Vamos debater - Livros Jovens Adultos para GLS

Oi gente, alguém aqui sabia que existe um segmento de livros direcionados aos jovens adultos que são gays, lésbicas, e simpatizantes? Confesso que eu não sabia, muito menos que existia uma listagem dos livros mais populares nesse estilo. Vocês podem ver a lista completa de livros AQUI.

Pelo que entendi, os livros jovens adultos para GLS são todos aqueles que contém em seus textos personagens que são gays, lésbicas, bissexuais ou transexuais.

Encabeçando essa lista, como o livro mais popular, está As Vantagens de ser Invisível, de Stephen Chbosky.

"Elogiado pela crítica e adorado pelos leitores, As vantagens de ser invisível – que foi adaptado para os cinemas com Emma Watson, a Hermione de Harry Potter, e Logan Lerman, de Percy Jackson, no elenco – acaba de ganhar nova reimpressão pela Rocco. Livro de estreia do roteirista Stephen Chbosky, o romance, que vendeu mais de 700 mil exemplares nos EUA desde o lançamento, está de volta ao topo do ranking do The New York Times impulsionado pela adaptação para a telona. Ao mesmo tempo engraçado e atordoante, As vantagens de ser invisível reúne as cartas de Charlie, um adolescente de quem pouco se sabe - a não ser pelo que ele conta nessas correspondências -, que vive entre a apatia e o entusiasmo, tateando territórios inexplorados, encurralado entre o desejo de viver a própria vida e ao mesmo tempo fugir dela. As dificuldades do ambiente escolar, muitas vezes ameaçador, as descobertas dos primeiros encontros amorosos, os dramas familiares, as festas alucinantes e a eterna vontade de se sentir “infinito” ao lado dos amigos são temas que enchem de alegria e angústia a cabeça do protagonista em fase de amadurecimento. Stephen Chbosky capta com emoção esse vaivém dos sentidos e dos sentimentos e constrói uma narrativa vigorosa costurada pelas cartas de Charlie endereçadas a um amigo que não se sabe se real ou imaginário. Íntimas, hilariantes, às vezes devastadoras, as cartas mostram um jovem em confronto com a sua própria história presente e futura, ora como um personagem invisível à espreita por trás das cortinas, ora como o protagonista que tem que assumir seu papel no palco da vida. Um jovem que não se sabe quem é ou onde mora. Mas que poderia ser qualquer um, em qualquer lugar do mundo."

Compre aqui: Saraiva 

Em terceiro lugar da lista está o livro Will e Will, Um nome, Um Destino, de John Green e David Levithan.

"Tiny é um jogador de futebol americano gay, que resolve fazer um musical completamente constrangedor em homenagem ao seu melhor amigo (hétero) Will Grayson. A escola toda acha que Will é o namorado de Tiny, mas a verdade é que Tiny se apaixona perdidamente a cada 5 minutos por um menino diferente. Até que Will Grayson conhece outro Will Grayson. Esse sim, é gay, e claro, fica completamente apaixonado por Tiny. Agora, o musical será ainda mais constrangedor do que nunca, proclamando o amor universal que Tiny sente por todo mundo chamado Will Grayson. O livro é escrito a quatro mãos, John Green e David Levithan, dois grandes autores best-sellers que já figuraram na lista dos mais vendidos do New York Times. O livro estreou em 3º lugar na lista do NYT, o primeiro livro com personagens gays a aparecer na lista. “Engraçado, cru e original.” The New York Times Book Review."

Compre aqui: Saraiva

Curiosamente, encontrei nessa lista, em vigésimo nono lugar o livro Cidade de Vidro, da Cassandra Clare, terceiro volume da série Os Instrumentos Mortais.

"Clary está à procura de uma poção para salvar a vida de sua mãe. Para isso, ela deve viajar até a Cidade de Vidro, lar ancestral dos Caçadores de Sombras, criando um portal sozinha. Só mais uma prova de que seus poderes estão mais sofisticados a cada dia. Para Clary, o perigo que isso representa é tão ou menos assustador quanto o fato de que Jace não a quer por perto. Mas nem o fora de Jace nem estar quebrando as regras irão afastá-la de seu objetivo: encontrar Ragnor Fell, o feiticeiro que pode ajudá-la a curar a mãe."

Compre aqui: Saraiva

Ainda não tive a oportunidade de ler nenhum dos livros acima citados, mas já ouvi falar super bem deles.

Mas, para a minha surpresa, passei os olhos pela enorme lista quase até o fim e não encontrei mais nenhum outro livro conhecido ou publicado no Brasil.

Estranho isso né?! Pelo menos eu achei, levando em consideração que a homossexualidade tem sido cada vez mais aceita pela população, inclusive pela própria mídia, que transformou o beijo gay da última novela das nove praticamente num espetáculo.

Então, por que não vemos por aqui livros com personagens gays ou direcionados a esse público? Isso não poderia ser considerado preconceito? Se existem livros que contém personagens obesos, anoréxicos, nerds, populares, excluídos e marginalizados, etc, ou seja, todo o tipo de personagem com o qual cada um pode se identificar em algum momento da sua vida, por que não um homossexual?

Vocês se lembram de algum outro livro que contenha algum personagem GLS na sua história? Se sim, postem nos comentários.

E agora, vamos debater?

Vocês acham que as Editoras Brasileiras deveriam investir mais no segmento GLS no Brasil? Vocês acham que a falta de publicação desse tipo de livro pode ser uma forma de preconceito social? Vocês se sentiriam ofendidos a ler algum livro com algum personagem GLS?

Qual a opinião de vocês sobre tudo isso?

Beijos, Mi

*** 
Essa postagem está concorrendo ao TOP COMENTARISTA DE FEVEREIRO.

Clique AQUI e saiba como participar. 

