Resenha - Até eu te encontrar

Resenha livro Até eu te encontrar Graciela Mayrink
Em Até eu te encontrar, conhecemos Flávia, que vivia com seus tios em Lavras desde que seus pais faleceram quando ainda era criança. Apesar de adorar o clima da fazenda que herdou e da convivência com seus amorosos tios, decidiu que estava na hora de uma mudança de ares e deu um grito de independência.

Acabou mudando-se para Viçosa, indo morar sozinha no apartamento que comprou depois de ter passado no vestibular para Agronomia. Desde o primeiro dia de aula, quando se livrou do trote por causa da solicitude de um desconhecido, sua vida não foi mais a mesma.

Dia após dia foi conhecendo pessoas que se tornariam seus grandes amigos pela vida afora, a começar por sua vizinha Sônia, que descobriu ter sido melhor amiga de sua falecida mãe. Aquela amizade prometia grandes surpresas e, finalmente, Flávia descobriria os mistérios do passado que permeavam a sua família e, consequentemente a sua história.

Tudo ia bem, até Flávia se apaixonar por Felipe, seu melhor amigo. Felipe era um menino engraçado, simpático, mas muito galinha que não se prendia a ninguém. Flávia sabia que eles não tinham futuro juntos, mas ela não conseguia se afastar ou matar o sentimento que sentia crescer dentro de si.  O único capaz de salvá-la de tal sofrimento era a sua alma gêmea. Mas o que fazer quando a pessoa a quem você está destinado a amar para o resto da vida é totalmente irritante, insuportável, e vem de brinde com uma namorada que é uma bruxa, em todos os sentidos?!

Querem saber o que irá acontecer? Leiam e descubram!

***

Fazia tempo que tinha vontade de ler Até eu te encontrar, desde que conheci Graciela Mayrink na Bienal do Rio em 2013. Depois disso, o livro me foi fortemente recomendado pela Babi Lorentz e pela Sara Bertti, do Blog Todas as coisas do meu mundo.

Infelizmente, não consegui gostar tanto quanto as minhas amigas, e não consigo evitar o sentimento de culpa quando isso acontece, mas nem sempre nos identificamos com todos os tipos de histórias ou narrativas que lemos.

Até eu te encontrar é narrado em terceira pessoa e, por meio do narrador, conhecemos tudo a respeito da vida de Flávia. A cada página, Graciela nos apresenta detalhadamente o cotidiano de Flávia, desde a hora em que ela deita ou acorda, o que ela comeu no café da manhã, suas idas a faculdade, barzinhos e festas, aos encontros com os amigos. Achei que a Graciela poderia ter explorado muito mais os personagens secundários da obra por conta da narrativa ser em 3ª pessoa, mas isso só acontece brevemente no final. Durante boa parte, a história se foca apenas em Flávia, quase  nos dando a impressão de ser um livro escrito em 1ª pessoa. Por causa disso, na minha opinião, o texto ficou superficial e cansativo. 

Também senti muita falta da abordagem de pontos relevantes da trama como, por exemplo, a conversa que não existiu entre Flávia e Luigi sobre o que aconteceu na cachoeira, quando Carla foi atrás dos dois. 

Eu até sei que a autora incluiu no texto alguns conflitos e desafios para seus personagens, mas eles não me convenceram. Achei tudo tão fácil, desde a superação da morte dos pais que a Flávia teve que enfrentar, a sua mudança de cidade e adaptação a morar sozinha, a facilidade com a qual fez melhores amigos num piscar de olhos, no quanto todos eram tão legais, tão bonitos, com sorrisos tão estonteantes. Com a exceção das vilãs da história, que nem eram assim tão más, foi difícil identificar personagens que carregassem alguma carga emocional forte ou defeitos e desvios de caráter que são importantes para aproximar a trama da realidade.

Muita gente me pergunta por que na capa a personagem usa um chapéu de bruxa. Eu mesma fiquei sem entender quando vi Graciela na Bienal com um micro e fofinho chapéu de bruxa na cabeça, levando em consideração que ao ler a sinopse, nada me remeteu ao tema.

