Resenha - Deixe a Neve Cair

Resenha Deixe a Neve Cair John Green
"Na noite de natal, uma inesperada tempestade de neve transforma uma pequena cidade num inusitado refúgio para insuspeitos encontros românticos. Em Deixe a neve cair, bem-sucedida parceria entre três autores de grande sucesso entre os jovens, John Green, Maureen Johnson e Lauren Myracle escrevem três hilários e encantadores contos de amor, com direito a surpreendentes armadilhas do destino e beijos de tirar o fôlego. Comédia romântica com a assinatura de um dos maiores bestsellers da atualidade, o livro é o presente de Natal perfeito para os fãs de John Green e de histórias de amor e aventura."
Vocês conhecem aquela expressão "E se você acha que está ruim, não sabe o quanto pode piorar."? Acho que ela de fato é verdadeira, se levarmos em consideração estes três contos de Natal:

Jubileu é uma menina de 16 anos que possui um nome muito peculiar, herdado de um dos prédios de A Cidade do Papai Noel Flobie por pais totalmente viciados nessas peças de cerâmica colecionáveis.

Seu único desejo era passar o Natal com seu namorado Noah e celebrar o aniversário de namoro deles. Apesar de estar tudo previamente planejado, imprevistos aconteceram de última hora. Seus pais foram presos enquanto tentavam comprar uma das peças colecionáveis de A Cidade do Papai Noel Flobie e, por causa disso, Jubileu foi obrigada a pegar o trem para passar o Natal com os avós na Flórida.

Mas naquele dia estava prevista a pior nevasca dos últimos 50 anos e, por um infortúnio, Jubileu nunca conseguiu chegar ao seu destino. O trem acabou atolando na neve, no meio da estrada, perto da cidade de Gracetown. Jubileu se recusou a ficar presa dentro de um trem sem comida, sem aquecimento e na companhia de irritantes líderes de torcida, resolvendo enfrentar a nevasca até chegar a uma Waffle House, quentinha e cheia de guloseimas gostosas. Mal sabia ela o que a sua decisão acarretaria.

Tobin, JP e Duke estavam resignados a assistir a uma maratona de James Bond na TV, presos em casa por causa da nevasca e sozinhos, já que os pais de Tobin não conseguiram voltar em tempo para o Natal. Até Keun ligar e intimá-los a correrem para a Waffle House, no meio da madrugada, por causa das líderes de torcida que haviam invadido o local e não paravam de ensaiar passos e números tentadores para qualquer adolescente cheio de hormônios.

Tobin e JP foram à loucura, mas Duke não ficou nenhum pouco animada. Não tendo outra alternativa a não ser seguir os amigos, embarcaram na Carla rumo a Waffle House. Porém, muita neve e curvas perigosas existiam entre eles e o seu destino. Até que ponto seriam capazes de arriscarem as suas vidas apenas para ficarem na companhia de líderes de torcida que bem provavelmente os ignorariam?

Addie estava desesperada, vivendo sua crise pessoal. Ela terminou o namoro com Jeb logo depois de traí-lo com Charlie num ato insano em decorrência de sua embriaguez. Muito arrependida e com o coração esmigalhado, escreveu para Jeb desculpando-se pela enésima vez e o querendo de volta.

Marcou um encontro com ele na véspera de Natal na Starbucks, mas ele nunca apareceu, deixando claro que não a queria mais. Por que ele não a queria de volta? Não percebeu que ela havia mudado? Mas será que ela havia mesmo mudado, deixado de ser uma egocêntrica de marca maior? A vida, muito esperta, como sempre, resolveu testá-la, colocando um grande desafio em suas mãos.

Addie se comprometeu a fazer um simples favor a Teagan, uma de suas melhores amigas: Addie deveria ir até a Pet Shop no dia seguinte, às 9h em ponto, pegar Gabriel, o miniporco que Teagan havia comprado. Teoricamente, uma tarefa fácil, para uma pessoa qualquer, mas não para Addie.