87 comentários

  1. Mirelle, eu não acredito que seja um preconceito não ter muitos livros publicados nesse gênero. Até porque olhando a capa de cada um deles, e lendo um pouco a premissa não da pra dizer que eles contem esse gênero. O Brasil já avançou muito nesse quesito, e não vejo isso como um problema. Talvez as editoras deveriam sim! Dar mais abertura para esse tipo de literatura. Já que acabamos de ver uma novela que quebrou todos os tabus. Mas....no meio da maioria ainda existe a minoria que não aceita. Mas o seu post foi muito construtivo e não tinha parado para observar esse detalhe.
    Bjokass

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Kelly, tirando Will & Will, eu também não saberia dizer que os outros dois livros possuem personagens homossexuais, mas se você olhar a lista que deixei no post, verá muitos livros nesse estilo de forma deflagrada, e nenhum deles veio para o Brasil, apesar de serem populares lá fora. Sim, acredito que aos poucos o povo Brasileiro acorde para esta realidade cada vez mais presente nas nossas vidas e passe a tratar o tema com maior naturalidade. Obrigada pela participação. Beijos

      Excluir
  2. Assim como a Kelly, no comentário acima, não acho que seja preconceito. Eu não gosto dessa coisa de segmentar o estilo do livro. Jovem Adulto, é um livro para jovens adultos, não importando a opção sexual deles. Por que existir um segmento para GLS se não existe um para hetero? Isso sim eu consideraria preconceito, criar um segmento como se ele fosse diferente e não merecesse ser igual aos outros. Não vejo problema em ler um livro que contenha personagens gays, seja o personagem principal ou secundário.
    Enfim, é apenas a minha opinião.

    Beijão
    Sun Rises Here

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Carol, também não acho que o gênero deva ser segmentado, mas não consigo entender por que não vemos muitos livros por aí com personagens GLS. A questão ou não de existir segmento é algo delicado. A ideia não é excluir um em detrimento do outro.. mas vamos pensar por essa ótica: quando lemos um livro com um personagem parecido conosco e nos identificamos, não é legal? Então será que o público GLS não ia gostar de ver mais livros nessa temática por aí? Que bom que você não se ofende em ver livros com personagens gays por aí. Infelizmente, ainda tem muita gente com preconceito. Por isso propus o debate, para discutirmos essa questão e refletirmos sobre as nossas próprias opiniões! Obrigada pela participação :) Beijos

      Excluir
  3. Também não sabia que tinha um segmento para livros desse estilo! Dessa lista, eu só li "As vantagens de ser invisível", e amei. E não, não acho que a falta de publicação de livros desse estilo seja preconceito; não é porque um jovem é gay/lésbica/simpatizante que ele precisa de um segmento literário "exclusivo" pra ele. E sinceramente, se alguém se sente ofendido por um livro ter um personagem gay, essa pessoa precisa rever seus conceitos...

    Bjs Mi ^^

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ju, não, ele não "precisa", mas acho que seria interessante ele ter a oportunidade de encontrar nos livros personagens que passaram pela mesma história de vida. O ideal seria um GLS opinar mesmo, para sabermos se ele ia gostar ou se eu só acho que ele ia gostar.. hehe Beijos e obrigada pela participação.

      Excluir
  4. Eu acho que livros são para todas as pessoas... não entendo porque separar.
    Até acho bacana este segmento de livros direcionados aos gays, mas nunca me passou pela cabeça esta necessidade... Conheço tantos gays leitores e nunca se queixaram... enfim...
    Li Cidade de Vidro... adoro esta série.
    Gostei do post, me fez pensar... rever algumas coisas.
    Parabéns. Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Edna, teoricamente os livros são sim para todas as pessoas, mas devemos lembrar que nem todas as pessoas gostam de ler um determinado gênero. Por ex. tem gente que não curte fantasia, ou romance erótico, ou chick-lit. Os gêneros estão aí para aproximar os livros dos seus leitores em potencial. Também acredito que os GLS não se importem de ler os livros que já temos no mercado, mas penso que seria interessante eles terem a oportunidade de lerem histórias que tratassem de temas com os quais eles se identificassem ainda mais. Tipo, eu já fui obesa, e adoro quando encontro por aí uma personagem que passou pelo mesmo tipo de situação que eu, me sinto mais compreendida sabe. Rola identificação. Meu questionamento é nesse sentido. A minha ideia não é compartimentar gêneros, pelo contrário, é ampliá-los. Beijos e obrigada pela participação.

      Excluir
    2. É que vejo com tanta naturalidade que nunca pensei no assunto...
      Estes livros que você citou, por exemplo; eu não os identifico como sendo para algum público específico.
      Eu ainda estou pensando muito sobre o post.
      Achei super válido, de verdade.
      Só espero que não tenha um a sessão separada na livraria, por exemplo... acho que isso seria fazer distinção ou acepção de pessoas. Entende?

      Excluir
    3. Oi Edna, também não os identifico como sendo para um público específico. Eu apenas os citei porque os retirei da lista do Goodreads. Não foi coisa minha não, nem os li. Como foram os únicos que vi na lista que tinham sido lançados no Brasil, resolvi colocar no post, justamente para incitar o nosso questionamento sobre o que eles simbolizam para cada um de nós. Fico feliz que tenha gostado do post. Beijos

      Excluir
  5. Oi Mi :)

    Eu acho que uma pessoa que pega um livro desses para ler, já tem em mente o que estará aguardando-o e de maneira nenhuma isso é ofensa. Confesso que não me interesso por esse tipo de gênero, mas leio às vezes e leria de novo sem problema nenhum. Beijos!

    http://euvivolendo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Gabriel, legal saber. Obrigada pela participação. Beijos

