Isso não posso dizer, mas posso contar que o desfecho foi lindo e muito romântico. Para os amantes de romance de época, Austenlândia é leitura obrigatória.

Procurando na Amazon, descobri que a autora escreveu outro livro nesta mesma temática, chamado Midnight in Austenland: A Novel. Não preciso nem dizer que fiquei doida para ler e espero que ele seja lançado logo no Brasil.

Austenlândia - Shannon Hale
Editora Record
240 páginas
Comprar: Saraiva

FILME AUSTENLAND

Sinopse: "Obcecada com a produção da BBC de "Orgulho e Preconceito", uma mulher viaja para um parque temático Jane Austen em busca de seu perfeito cavalheiro."

Assim que soube que havia um filme baseado no livro, corri para assistir logo depois de lê-lo, animadíssima para ver como os personagens seriam caracterizados e como Austenlândia seria recriada.

Por que eu vi o filme? Por quê???? Eu amei tanto o livro e poderia ter preservado as imagens que criei na minha cabeça ao lê-lo, mas não, tive que maculá-las com essa grande porcaria!

Por que a maioria das adaptações tem que ser tão ruins?! A história do filme foi praticamente toda modificada. Não bastasse eles terem alterado o motivo de Jane ir para Austenlândia, a tornaram ainda mais maluca e obsessiva por Jane Austen e pelo Sr. Darcy do que no livro, a ponto de fazê-la se fantasiar com roupas de época para viajar até a Inglaterra. Ridículo!

Keri Russell interpretou uma Jane sem sal e sem açúcar, em compensação, Jennifer Coolidge está divertidíssima interpretando Miss Elizabeth Charming. Theodore, o jardineiro, que representa um papel importante no livro, foi substituído por um personagem totalmente sem graça, nenhum pouco másculo ou imponente como deveria ser no alto dos seus dois metros de altura, conforme o livro. James Callis está péssimo interpretando Coronel Andrews, dando um ar totalmente pastelão a trama. Mas o troféu de pior interpretação vai para Ricky Whittle que acabou com o personagem do Capitão East. Em determinadas cenas tive até vontade de vomitar. Que horror!

Pelo menos as posturas ostentadas pelos atores durante a filmagem foram condizentes com os personagens do livro, exceto por Jane, que aparenta ser uma criança feliz abrindo seu presente de natal durante boa parte do filme, enquanto que no livro ela passou boa parte da história meio melancólica e bem reflexiva, em meio as suas diversas dúvidas sobre o que fazer ou não da vida e até que ponto deveria se entregar a fantasia proposta por Austenlândia.

A impressão que tive foi que eles tiveram um trabalho enorme para criar um roteiro fraco e sem sentido, juntando aqui e ali algumas partes literais do texto que ficaram estanques e superficiais. Além disso, tornaram um romance contemporâneo/de época em uma comédia forçada e mal feita. Detestei o fato do filme ficar mostrando constantemente que os atores estavam interpretando em Austenlândia e seguidamente saíam de seus polidos papéis de volta à realidade utilizando um linguajar populacha, bem como uma postura informal, algo que não acontece no livro. Na obra sabemos que tudo não se passa de uma grande encenação, mas é tudo tão bem enredado que quase caímos na mentira e começamos a ficar confusos sobre o que é farsa e o que é realidade, algo que o filme falhou em transmitir.

Apesar do Sr. Nobley não ser nada parecido fisicamente com o que eu esperava, ele conseguiu representar bem seu papel, me fazendo ficar caidinha pelo seu jeito mais austero, polido e irritante. Ponto para JJ Feild, um dos poucos atores que me convenceu em sua atuação. Se não fosse por Jane e Sr. Nobley, diria que o filme destruiu o livro por completo.

E o que foi aquele final? Morri chocada! Não só alteraram o desfecho do livro que foi lindíssimo e romântico como o tornaram uma grande de uma palhaçada. Se vocês não pretendem ler o livro nunca e curtem uma comédia pastelona, assistam ao filme de Austenlândia. Caso contrário, passem longe. Este é um filme que infelizmente não recomendo.