Numa noite fria, em que a esperança parecia ter esvanecido, em que os corações estavam gelados e amargos e em que tudo parecia ir de mal a pior, o milagre do Natal se faz presente e mostra a todos os envolvidos que nunca é tarde para ter fé e que, muitas vezes, nem sempre o que queremos acontece, mas não quer dizer que coisas melhores não possam nos surpreender. O ditado "Quando Deus nos fecha uma porta, uma janela sempre se abre." também é verdadeiro.

Querem saber o que vai acontecer? Então leiam.

***

Decidi ler Deixe a Neve Cair porque estava louca por uma história de Natal em clima abaixo de zero para amenizar o calor que eu estava sentindo durante a semana e a minha primeira surpresa foi perceber que os contos são infanto-juvenis. Como a sinopse não diz nada, juro que estava esperando ler contos natalinos mais adultos, a respeito de algum drama mais complexo e de um milagre surpreendente, e isso me irritou um pouco. Os contos são narrados em primeira pessoa por Jubileu (O Expresso Jubileu), Tobin (O Milagre da Torcida de Natal) e Addie (O Santo Padroeiro dos Porcos), que nos contam seus fatídicos dias de Natal, que não saíram como eles haviam planejado.

Foi difícil me conectar a todos os contos logo de cara. Achei os personagens idiotas e as situações absurdamente forçadas. Tá certo que é comum algo de impossível acontecer nos livros que lemos. Mas cinquenta mil situações impossíveis em todos os três contos de Natal? Isso para mim já é um pouco demais. Eu sou a pessoa mais acostumada a Lei de Murphy, mas aqueles personagens?! Ó céus.. são os mais azarados com os quais já me deparei na face da Terra. Tudo aconteceu com eles! E não necessariamente de uma maneira engraçada, mas de uma maneira frustrante, na minha opinião.

Durante boa parte do livro quis deixá-lo de lado e ler outra coisa. A leitura não estava engrenando de jeito nenhum. O engraçado é que fui gostar das histórias somente lá pelo final de cada uma, quando ficava triste por ter acabado e por terem sido tão curtas, afinal, são contos. E, definitivamente, não sou uma pessoa que posso dizer "Nossa, como gosto de contos".

Acho que a minha maior decepção foi ter esperado um livro a la John Green, por tê-lo como um dos coautores do livro e, simplesmente, não ter reconhecido a sua escrita. Aquele conto O Milagre da Torcida de Natal não pode ter sido escrito pelo John! A história é tão fraca, tão sem conteúdo, tão clichê, tão cheia de gírias e expressões bestas! Não, não pode ter sido escrita por John Green :( Cadê o John Green de A Culpa é das Estrelas, tão profundo e irônico? Cadê John Green de O Teorema Katherine, tão engraçado e eloquente?

Mas acalmem-se, o livro não é de todo ruim. Uma coisa que gostei bastante foi o fato das histórias serem totalmente entrelaçadas. Portanto, ao lerem, atentem-se bastante aos detalhes e a todos os personagens secundários para conseguirem ir juntando as pontas, senão vocês se perderão. O final é muito fofo e, finalmente, todas as histórias se conectam e passam a fazer um sentido surpreendente.

Apesar de tudo o que me irritou, não posso deixar de reconhecer que as mensagens por trás delas são realmente lindas. De que a magia do Natal nunca acaba, pois se trata de um estado de espírito intrínseco ao nosso ser e que devemos sempre cultivar. De que necessitamos olhar sempre para dentro da gente, rever nossas atitudes e conceitos, não tendo medo de errar e indo constantemente em busca de crescimento e amadurecimento. De que sempre há esperança, mesmo nas situações mais difíceis. De que a vida é sábia e nos dá exatamente aquilo que podemos suportar e que precisamos confiar que as coisas podem melhorar. E que, por fim, o milagre de natal realmente existe, e que temos anjos olhando por nós.

Se eu recomendo o livro? Claro que sim. Tenho certeza de que muitos de vocês vão se apaixonar pelas histórias e vão rir demais das situações que eu achei bizarra. O livro não é ruim, talvez eu que não estivesse no clima certo para lê-lo e acabei forçando a situação. Ou talvez eu tenha ido com gana demais ao pote e acabei me dando mal. Não deveria ter criado tantas expectativas em relação a esse livro. Pois bem, quem já tiver lido ou for ler, me contem depois o que acharam, ok.