      Excluir
  6. Olá, eu concordo com a Edna do comentário acima, não vejo motivo para separar os livros, pois assim como existem cantores homossexuais que mesmo os héteros ouvem, também podem ler livros com personagens gays, o mesmo vale para os homossexuais, que também podem, sem problema algum ler livros sem personagens homossexuais também...não precisa de classificação, pelo menos para mim. Pois seria o mesmo de romances serem feitos somente para mulheres, sendo que homens também leem romances...
    ah respondendo a sua pergunta, só conheço um livro com um personagem gay, mas ainda não o li, somente li a resenha. Se chama Shine, da autora Lauren Myracle e parece ser bem interessante, no entanto, ele não é o personagem principal, mas sofre preconceito. Mas, comentando um pouco sobre o enredo deste livro que citei, acho quando o personagem for homossexual, não deveria automaticamente sofrer preconceito, concorda? Acho que deveria ser um personagem comum..
    ah conheço uma autora brasileira que pretende lançar seu livro, um romance de duas mulheres que parece ser bem legal, no entanto, tem muitas pessoas agindo com muito preconceito e julgando o livro antes mesmo de ser publicado, acho isso revoltante! Eu vi neste blog: http://amantedaleiturabydrika.blogspot.com.br/2014/01/falando-de-pre-concceito.html
    beijos ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Dani, eu também acho que héteros podem ler livros com personagens gays e gays podem ler livros com personagens héteros. Isso é óbvio, hoje em dia todos podem ter acesso a qualquer tipo de livro, som, programa de tv, filme, etc. A questão é que nem todos os héteros gostam de ler livros com personagens gays. Infelizmente o preconceito ainda existe. Não propus nenhum tipo de classificação e também não acredito que isso fosse saudável. Só acho que seria interessante haver mais livros por aí que trouxessem personagens GLS para que esse público tivesse a oportunidade de encontrar personagens com quem se identificar ainda mais. Sim, concordo com o seu ponto de vista, não é porque a pessoa é obesa, ou GLS, ou nerd, ou qualquer coisa do tipo que necessariamente deve ser retratado sofrendo algum tipo de preconceito. Eles podem ter uma vida normal e feliz né?! Ou pelo menos deveriam. Uma amiga minha é escritora e, além de ter uma Editora GLS que só publica livros desse gênero, escreveu um livro nessa temática e eu estou doida para ler, porque parece realmente bom, independente do assunto que aborda. Mas infelizmente sei que nem todos pensam assim. Obrigada pela participação. Beijos

      Excluir
  7. Concordando com as meninas acima, também não acho que a falta de publicações de livros de segmento GLS no Brasil seja preconceito. Mas acho que as Editoras Brasileiras deveriam investir mais no segmento GLS, investir mais em divulgar esse tipo de livro, incentivar escritores desse gênero. Depois do primeiro beijo gay da tv brasileira acredito que o povo brasileiro ficou mais aberto a esse assunto, acho que essa seria uma boa hora de investir nesse segmento literário no Brasil. Literatura é cultura, acredito que existam muito livros bons até porque existe uma listagem dos melhores livros, então acho que as editoras podiam sim investir nesse segmento. Acho que seria mais uma forma de acabar com a homofobia e com o preconceito no país.

    Beijooos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo Emmely, muito bem colocado. Obrigada pela participação. Beijos

      Excluir
  8. Olá Mi.
    Assim como você, também desconhecia essa lista e não tive oportunidade de ler nenhum dos livros acima.
    Não acho que pela falta de publicação aqui no Brasil seja dado como um ato de preconceito. Em nosso país tudo acontece com muito retardo, assim como, a questão da aceitação GLS. Acho que estamos em constante crescimento não só falando socialmente mas interiormente, as pessoas estão se aceitando mais, com isso, as coisas estão acontecendo. Com esse estilo de livro também será assim. Eu acho muito interessante a premissa desse segmento, pois foge do comum em que estamos acostumados no mundo literário. Espero ler algum desses livros citados no post logo.
    Muito interessante o tema do debate, parabéns.
    Beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Andréia, interessante seu ponto de vista, não tinha pensado por esse lado, de não se tratar de um preconceito, mas sim de um efeito retardado, de que, daqui a pouco, as coisas mudarão um pouco de figura. Bom, assim esperamos.. hehe Obrigada pela participação. Beijos

      Excluir
  9. Não acredito que a falta de publicações desses livros aqui no brasil seja um preconceito, eu nem sabia que existia esse tipo de seguimento de livros. Não me sentiria ofendida ao ler um livro assim, muito pelo contrário, eu morro de curiosidade para ler esses livros (embora já tenha lido o ultimo livro da lista do post).
    Acredito que se alguém tenha algum tipo de preconceito contra esses livros, é pura ignorância, pois todos tem o direito a leitura e cada um tem um gosto literário diferente.
    Bjokas
    nerdworldofgirl.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Karol, assim como você sou bem curiosa viu.. hehe também adoraria ler um livro GLS, mas fico pensando sobre como seria a aceitação do livro aqui no blog. Penso que positiva, assim espero.. hehe Obrigada pela participação. Beijos

      Excluir
  10. Mi eu na verdade nunca me interessei por livros do gênero, e a série Instrumentos Mortais que eu amo, acho que foi o único que li, confesso que dentre várias histórias de vários personagens, o casal gay é meu queridinho...♥ Mas não acredito em preconceito aqui no Brasil não...tenho uma relação de tanta naturalidade com a questão das opções humanas, seja quanto a sexo, religião, que acredito que a homofobia que está ficando feio...isso é tão milenar não? Fatos históricos comprovam que o homossexualismo existe a tanto tempo...mas ainda se tem a mania de achar estranho aquilo que não nos é semelhante...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Fabio, fico muito feliz em saber que cada vez mais pessoas pensem como você. É disso que precisamos para evoluirmos como seres humanos. Obrigada pela participação. Beijos

      Excluir
    2. Mi sou eu Mi Monteiro, meu celular estava com a conta do marido...devo ter feito isso outras vezes...desculpe!!!!Rsrsrsrsr...