Título original: Austenland
Roteiro: Jerusha Hess e Shannon Hale
Produção: Stephenie Meyer
Direção: Jerusha Hess
97 minutos
TRAILER

 
Fizeram suas leituras de março para o desafio? Então deixem o link abaixo para podermos prestigiar as suas resenhas. 

***
Essa postagem está concorrendo ao TOP COMENTARISTA DE MARÇO
 

Clique AQUI e saiba como participar.

34 comentários

  1. O livro parece ser muito bom,
    bem dramático e divertido, mas fiquei curiosa mesmo foi pelo filme,
    morrendo de rir aqui com as cenas do trailer, vou ver se consigo assisti-lo.

    http://soubibliofila.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sério? Quem sabe você goste.. eu não curti porque peguei birra pelo livro, né?! hehe Beijos

      Excluir
  2. Olá, tudo bem?
    Adoro romances de época. Gostei muito da sua resenha. Confesso que o Sr. Darcy é um dos meus personagens masculinos preferidos.
    Fiquei doida para ler.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E eu que ainda não conheço ele, acredita? Que vergonha.. hehe Beijos

      Excluir
  3. Ahh, que chato que o filme não é bom :(( Estou a procura de filmes novos pra assistir, mas como amei a sua resenha do livro e com certeza quero ler, vou passar o filme!

    Beijão
    Sun Rises Here

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é.. o filme é uma bomba.. uma pena. Beijos

      Excluir
  4. Oi, Mi.

    Nunca li nada da Jane Austen (atrasada!), por isso queria ler algum (ou alguns) livros da Jane Austen antes de ler esse livro ou assistir ao filme. Que bom que gostou do livro e mesmo não tendo lido muitos livros do gênero conseguiu apreciar a história. Daqui algum tempo talvez eu o leia também. Que pena que a adaptação te decepcionou. :{ Eu vi um trecho dele esses dias no facebook e achei divertido! Hehe, até compartilhei lá na página do blog. Mas enfim, foi uma cena aleatória que vi.

    Beijos.
    Amanda,
    Lendo & Comentando

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai Amanda, eu também nunca.. kkk Como disse, não senti falta de maiores conhecimentos sobre o assunto, porém, é óbvio que devo ter perdido algumas piadas né?! hehe Beijos

      Excluir
  5. Pelo trailer e pala sinopse o livro/filme devem ser bem engraçados. É sempre bom dar uma risada com um livro né? Eu geralmente gosto desse tipo de livros, espero ler em breve *-*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Rodrigo, o livro é ótimo. Pena eu ter me decepcionado tanto com o filme. Beijos

      Excluir
  6. Aiaiai, agora que fiquei doida pra ler esse livro de vez!
    O filme não me atraiu em nada mesmo! kkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aii, então leia Ana, ele é fofo demais! Beijos

      Excluir
  7. Oi, quero muuito ler. Nossa, parece realmente legal esse livro. Adoro Jane Austen, então essa ideia de ir viver as histórias dela parece fascinante.
    Lendo sobre sua observação do filme, eu ficarei com o livro.
    Beijinhos
    http://marlicarmenescritora.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Marli, então você vai adorar embarcar no universo de Austenlândia. Beijos e boa leitura.

      Excluir
  8. Oi Mi :)

    Esse livro me chamou a atenção pela capa, mas confesso que não sabia bem do que se tratava. Sua resenha esclareceu tudo e mesmo nunca tendo lido Orgulho e Preconceito darei uma chance para a obra. Que pena que você se decepcionou tanto com o filme. Beijos!

    http://euvivolendo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz em saber Gabriel. Espero que você goste tanto quanto eu. Beijos

      Excluir
  9. Que postagem enorme hehehhe. A sua é a primeira resenha desse livro que eu leio. Achei bem interessante a história e acho que vou querer ler. Bom saber sobre o filme assim passo longe. Odeio quando amo um livro e estragam ele no filme.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, acho que daqui a pouco ficarei famosa pelo tamanho dos meus posts.. kkkkkk Espero que goste da história tanto quanto eu. Beijos

      Excluir
  10. Pelo que eu percebi, o livro é realmente melhor do que esse filme. Adorei o enredo <33 Sua resenha está ótima!
    Beijo