Deixe a Neve Cair - John Green, Maureen Johnson e Lauren Myracle
Editora Rocco
336 páginas
Comprar: Saraiva

25 comentários

  1. "Muita sede ao pote" acho que estou tendo esse mesmo problema com os livros do John Green não ta engrenando Teorema... acredito que esta cansativa até a leitura...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É Camyli, acho que ir com muita sede ao pote acaba sempre dificultando nosso envolvimento com o livro. Bom, amei O Teorema Katherine e os outros livros do John. Meu único problema com ele até agora foi com esse livro. Boa sorte por aí. Beijos

      Excluir
  2. Oi Mi :)

    Vou comprar esse livro hoje, e apesar de estar com muita vontade de ler, fiquei meio receoso por tudo o que você disse. Nossa, estou surpreso como John... Beijos!

    http://euvivolendo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Gabriel, tente ler de mente aberta.. talvez você goste. Vou torcer para que sim. Beijos

      Excluir
  3. Poxa Mi, que pena que você não gostou da história!
    É muito ruim quando colocamos muita expectativa em algo e ele simplesmente não atende.
    Eu estou com muita vontade de ler o livro.. mas agora que o natal já passou não sei!
    Acho que não tem mais graça haha
    mais vou lê-lo.. nem que seja no próximo natal!

    Beeijinho. Dreeh
    Blog Mais que Livros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Dreeh, também pensei o mesmo que você "Ou leio agora que é Natal ou não leio mais".. kkk Eu esperava algo totalmente diferente sabe, acho que por isso me decepcionei tanto. Mas espero que você goste. Beijos

      Excluir
  4. Oi, Mi! Adorei a resenha, quero bastante ler esse livro, apesar de ter achado as histórias meio bizarras. Poxa, sério que o conto do John Green está ruim (por falta de outra palavra)? Queria ler só por causa dele rsrsrs... Bem, mesmo assim, quando eu puder, vou lê-lo, parece divertido. Kisses!

    http://meu-mundo-hm.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Hannah, também quis ler só por causa dele e simplesmente não consegui me conectar com o conto dele. Não encontrei ali tudo que me faz amar Green.. e o estranhamento foi tão grande que para mim a história nem parecia ter sido escrito por ele. Mas acho que meu problema foi só com Deixe a Neve Cair, porque li agora Cidades de Papel e amei! Beijos

      Excluir
  5. Oi Mi! Eu peguei este livro para ler por ter a presença de Green entre os autores e no final não foi o conto dele que mais gostei, e sim o primeiro. Não parece com os livros dele que li, mas no geral a ideia do livro foi bem bacana e superou muitos livros de contos que já li, até porque os três estão entrelaçados e acabam formando uma única história. É bacana, mas não chega a 5 estrelinhas.
    Bjos!!
    Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Cida, confesso que no final das contas, acho que o primeiro conto foi o menos pior e o mais divertidinho.. porque de resto.. nossa, o que foi aquilo? Uma pena mesmo, sei lá, o livro simplesmente não funcionou para mim.

      Excluir
  6. Oi, Mi! Bom, eu até gosto de contos, mas até então nunca havia lido uma resenha deste livro. Já ouvi falar muito dele por aí, mas nunca parei para prestar a devida atenção a ele e saber do que se trata exatamente. Não sabia que os contos eram infantojuvenis. Se um dia eu tiver a oportunidade de ler, espero que curta mais que você, pois não tem nada pior do que uma leitura que não flui.

    Um beijo!
    Doce Sabor dos Livros - Aguardo sua visita!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também acho Jeni, fico muito triste quando não gosto de algo que leio e nunca desejo isso aos outros.. hehe Portanto, também espero que você curta as três histórias. Beijos

      Excluir
  7. Oi..
    Tenho muita curiosidade para ler este livro..
    Algumas vezes o livro é até bom, mas não estamos em um bom momento mesmo, normal..