      Excluir
  11. Eu admiro e leio todo o tipo de literatura que tenha uma boa história, personagens cativantes e que cumpram o seu papel de nos fazer rir, chorar, despertar uma grande gama de sentimentos, acredito que esse estilo de literatura no Brasil ainda vem engatinhando, enquanto lá fora é tido com natural, são livros que contam histórias de pessoas absolutamente normais como nós, não tem um motivo para preconceito, um dos escritores voltado exclusivamente para esse gênero é David Levithan, que sinceramente acho um ótimo escritor, e que terá um livro Boy Meets Boy publicado em breve aqui, acredito que quanto mais se debater o tema mais natural será enxergar que o que todos querem no fim é a felicidade, isso independe da cor, religião ou orientação sexual, se o livro for capaz de despertar minha curiosidade sem dúvidas eu lerei, e a temática pode ser qualquer uma, quem é um leitor de verdade tem geralmente um pensamento mais aberto e consegue enxergar melhor as diferenças sem julga-lás,
    Por isso sou completamente a favor de mais livros com esse tema sejam publicados, que narrem a vida, as lutas, do outro que poderiam muito bem serem as nossas!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jura que Boy Meets Boy virá para o Brasil? Que notícia fantástica David. Ele é um dos livros que vi na lista do Goodreads e lá percebi que sim, que David Levithan tem muitos livros publicados nesse sentido e fiquei doida para conferir. Fique emocionada com seu comentário viu! Fico muito feliz em saber que existam pessoas como você que veem a vida assim. Obrigada pela participação. Beijos

      Excluir
    2. Virá sim, quem irá publicar é a Galera Record, e a previsão é que seja no segundo semestre, agora vamos esperar para ver como será a aceitação... rs
      Obrigado Mirelle, também quero conferir os outros livros dele, só li Todo Dia, na verdade no livro original em inglês ele não define o gênero da personagem principal, mas no Brasil a editora preferiu colocar como sendo masculino, enfim o livro é muito bom e dá aquela vontade de ler mais e mais livros dele. Agora só nos resta esperar os próximos lançamentos com essa temática e esperar que sejam realmente livros que nos façam refletir sobre as diferenças e a sociedade em que vivemos.

      Excluir
    3. Legal ver que a Galera Record está investindo neste segmento. Ah, sério que houve essa pequena modificação na narrativa da história de Todo Dia? Não li, mas morro de vontade. Interessante saber que o autor não especificou o gênero, dessa forma ele segue a linha dele de que o surgimento do amor independente da roupagem de quem o sente. Agora quando eu for ler o livro o verei com outros olhos. Muito obrigada por tecer essa observação. Beijos

      Excluir
  12. agora que li seu post também parei para lembrar que não li nenhum livro deste gênero ainda, eu não tenho nada contra o gênero leria numa boa qualquer livro que trata desses assuntos até pq o importante é ter uma boa história, que flua, com bons personagens e etc. Eu concordo com vc não vejo muitos desses livros publicados no Brasil e acho que deveria ser publicados mais sim, pq sempre tem aquele público que gosta do gênero, que gosta de ler livros desse tipo, assim como gosto de livros de fantasia. Eu leria na boa qualquer livro com personagem GLS contando que me desperte uma curiosidade pelo livro, que a história me cative assim como todos os outros, é isso que trato como interessante e importante.

    Beijos ^^

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim Jana, concordo, o importante não é só ter personagens GLS, mas ter uma boa história, uma boa narrativa, que nos faça ter vontade de ler. Tem que ser um livro de qualidade como qualquer outro. Obrigada pela participação. Beijos

      Excluir
  13. Achei bem interessante o título da sua postagem, sinceramente também não fazia a mínima ideia de que existiam livros direcionados ao público GLS. Pra falar a verdade não me surpreendo muito por não encontrarmos tantos livros brasileiros direcionados ao público GLS, no Brasil não é um assunto muito fácil de se falar, mesmo que seja um assunto que venha se tornando comum e que as pessoas estão aceitando mais, ainda existe um preconceito grande no Brasil. Eu particularmente não me sentiria ofendida, ou acharia ruim ler um livro com personagens gay, muito pelo contrário até gostaria, ainda não tive ainda a oportunidade, mas alguns desses livros da lista são alguns que estão na minha listinha de leitura!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Sabrina, pois é, imagine a minha surpresa quando descobri isso e, ao mesmo tempo, a minha frustração do tipo: "Onde estão esses livros? Eu quero lê-los".. hehe Obrigada pela participação. Beijos

      Excluir
  14. Oi, Mi. É difícil as editoras trazerem livros com essa temática, exceto aqueles que são best-sellers. Porém, a Galera Record está fazendo um trabalho excelente quanto a isso. Além de Will & Will, eles publicarão mais dois livros do David Levithan, que tem protagonistas homossexuais ou que abordam esse tema. É um grande passo da editora e também algo excelente pra abrir a mente de muita gente por aí.

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Leo, concordo, só vem para o Brasil aqueles que estouram lá foram. Fico feliz pela iniciativa da Editora Galera Record, já que não vemos muito disso em várias outras editoras por aí. Obrigada pela participação. Beijos

      Excluir
  15. De onde vêm essas ideias pro debate hein? Uma melhor que a outra!
    Já li As Vantagens de ser invisível e amei, bem como Cidade de Vidro. A Cassandra Clare trabalha bastante o quesito homossexualismo na série Os Instrumentos Mortais, e essa foi a primeira vez que tive contato com o assunto através da literatura, e digo que eu shippo aquele casal, me encantei pela história dos dois. Mas voltando ao ponto central, acho que não deve existir exatamente uma separação desses livros dos demais porque eles não são destinados aos GLS's mas sim tratam da história de personagens assim. E acho que se houver uma separação, tipo um gênero, o preconceito será maior. Se você começa a ler um livro e de repente aparecem personagens gays você provavelmente não vai largar o livro só por causa disso, agora se o livro já é tachado como literatura gay e você é preconceituoso ou não aceita com certeza será um livro pelo qual passará longe, mas se pegá-lo sem saber talvez reveja seus conceitos. Acredito que essa literatura com personagens GLS's irá se espalhar e fazer sucesso aqui no Brasil logo logo. Na verdade já começou, primeiro com Stephen Chbosky em AVDSI, depois com a Cassandra em Os instrumentos mortais e também em As peças infernais, e então com David Levithan. Will e Will fez sucesso mas o mais novo livro do David Boy meets boy, que será lançado aqui no Brasil pela Galera Record por volta do próximo semestre, promete ser a bomba dessa literatura com personagens do mesmo sexo que se amam e um baita tapa na cara de muita gente preconceituosa, e ainda um abridor de mentes pra quem já é assumido ou quer se assumir. Enfim eu não tenho nada contra esse tipo de livro e quero mesmo que muitos autores escrevam esse tipo de literatura e que ela se espalhe pelo Brasil assim como está acontecendo lá fora mas sem ser aquela coisa tipo, ah esse é um livro de gays, não, é uma história normal, um romance normal, com um casal que se gosta, mas que enfrenta problemas como qualquer outro. E espero que esses livros possam abrir a mente das pessoas que ainda tem algum preconceito com os homossexuais.

