Resenha - Filme O Hobbit: A Desolação de Smaug

Resenha Filme O Hobbit A Desolação de Smaug
ATENÇÃO! Esta resenha pode conter spoilers do 1º filme de O Hobbit. Leiam por sua conta e risco.

Leiam AQUI a resenha do filme de O Hobbit: Uma Jornada Inesperada.

Em O Hobbit, a Desolação de Smaug, a aventura de Bilbo, Gandalf e os treze anões continua. A trupi está cada vez mais perto de Erebor, porém, tendo que enfrentar ameaças ainda mais mortais.

Logo depois de se refugiarem na casa de Beorn por causa de mais um ataque dos orcs, o grupo segue em rumo à Floresta das Trevas. Chegando lá, precisam enfrentar aranhas gigantes sem a ajuda do Mago Cinzento, que os deixou para investigar o ressurgimento de energias malignas na Terra Média.

Chegar até Erebor será realmente um grande desafio, incluindo escapar da morte diversas vezes e dos Elfos da Floresta. Mas a grande empreitada, no final, será conseguir encontrar a entrada secreta da montanha e capturar, finalmente, a pedra Arken para que Thorin recupere seu lugar de direito como Rei dos anões. Será que Bilbo e os anões sairão bem sucedidos nessa missão? Vejam e descubram!

***

Hoje, dia 13/12/2013, estreia nos cinemas do Brasil o filme O Hobbit: A Desolação de Smaug, praticamente 1 ano depois do lançamento de O Hobbit: Uma Jornada Inesperada. Tive a oportunidade de assisti-lo na terça, numa cabine de imprensa do Espaço/Z com o Junior e na versão 3D.

Estava com grandes expectativas para saber o que iríamos descobrir nesse filme, mas como em qualquer filme que se trata apenas de uma continuação, há muita encheção de linguiça na história. A trama dá voltas e voltas para chegar ao final que serve de gancho para o desfecho da trilogia, onde espero que as coisas de fato aconteçam.

Apesar disso, eu gostei bastante de O Hobbit: A Desolação de Smaug, que começou com um prelúdio mostrando o início da missão de Thorin. Bilbo roubou completamente as cenas. O personagem amadureceu muito de um filme para o outro e se tornou um grande herói. Em contrapartida, Thorin caiu um pouco no meu conceito, tendo em vista que ficou ainda mais ganancioso e egoísta, desacreditando inúmeras vezes no potencial de Bilbo e nas suas intenções e colocando-o em risco.

Também achei legal o fato de descobrirmos como o mal ressurgiu na Terra Média, afinal, os filmes de O Hobbit servem como um introdutório para as guerras todas que ocorreram em O Senhor dos Anéis. A Desolação de Smaug teve um acréscimo de três personagens novos: Tauriel e Legolas, Elfos da Floresta; e Bard, um humano descendente de um guerreiro que tentou matar o dragão na época do ataque à Cidade do Lago.

As cenas de ação estão eletrizantes e os efeitos especiais estão ótimos. Pena que achei os óculos 3D do cinema que fomos péssimo, portanto, não consegui ver nenhum diferencial no filme por ser feito em 3D, já que meu óculos estavam um borrão de sujo e eram minúsculos. Diferentemente de Uma Jornada Inesperada, A Desolação de Smaug possui muito mais cenas de lutas e fugas do que de histórias. Particularmente eu prefiro muito mais saber curiosidades e detalhes sobre o enredo, como aconteceu no primeiro filme, mas quem curte aventura e cenas de ação vão adorar esta continuação.

Novamente, esta sequência foi extremamente longa, de forma desnecessária, assim como todos os outros filmes da franquia, como se fosse uma marca registrada. Na minha opinião, o filme poderia ter acabado depois de 1h30, ou então já ter seguido direto para o final. E falando nele, a conclusão de O Hobbit: A Desolação de Smaug foi de tirar o fôlego dos telespectadores, chegando a dar raiva ao lembrarmos que somente ano que vem iremos descobrir como as coisas irão terminar.

Quem está aqui louco para assistir a esta continuação? Assistam, pois com certeza é diversão garantida para toda a família! 

* Agradeço ao Espaço/Z por ter me proporcionado assistir ao filme em primeira mão, numa cabine de imprensa VIP.

Título original: The Hobbit - The Desolation of Smaug
Roteiro: Fran Walsh, Guillermo del Toro, J.R.R. Tolkien, Peter Jackson, Philippa Boyens
Direção: Peter Jackson
161 minutos

TRAILER

10 comentários

  1. Oi, eu ainda não assisti o primeiro. Esse ano eu estou muito desatualizada quando se trata de filmes, mas pretendo me atualizar nas férias.

    Obrigada pela dica.

    Beijos.

    http://livrosleituraseafins.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que pena, mas se o gênero te atrai Aline, assista os dois porque irá gostar. Nada melhor do que as férias para colocar as coisas em dia.. kk Beijos

      Excluir
  2. Levei até um susto agora. Olhei o titulo e como assim? Onde foi que você assistiu? Só depois que fui ver hehehehhehe. Estou muito ansiosa, mas já sei que por ser o filme do meio vai ter umas enrolações mesmo. Eu nem achava que tinha história para 3 filmes, mas...


    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkk pois é.. graças a esse grupo que participo consigo ver a maioria dos filmes das pré-estreias para a imprensa.. muito legal. Sim, também não acho que a história comporte 3 filmes, mas sabe como é.. bilheteria boa.. hehe Beijos

      Excluir
  3. Oi Mi :)

    Eu não estou nem um pouco empolgado com esse filme e confesso a você que provavelmente verei Carrie ao invés dele. Uma características do Peter e dirigir os filmes com essa enrolação aparente. Beijos!

    http://euvivolendo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Gabriel, infelizmente não deixa de ser verdade.. mas independente disso, eu veria de novo, porque gostei muito da interpretação dos atores. Beijos

      Excluir
  4. Querida, é claro que é longo. Você já leu o livro? Aquilo ali foi quase 40 paginas, apenas. O livro conta muita coisa e se o diretor for compactar o filme, vai tirar muitos detalhes e decepcionando muitos fãs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Anônimo, não li e não pretendo, infelizmente não consegui gostar da narrativa do autor. Mas isso vai do gosto pessoal de cada um. Bom, a minha resenha nada mais é do que o relato das minhas impressões pessoais sobre o filme, em nada relacionado com o livro, já que não li.. portanto, não estou falando como uma fã, feliz pelo diretor ter inserido tantas situações similares a história, pelo que você comenta, e sim como uma telespectadora que se sentiu levemente cansada por quase 3h de exibição. Porém, como disse, o filme vale a pena sim, principalmente pela interpretação do Bilbo que adorei. Beijos

      Excluir