Bom, esclarecendo, na história Flávia descobre ser descendente de uma poderosa família de bruxas. Isso por si só já seria interessante, certo? Eu sou doida por bruxas e geralmente livros de bruxas envolvem muitos feitiços, traições, aventuras, mortes, etc. Talvez por isso que eu tenha criado expectativas enormes sobre a trama e tenha esperado o tempo todo "algo" bombástico acontecer. Sei que não devemos criar expectativas e que elas podem ser muito traiçoeiras, mas não pude evitar.

Mas não se assustem, o livro não é ruim. Acima apenas expus a minha opinião a respeito de aspectos do desenvolvimento da obra e das coisas que não gostei, mas gostar ou não é algo extremamente relativo, já que irá depender da identificação que cada um terá com a história ou com os personagens. Importante ressaltar que o texto da Graciela é bem escrito, leve, com uma linguagem informal, jovial e cheio de gírias, bem como eu gosto.

Só posso incentivar vocês a lerem e tirarem as suas próprias conclusões. Espero que gostem e se apaixonem pela história como sei que muitos se apaixonaram.

Até eu te encontrar - Graciela Mayrink
Editora Novo Conceito
384 páginas
Comprar: Saraiva

18 comentários

  1. AI – MEU – DEUS- DO- CÉU! Não acredito que conheci outra pessoa que também não gostou tanto desse livro. Me sinto super estranha em dizer isso porque em todos os outros blogs só vejo elogios e resenhas altamente positivas. Particularmente, estou até agora sem entender a razão de tanto confete em cima dessa história. Estranhei muitíssimo o começo do livro, com os personagens aparecendo do nada na frente da Flávia (em qualquer virada de corredor ela fazia um “amigo”) e engatando um monte de diálogos que nunca davam em lugar nenhum. De resto, me decepcionei. Achei que a personagem da Sônia podia ter sido muito mais interessante, com todo aquele perfil místico e a ligação imediata que desenvolveu com a Flávia. A questão da protagonista se sentir atraída pela antiga cidade da mãe, descobrir uma série de fatos reveladores sobre a identidade da família e dela mesma também merecia uma carga emocional muito maior. Ninguém descobre fatos tão fora do comum sobre a própria mãe e vai nadar numa cachoeira na maior calma do mundo. E nenhum dos “pares” da Flávia conseguiu me encantar, diga-se de passagem. Sei lá, não estou desmerecendo o trabalho da escritora, mas acho que tem coisa melhor entre os nacionais. “Azar o Seu”, da Carol Sabar é fofo demais. :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkk pois é amiga.. senti exatamente o mesmo que você e também me achei uma ET por só encontrar resenhas extremamente elogiosas na blogosfera pensando qual era o meu problema.. kkk Pelo visto realmente temos um gosto bem parecido né?! Lembro de ter visto em algum lugar sua pergunta sobre o que eu tinha achado do livro, mas estou com todos os comentários do blog atrasados e acabei não conseguindo te responder.. mas agora você já descobriu.. hehe Obrigada por compartilhar a sua opinião. Beijos

      Excluir
  2. ahahahah que legal!!!! Fiquei com vontade de ler!!! Não sou mto fã de obras brasileiras ... mas fiquei curiosa <3 ótima Resenha ^^

    http://paprica-doce.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Oi Mi , ja falamos sobre mas vim conferir sua resenha , ao contrário de vc eu realmente adorei o livro , talvez pq tenha pego ele depois de uma leitura muito tensa e conflitante , ele me tirou bons sorrisos , um livro leve , e a forma de bruxaria abordada beeem sutilmente a ponto de me encantar...De qualquer forma vou continuar indicando livros heim !! Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Nathi, pois é, muitos porquês podem ter acontecido para você se conectar com a história e eu não.. é uma pena quando isso acontece, mas esperava mais da história. De qualquer forma gostei da escrita da autora. Claro, continue recomendando sim, afinal, gosto é algo muito particular de cada um. Beijos

      Excluir
  4. Oi Mi, tudo bem? Eu li esse livro antes dele ser publicado pela Novo Conceito e gostei bastante.