    Beijos, Greice.
    diariodaalvorada.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkk Digamos que tem dias que acordo inspirada e gosto de instigar vocês.. kkk Ai que fofo ouvir você dizer eu "shippo".. kkk Juro que quando vi o livro da Cassandra na lista me surpreendi, porque nenhuma resenha que li comentou sobre o homossexualismo abordado na história. Ponto para a Cassandra. Então, digamos que estes livros que citei não são voltados especificamente ao público GLS, mas muitos são, e os que são, não vieram para o Brasil. Dê uma olhada na lista. Também não sou a favor de uma distinção de gêneros no sentindo de excluir leitores ou limitar seu alcance, mas acho interessante termos um público alvo para determinado tipo de leitura no sentido de aproximar o leitor certo do livro certo, sabe?! Será que pessoas preconceituosas que não têm a mínima ideia pela sinopse de que existem gays na história não vão largar o livro no momento em que se depararem com elas? Sinceramente, tenho as minhas dúvidas. Porque já vi muita gente levantando de cinemas e indo embora por causa de cenas de beijos ou sexo entre gays. Agora, se o livro é "taxado" como gay, assim como existem os livros "taxados" como romance erótico, por exemplo, com certeza os preconceituosos não o lerão, mas os GLS saberão onde encontrar um tipo de literatura com os personagens que possam se identificar ainda mais. Será que não? Também espero que esse tipo de literatura se dissemine ainda mais e faça com que as pessoas encarem o homossexualismo com ainda mais naturalidade. Afinal, não é a opção sexual que define quem a gente é.. isso é só uma opção de como queremos viver a nossa intimidade e ninguém tem nada a ver com isso. O livro que citei escrito pela a minha amiga fala de um amor nascido entre mulheres. Em momento algum consigo pensar nele como um "livro gay", no sentido pejorativo. Eu o enxergo apenas como mais uma linda história de amor que me deixou muito curiosa para conhecer.. mas fico pensando, será que o público GLS não ia achar interessante saber que existe por aí uma história com a qual eles pudessem se identificar? Obrigada pela participação. Beijos

      Excluir
  16. Oi Mi!
    Eu não sabia que existia livros assim, é bem curioso isso.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lanifer, eu também não imaginava. Adorei saber mais. Beijos

      Excluir
  17. Oi Mi, fiquei surpresa com os números de livros sobre esse tema. Afinal só conhecia os citados por você. Acho que o primeiro livro/filme que mostrou ao mundo que esse tema pode estar presente também no mundo literário foi "O Segredo de Brokeback Mountain" de Annie Proulx que eu morro de vontade de ler. Não acho que esses livros deveriam estar separados, acho que deveriam continuar junto com os outros. Porque se separassem talvez o preconceito fosse maior. Eu adorei "As Vantagens de Ser Invisível" e acho que o personagem homossexual só agregou ainda mais valor ao livro porque mostra o quanto é comum. É a nossa realidade e não podemos fugir desse tema. E agora os autores estão se sentindo mais confortáveis para escrever sobre esse tema, ainda bem. As pessoas precisam se identificar com os livros e é o que está acontecendo. Adorei a iniciativa do debate!!! Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Roberta, bem lembrado, O Segredo de Brokeback Mountain simbolizou uma quebra de paradigmas, chocando muitos, mas sensibilizando outros tantos. Adorei esse filme, mas ainda também não li o livro. Obrigada pela participação. Beijos

      Excluir
  18. Eu também não sabia que havia este segmento. Eu não acho que a falta desses livros seja preconceito, até porque as editoras trazem livros que elas sabem que irão vender, mas nesse estilo ainda é um tiro no escuro, agora que as paredes do preconceito estão caindo, eu acho que elas deveriam investir e ver no que dá. Eu não me importaria de forma alguma ler um livro com este tema. Acho que até gostaria de ler. Me interessei na sinopse de Will e Will e o coloquei na lista de leituras futuras.
    Bjos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Jardani, tomara que as editoras comecem a investir em livros alternativos que abranjam um público ainda mais eclético. Vamos ver no que dá né?! Obrigada pela participação. Beijos

      Excluir
  19. Pra te dizer a verdade, nunca havia parado para pensar nisso, mas penso, assim como a Cah, que não deve haver uma segmentação: Livros GLS, Livros Hétero. Se a sinopse fala sobre o que é o livro, cabe ao leitor dar uma lida e pensar se vai ou não ler uma história homossexual, por exemplo. Eu leria, sem problema algum. Já li (e amo) As Vantagens de Ser Invisível, por exemplo, mesmo com um personagem gay na história. Eu não tenho preconceitos...
    Gosto dessas listas no Goodreads porque mostram bem o que alguém quer num livro. Acho que se o leitor quer ler um livro GLS, pode muito bem dar uma pesquisada no google e escolher um título à sua escolha.
    Quanto ao investimento em histórias do tipo no mercado brasileiro, não sei ainda como seria a recepção. Lembro que Will e Will foi bem comentado assim que lançado por aqui, mas não sei como ficaram as vendas. Ainda não li (como já comentei no post sobre a nova capa), mas morro de vontade.
    Enfim, espero ter passado a minha opinião.
    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Babi, pois é, este é um assunto delicado. Também não acho que deveria haver segmentação, apenas penso que seria interessante explicitar o assunto na sinopse para deixar os leitores avisados. Eu, por exemplo, não tinha a mínima ideia de que As Vantagens de Ser Invisível tinha um personagem gay. Não tenho nenhum preconceito e leria sem problemas. O ponto que tenho batido repetidamente é que acharia interessante as editoras investirem mais nesse segmento GLS para poder prestigiar este público. Na minha opinião, acho tão legal quando lemos uma história com a qual nos identificamos, que parece que foi escrita para nós, sobre algum personagem parecido ou que já passou por situação parecida. Entende o que quero dizer? Obrigada pela participação. Beijos