    ResponderExcluir
  11. Não conhecia. Mas é o tipo de leitura que adoro!!! Vou procurá-lo já!

    www.corujicesnomundo.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero que goste tanto quanto eu. Beijos

      Excluir
  12. Achei essa capa maravilhosa, e cometaneod aquele pecado de julgar pela capa, eu com certeza leria esse livro. Mas não sou muito fã de romances de época, apesar que não sei, esse parece ser um mix de moderno e época.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Re, exatamente, esta é um mix na medida certa :) Beijos

      Excluir
  13. Eu lembro de ter visto o trailer desse filme e me interessado, mas nunca assisti, não sei o motivo. Quando soube do lançamento do livro, fiquei doido. Nathy pediu para o Grupo Record para resenhar e fiquei morrendo de inveja (branca, é claro). Preciso comprar o meu logo.

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai Leo, compre porque ele é lindo demais viu! Virou meu xodozinho. Pena que não sou parceira do Grupo Record, porque queria muito tê-lo na minha estante. Beijos

      Excluir
  14. Desde o dia em que coloquei meus olhos nessa capa eu morri por ela!
    Depois de uma resenha animada como essa, não tinha como não firma-lo mais na minha lista de desejados. Mas antes tenho uma missão: Ler Orgulho e Preconceito! Acho que sou a único no mundo que não conhece o Sr Darcy. A Pah já havia me convencido a ler algum livro da autora, só só me indicou qual haha

    É tão triste quando as adaptações conseguem estragar os livros! Principalmente os finais..
    Quando vi que tinha um filme já fui correndo procurar. mas depois do que você disse sobre ele desisti. Odeio comédias idiotas!

    Beeijos, Dreeh.
    Blog Mais que Livros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nãooo, você não é a única! kkkkkkkk Eu também não conheço. Bem-vinda ao time. Tudo que sei do Sr Darcy aprende em outros livros que li ou ouvi falar por causa das amigas.. Ih amiga, nem perde tempo com esse filme besta.. eu adoro comédias românticas.. mas é bem como você disse, comédias idiotas não rolam. Beijos

      Excluir
  15. Já tinha visto esse livro, mas não sabia do que se tratava. Aliás, sabia que era algo relacionado à Jane Austen, mas não imaginava como, ou o que era. E não é que achei interessante?! Me parece ser bem divertido mesmo. Gosto também dessas tramas em que a protagonista amadurece.
    Já em relação ao filme, não o assisti, mas deve beirar a bizarrice mesmo.

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que você ficou interessado Dom :) Beijos

      Excluir
  16. Devo ser uma e.t por não ter gostado da narrativa da Jane em Orgulho e preconceito, não conheço uma pessoa sequer que tenha lido e não tenha amado o livro, exceto eu, que nem consegui terminar. Fiquei interessada na leitura de Austenlândia mas vou esperar um pouco ainda para ler, romances de época não são meus favoritos mas vou dar uma chance, igual você fez :D
    Agora o filme, achei hilário esse trailer e na verdade nada condizente com as características emocionais do livro, como você disse a respeito das personagens. Não parecem as mesmas pessoas, mesmo eu tendo visto só o trailer. Mas confesso que achei um pouco de graça nele, deve ser porque é bizarro kkk

    Beijos, Greice.
    diariodaalvorada.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah amiga, mas esse não é exatamente um romance de época. O charme dele é justamente essa mistureba.. é imaginar como seria a gente com a nossa cabeça, hábitos e costumes de hoje embarcar num romance de época da Jane Austen. Já imaginou a confusão? Acho que você ia gostar do livro. Talvez se eu não tivesse lido o livro, também tivesse conseguido me divertir com o filme.. mas depois das atrocidades que fizeram com a história original, sem chance.. kkk Beijos

      Excluir
  17. Fiquei intrigada para ler, Mi. Sério, e para assistir também. Eu não conhecia a história.
    Mas fãs têm dessas coisas mesmo. Largar tudo para isso é uma loucura, mas a obra parece ser bem divertida e romântica.
    M&N | Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso Top Comentarista

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse livro é fofo demais! Espero que goste da história. Beijos

      Excluir