    Também acho que alguns pontos foram explicados de forma superficial, e senti esse "muita fácil" que você falou. Mas ainda assim achei a narrativa da autora bem gostosa e curti o casal principal - pelo menos na maioria do tempo, hahaha

    Sobre a parte mistica acho que foi um erro da Novo Conceito focar no lado "bruxa" do livro, até porque isso é um detalhe da trama, algo que deveria ser mais natural e tal, mas a impressão é que eles focaram nisso, tipo, só nisso sabe? Tanto é que prefiro a capa da primeira edição, você já viu?

    Beijos

    Pah, Livros & Fuxicos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Pah, também curti a escrita da autora, e confesso que gostei muito mais da Flávia com o Felipe do que com o Luigi, mas concordo, a NC errou feio em divulgar o livro focando na "bruxaria". A autora depois conversou sobre isso comigo em off e percebi que muito da expectativa que criei e, posteriormente, da frustração que senti, foi devido a isso. Uma pena. Beijos

      Excluir
  5. Eu também vi esse livro na Bienal.. mas não peguei q autora lá..

    fiquei interessada, depois que contaram a historia e tal.. mas acabei não levando porque meu forte não é romance... esse é o gênero da Laura.

    Adorei a resenha, você criticar certos pontos do livro, não quer dizer que ele é ruim.. Muitas pessoas não conseguem entender a diferença..

    <3

    http://www.everylittlebook.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade Lud, o povo não entende mesmo.. existem os livros ruins.. e existem os livros que possuem alguns pontos que poderiam ser melhores desenvolvidos na opinião do leitor.. e isso não significa que o leitor seja o dono da razão. São apenas opiniões. Por isso sou sempre da teoria de que cada um deve ter a sua própria opinião e, para isso, todos devem ler o livro em questão.. hehe Beijos

      Excluir
  6. Estou com o livro aqui já faz muito tempo
    Mas ainda não tive tempo de ler
    Gostei bastante da sua resenha

    Beijos
    @pocketlibro
    http://pocketlibro.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero que goste. Beijos e boa leitura.

      Excluir
  7. Oi Mi,
    tudo bem?
    A história parece ser bem estilo aquele seriado, não sei se já viu, "Sabrina", ela também era uma bruxinha, bem moderna, e super atrapalhada. Não sei se essa personagem irá se descobrir uma bruxa também, mas achei bem fofinho esse enredo.
    Beiinhos.
    cila-leitora voraz
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai eu amoooo Sabrina, era super viciada.. mas Sabrina foca na bruxaria, e o livro não.. foi isso que senti falta.. Mas de um modo geral ele é fofo sim. Espero que goste. Beijos

      Excluir
  8. Menina, eu tô enrolando pra ler esse livro, mais que criança que tem que estudar pra prova em dia de sol, rs.
    Sua resenha só vai me ajudar a enrolar mais um tiquinho, porém, vou ler sim, e claro tirar minhas conclusões.
    Adorei a resenha!!!

    Bjkas

    Lelê Tapias
    http://topensandoemler.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkk Nem fala, isso acontece comigo também, de às vezes enrolar alguma leitura que há séculos está na minha estante.. hehe Beijos

      Excluir
  9. Oi Mih!
    Nossa, e eu gostei tanto desse livro! Achei a leitura muito fluída, a narrativa bem gostosa e a história bem interessante, mas talvez seja porque eu não criei muitas expectativas (apesar de ter ficado louca para ler o livro depois que eu conheci a Gra!)

    Pena que não foi tão gostosa pra você como foi pra mim, mas acontece!
    Beijinhos,
    May :*
    {tagarelando.net}

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi May, fico feliz que tenhas gostado. Infelizmente isso realmente acontece de vez em quando, né?! hehe Beijos

      Excluir