      Excluir
  20. Já li o primeiro e terceiro citados. Eu nem sabia disso, já inúmeros livros que tem personagens gays. Não acho que tenha que rotular algum livro e dizer que é para tal publico, então se for assim gays não irão mais ler livros que tem casais héteros? Posso citar que me veio a cabeça a serie House of Night, a serie Os imortais e a serie Fallen, todos tem personagens gays.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pela contribuição Sil, não li esse livros ainda. Beijos

      Excluir
  21. Oi Mi!
    Nunca pensei nisso antes.
    Por coincidência estou prestes a ler Cidade de Vidro, rs. Quando o vi incluído na lista, pensei: "É mesmo! Tem o Alec e o Magnum..." Rsrs. Li os dois primeiros volumes sem problema algum com os personagens gays e nem me passou pela cabeça colocá-los numa categoria distinta. Como foi dito em comentários anteriores, acredito que os gays leem sem problemas livros com remances héteros.
    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim Ana, naturalmente que gays leem livros com personagens héteros e vice-e-versa. Também não concordo com a segmentação, pelo contrário, sou a favor da ampliação desse mercado e dos tipos de livros trazidos para o Brasil, capazes de prestigiar um público cada vez maior e eclético. Obrigada pela participação. Beijos

      Excluir
  22. Nunca fiquei pensando se um livro é para tal tipo de publico ou para outro tipo...Não li ainda os livros citados mas pretendo ler o primeiro e o terceiro. O segundo não me interessou mesmo pela historia em si e não pelos personagens serem ou n gays. Mas também acho que ficar listando tudo é que acaba gerando um certas barreiras. Tudo junto e misturado é mto melhor.

    bjkss

    Mey

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Mey, penso assim também. Obrigada pela participação. Beijos

      Excluir
  23. Muito interessante essa postagem, não sabia que existia essa separação. Já li As vantagens de ser invisível e gostei muito, assim como pretendo ler Cidade de Vidro. Acho que o fato de o Brasil não publicar livros com essa característica deve-se ao fato de os brasileiros ainda não terem total aceitação a respeito do assunto. Ainda existem diversas pessoas que sentem-se ofendidas quanto a isso.

    Bjoss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim Ana, também penso isso. Infelizmente ainda existe muito preconceito, mas cabe a mídia ajudar a quebrá-lo aos poucos. As novelas e os filmes já estão fazendo a sua parte, agora cabe aos livros ser mais enérgico nesse sentido. Pelo menos assim eu acho. Obrigada pela participação. Beijos

      Excluir
  24. As Vantagens de Ser Invisível é um dos meus livros favoritos de todos os tempos e eu fiquei surpresa em saber que ele está em primeiro lugar, já que esse assunto não é o tema principal do livro - inclusive é meio que acobertado pelos outros acontecimentos como drogas, sexo e música. Ainda não tive a oportunidade de ler Will & Will, mas todo mundo fala muito bem tanto da história quanto de como esse assunto é tratado nele.
    Eu não sei muito sobre esse "mundo" GLS e sinceramente não tenho muita curiosidade - mas não sou preconceituosa não e acho que se tem filmes sobre isso, novela que aborda a homossexualidade e até uma ~parada gay~ como um dos maiores eventos, não tem porque não abordarem também na literatura, não é mesmo? Talvez falte um pouco de vontade dos escritores em pesquisarem mais sobre esse mundo ou até coragem, porque com certeza será uma polêmica quando chegar às mãos de pessoas que têm um preconceito incrível com coisas que "fogem do padrão", pelos olhos dela.

    Ai, falei demais! haha Mas é isso aí, ainda acho que logo aparecerá um autor nacional que terá coragem de publicar um livro quebrando o tabu :)

    Beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Juh, muito bem colocado.. é isso que penso, por que não abordar cada vez mais essa realidade nos livros? Não sei se falta interesse dos escritores, talvez no Brasil.. estou chutando, mas pelo que vimos na lista do Goodreads, lá fora este mercado é muito bem explorado, principalmente por autores conhecidos. Então falta mesmo as editoras investirem nisso. Como para as editoras livro não é cultura, e sim um negócio, é claro que elas ficariam com medo de investir em algo que não vendesse. Mas alguém tem que dar o primeiro passo né?! Obrigada pela participação. Beijos

      Excluir
  25. Claro que sim!!
    Quem sabe o preconceito diminui um pouco.
    Fora que essas histórias são lindas!!! Adoro todos os livros que você mostrou!

    Bjkas

    Lelê Tapias
    http://topensandoemler.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Lelê, vamos torcer para que as coisas melhorem nesse sentido. Obrigada pela participação. Beijos

      Excluir
  26. Dos livros citados eu li somente As vantagens de ser invisível, e adorei, não tenho nada contra livros que contenham pessoas com essas opções sexuais eu acho até bem legal ter, pois assim as pessoas vão se habituando a esses pessoas, eu não tenho nada contra, tenho amigas lésbicas e já até escrevi um conto GLS e as pessoas gostam, creio que esse preconceito tem que acabar, temos que aceitar as pessoas como elas são. E esses livros são realmente bons, e nos ensinam muito.
    Beijos!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Camila, concordo, acho que os autores e editores deviam investir cada vez mais em histórias com personagens de todos os tipos que retratem com naturalidade o mundo diversificado no qual vivemos. Obrigada pela participação. Beijos