    Feliz ano novo
    Beijos
    livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim Leti, acho que é bem assim.. Às vezes simplesmente não estamos no clima certo para ler determinados livros né?! Beijos

      Excluir
  8. Eu estava louca para ler esse livro, tudo porque tinha o nominho do John Green na capa,
    mas quando me aprofundei na pesquisa e descobri que se tratava de um livro de contos desanimei um pouco, assim como você não sou muito fã de contos, ainda mais de natal :P, agora depois da sua resenha o desanimo foi nas alturas, como assim a escrita do John está irreconhecível?? Amei como ele escreveu a culpa é das estrelas, tanto que corri e comprei o teorema de Katherine e Cidades de papel, estou louca atrás de quem é você Alasca e pretendia adquirir esse, mas já estou desistindo.

    http://soubibliofila.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai Del, simplesmente não sei o que aconteceu! Já li ACEDE e OTK e amei os dois. Em Deixe a Neve Cair tive a impressão do conto nem ter sido escrito por ele. Achei tão fraco e superficial, e John não é assim.. tanto é que li recentemente Cidades de Papel e simplesmente amei. O melhor livro dele para mim até agora.. acho que simplesmente Deixe a Neve Cair não funcionou, ou talvez por ter sido escrito em contos, os autores não tiveram a oportunidade de desenvolverem e aprofundarem as histórias de melhor forma.. sei lá.. Beijos

      Excluir
  9. Como não achei nada demais na escrita de John Grenn, não estou com expectativas nenhumas nesse livro. Eu acabei de ganhar ele em uma promoção e quando chegar vou ler sem esperar nada. Não sabia que era contos adolescentes. Achei que eram adultos também.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então no fim talvez goste Sil, porque as expectativas nos atrapalham demais. Espero que goste. Beijos

      Excluir
  10. Oi Mi, tudo bem?
    Vixe, ainda bem que li sua resenha! Estava com as expectativas lá em cima com esse livro, agora sei que é melhor eu não esperar muita coisa, assim não corro risco de me decepcionar. Fiquei meio chateada por parecer que o John Green, no seu conto, não é aquele que escreveu ótimos livros :/ Entretanto, gostei bastante da sua resenha!

    Beijos,
    salaodelivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ju, pois é, leia sem expectativas e quem sabe você goste. Uma pena mesmo estes contos terem sido tão fracos. Beijos

      Excluir
  11. Este livro parece ser bem gostoso, acho que sendo contos deve ser bem diferente, nunca li nada dos autores então seria uma novidade para mim . Adorei a capa do livro também.
    Bjs
    http://meupassatempoblablabla.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Ah o Natal! Uma época tão bonita mas que me deixa triste, férias, saudades... antigamente Natal pra mim era algo mais emocionante, a família toda se reunia, primos, irmãos, tios e tias, hoje o nosso Natal fica cheio de gente emburrada e de mal um com os outros. Ainda bem que eu sou uma pessoa que não guarda mágoas e me dou bem com a grande maioria mas eu queria que o meu Natal fosse igual o de uns 6 anos atrás, era uma delícia! Agora eu fiquei relembrando hehe Greice sempre dando a volta no globo pra depois comentar sobre o post em si kkkk
    Eu não gosto de contos e achei muito bizarra a sinopse que você nos deu, imagino então como deve ser esse livro. Vou ler um dia mas não sei quando, com certeza não vai ser no Natal porque eu não sou muito de ler livros em determinadas épocas, a hora que der a louca eu leio. Sem sede ao bote porque espero rir dessas histórias e não achá-las bizarras kkk Uma pena o livro não ter funcionado tão bem pra ti, e que John Green volte à vida!!!!
    Beijos, Greice.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bah amiga, o mesmo acontece aqui em casa. Quando meu pai ainda era vivo o Natal era uma época tão feliz e tão esperada. Hoje dá tanta briga na minha família que nem celebramos mais o natal juntos. Cada um celebra no seu canto, nas suas famílias nucleares sabe, e eu e o Junior vamos para a casa dos pais dele.. para mim o Natal só vai voltar a fazer sentido depois que tiver meu filho, porque daí vou querer fazer para ele tudo que ele terá direito.. hehe
      Quanto ao livro, pois é, ele não era nada do que eu esperava, então foi decepção acima de decepção.. ainda bem que John verde me reconquistou em Cidades de Papel.. kkk Beijos

      Excluir
  13. Pensei em comprar, agora mudei de ideia e vou trocar por Pequeno Segredo de Heloisa Schurmann

    ResponderExcluir