      Excluir
  27. Eu não sabia desse segmento de livros. Desses livros eu só li "Will & Will", os outros dois eu nem imaginava que eram assim também.
    Nunca tinha reparado que no Brasil quase não tem livros assim, os poucos que eu li foram ebooks que não foram lançados aqui. Eu acho que as editoras deviam investir mais no segmento GLS, eu não me sinto nem um pouco ofendida em ler algum livro com algum personagem GLS.
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Pamela, o engraçado é que a minha ficha também só caiu depois que vi essa lista. Obrigada pela participação e por dar a sua opinião. Beijos

      Excluir
  28. Porque não investir? Eu acho que seria legal,tipo... isso pode fazer com que esse público se sinta mais incluso na nossa sociedade.Sim, eu acho que rola mesmo um pouco de preconceito no Brasil quanto a esse gênero. E não, eu não me sentiria ofendida em ler livros desse gênero, é até legal uma coisa diferente de vez em quando. :)
    E qual é a sua opinião sobre o assunto?
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Legal saber Bia. Como disse mais acima nas respostas dos comentários, também acho que as editoras deveriam investir nesse segmento. Quem sabe os livros não podem ajudar a mudar a mentalidade das pessoas e enxergar o homossexualismo como algo normal? Beijos

      Excluir
  29. Bom, acho que se deve mesmo ter livros para todos os tipos de gostos. E as pessoas precisam aceitar de que isso é um fato normal.
    Eu sabia sobre Will&Will, mas não sabia que As Vantagens de ser Invisível também estava incluído nessa categoria.
    Gostei do post! Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Gabi, penso o mesmo que você. Beijos

      Excluir
  30. Os seus posts do Vamos Debater deveriam ter o título alterado para Vamos Escrever hahaha

    Eu dei uma olhada na lista e realmente praticamente não tem nenhum no Brasil. Só achei estranha essa classificação de livros porque não existe um gênero para héteros, então existir um gênero GLS, pra mim é uma forma de rotular, diferenciar e sim, de preconceito.
    O fato de existirem poucos livros no Brasil pra mim também é preconceito. Minha visão é: a mídia está tentando forçar que as pessoas aceitem isso porque existe uma pressão de um lado. Mas para ser sincera não acho que a população aceite de boa. Muitos aceitação porque não querem ser taxados de preconceituosos e tudo mais. Mas aceitar de boa mesmo, acho que são pouquíssimos!
    Nossa população ainda tem que melhorar muito =/

    É acho que consegui escrever pouco haha
    Beeijos, Dreeh.
    Blog Mais que Livros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Seguinte, eu descobri uma Editora que comercializa apenas livros GLS, portanto, dá para se dizer que existe este gênero. Eu acho que a intenção não seja rotular, mas sim deixar claro sobre o que trata o livro e qual seu público-alvo sabe? Concordo, também acho que muitos dizem que aceitam na boa porque hoje em dia ficou "feio" dizer que se tem preconceito, mas no fundo não ia aceitar um filho homossexual e não leria nem veria nada do tipo. A mídia como TV e cinema estão sim forçando histórias com cenas explícitas gays, o que não me incomoda, mas incomoda alguns. Então por isso que me pergunto, se a mídia televisiva tem investido tanto nesse segmento, por que as editoras também não investem. Precisamos de diversidade literária, ainda mais no século XXI. Beijos e obrigada pela sua opinião e participação :)

      Excluir
  31. Ainda não li nenhum dos livros citados, mas estou com muita vontade de ler 'As vantagens de ser invisível'.
    Que eu me lembre agora, um livro que li com personagem gay foi 'Belo desastre' (não lembro o nome do personagem agora :/).
    De forma nenhuma me sentiria ofendida de ler um livro com personagem GLS, e não acho que seja preconceito das editoras, sei lá, na verdade nunca parei pra pensar muito no assunto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bah Re, tem razão, o amigo da Abby era gay né?! Agora que você falou lembrei de algo assim.. hehe Beijos

      Excluir
  32. Oi Mi!! Adorei demais esta sua postagem e dos livros que você destacou li somente As vantagens de ser invisível, e realmente achei super interessante, creio que este tipo de tema deveria ser mais tratado já que é algo super normal, convivemos com pessoas que tem opções sexuais diferentes e não deveria se tornar um assunto "tabu" em livros. Li ano passado um livro sobre este assunto também chamado A garota da casa grande de uma autora nacional, e realmente achei demais. E vou querer conferir o outros livros citados também, pois tenho certeza que isto é um grande passo para as pessoas começaram a aceitar mais e respeitar sua opções.
    Beijos ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Michelli, obrigada pela sua participação, fico feliz que pense assim e concordo com seu ponto de vista. Espero que mais livros sejam lançados nessa temática e difundidos no nosso país. Beijos

      Excluir
  33. Oi Mi,
    Acho que quando bem trabalhado, todos os assunto devem sim ser abordados, porque não adianta apenas colocar em um livro conteúdo GLS, mesmo porque pode ser adicionado de maneira mais preconceituosa do que se não tivesse escrito, mas sim, creio que deve ser mais retratado.
    Beijocas ^^

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim Lari, também concordo. A questão não é simplesmente adicionar conteúdo GLS, é saber trabalhar uma boa história envolvendo todos os assuntos com naturalidade, e se isso surgir, beleza.. hehe Beijos

      Excluir
  34. Olá
    Eu acredito que apesar do pensamento da sociedade estar evoluindo em termos de aceitação do que antes era considerado repulsivo (como homossexualismo, negros, etc) ainda existe um certo preconceito. Uma autora brasileira teve seu livro criticado e sua página no facebook chegou a ser denunciada, apenas pelo fato do livro se tratar de romance entre mulheres.
    Acredito que mesmo com o passar do tempo, sempre existirão aqueles com um pensamento tradicional e imutável (no sentido negativo).
    Bem, conheço alguns livros com personagens gays:
    A Senhora do Jogo, de Sidney Sheldon: este livro é continuação de Reverso da Medalha.
    O Preço de ser Diferente: Não sei sua estória. Minha amiga leu o livro e me falou que os personagens principais são gays.
    Saga Os Imortais: Um dos personagens coadjuvante é gay. Há outro que não aparece muito, mas que também é.
    Me lembro destes. Se recordar-me de mais algum, escrevo aqui.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, sério que isso aconteceu? Poxa, que pena viu.. mas infelizmente a nossa sociedade ainda não evoluiu em aceitar o "diferente". Obrigada pela participação e pela sua opinião. Beijos

      Excluir
  35. Três livros que estou super doida atrás rsrs quero muito ler todos eles , todos dizem muito bem , são livros ótimos e que tem esse lado que vc observou , são poucos os livros que tem personagens gays .
    Já li alguns , é concluo que o preconceito é algo na haver .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Raquel, a julgar pelas poucas histórias abordando esse universo, é o mínimo que podemos pensar. Beijos

      Excluir
  36. Confesso que esse tipo de gênero não me interessa muito, mas respeito quem goste. Não acho que a falta de publicação seja uma forma de preconceito.. afinal as pessoas ainda estão "se acostumando" com isso, né.. não é algo tão comum e aceitável de se ver ainda. Bjs, Mi

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Natália, acho que comum é, talvez não seja aceitável de se ver para alguns. A minha crítica é se no cinema e TV o homossexualismo já é tratado com naturalidade, por que não nos livros? Beijos e obrigada pela participação!

      Excluir
  37. Não sabia também que existia esse segmento para GLS, mas também não acho questão de preconceito não haver muitas publicações sobre, pois afinal é necessário público para esse segmento, e da mesma forma que só hoje o segmento HOT ganhou os primeiros lugares nas prateleiras das livrarias, acredito que logo esse segmento também pode ganhar seu lugar. Mas para isso, exige-se uma questão de aceitação dos leitores também né. Não tenho preconceito algum, pois se a premissa do livro me interessar, com certeza levo p/ casa sem pensar duas vezes.

    Beijos, Glaucia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, também acho, só que da mesma forma que muitos não conhecem esse gênero, como saber se ele teria público né?! Só investindo.. hehe Beijos

      Excluir
  38. Olá, Mirelle!!!
    Já tinha ouvido falar em relação aos livros que são indicados ao público GLS, mas jamais iria imaginar que só por ter uma personagem gay, ele seria indicado. Afinal, muitas vezes, as temáticas e estilos são completamente distantes do "mundo homossexual", como é o caso de "Cidade de Vidro". Esse mês, terminei de ler a trilogia do "Mago Negro", composto por "O Clã dos Magos", "A Aprendiz" e "O Lorde Supremo", que tinha uma personagem homossexual.

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Dom, confesso que me surpreendi de igual modo. Não imaginei que por conter um personagem homossexual o livro entraria numa lista dessas. Mas como quem não criou a lista fui eu, não sei dizer qual critério foi utilizado. Beijos

      Excluir
  39. Oi Mirelle, realmente é muito difícil encontrar livros com temática gay no Brasil.
    Na minha opinião isso acontece pela pouca procura por livros assim.
    Já que existe interesse das editoras em publicar livros nesse estilo um exemplo disso é o livro "O gosto do sexo sem rosto" do autor Marlon de Albuquerque eu li esse livro gostei e mega recomendo!
    Eu sinto falta de personagens no qual eu possa me identificar.
    Eu acho que ainda existe uma certa resistência por parte de alguns leitores vivemos em um país machista e cheio de preconceitos isso é fato! Os livros homofônicos do Malafaia vende as pencas, por que será?

    Segue abaixo o link do livro, abraços!

    http://www.livrariasaraiva.com.br/produto/4632003/o-gosto-do-sexo-sem-rosto-diario-secreto-de-um-garoto-de-programa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Renan, concordo, também acho que um dos motivos da falta desses livros no Brasil seja a baixa procura, afinal, Editoras são empresas que se movem a base de lucro e não vão investir em algo que não venda, certo? É uma pena. Mas quem sabe com o decorrer do tempo as coisas não evoluam? Beijos e obrigada pela contribuição.

      Excluir
  40. Ai, eu não vejo nada de mais, sabe?
    Will & Will foi um livro que me abriu a mente para muitas coisas, As Vantagens de Ser Invisível também. As vezes eu fico até pensando que toda essa movimentação para defender os Gays só faz com que eles pareçam mais frágeis e vulneráveis.
    Ser gay não é doença, não é contagioso, é uma opção. É puro amor. Tenho muitos amigos gays e adoro todos eles.
    Curti suas outras dicas de livros, vou pesquisar mais por aqui ;)

    Beijos,
    http://www.segredosentreamigas.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Bah, concordo com você, também acho que por vezes o protecionismo acaba criando um abismo ainda maior entre os "protegidos" e os demais ao invés de deixar claro que todos são iguais. Também não vejo mal algum em ler livros com personagens homossexuais, mas você sabe como a nossa sociedade ainda é preconceituosa, então de certo modo algo precisa ser feito em prol da erradicação dessa mentalidade retrógrada. Beijos e obrigada pela participação.

      Excluir
  41. heey tudo bem...
    gente quem se interessa pela temática LGBT nos livros tem outros livros que também são ótimos, não reclamando de nenhum dos três acima, nunca... ja li os tres e particularmente amo "os instrumentos mortas" pra quem tambem gosta a Cassandra fez um livro contando a vida do Magnus Bane, maravilhoso, gato e sexy... apenas, amo will&will e tem tambem do mesmo altor "garotos encontra garoto" aliais devid levithan AMOMUITOTUDOISSO... uffa, tambem li "aguas turvas" e "fake" escritores brasileiros, temos que apoiá-los por que ne gente... se não formos nos a dar moral pra esse escritores ( maravilhosos sim ) quem dará... #MALEC 4ever... e isso ai, todo livro nos ensina algo... mesmo sendo o pior dos livros, pode ter certeza algo voce aprende.

    ResponderExcluir