Resenha - Caçadora de Unicórnios

Resenha Caçadora de Unicórnios"Esqueça a lenda. Unicórnios não são fofinhos. Nem alados. Muito pelo contrário: são cruéis, carnívoros e venenosos. É o que Ariel cansou de ouvir de sua, digamos, "um pouco obcecada" mãe. Ao que parece, as duas fazem parte de uma longa linhagem de caçadoras de unicórnios, descendentes de Alexandre, o Grande. Ah, e o Bucéfalo? O famoso cavalo do mais temido conquistador da história? Sim, você adivinhou... Unicórnio. Claro que Astrid costumava zombar dessas excêntricas histórias - até que o namorado foi atacado por um... pônei com chifre? E salvo do estranho veneno por uma droga milenar, um remédio mítico feito à base de unicórnios e guardado com zelo insano pela mãe de Astrid. Por isso, agora ela está indo para um claustro em Roma. Um antigo centro de treinamento para caçadoras. No entanto, na antiga Ordem da Leoa, nem tudo é o que parece. Fora de seus muros, os unicórnios esperam para atacar. E dentro, Astrid enfrenta outras ameaças inesperadas: paredes cobertas de troféus de caça vibram com um poder terrível, as outras caçadoras, e até mesmo seus patrocinadores sugerem intenções escurssas; mas o mais perigoso talvez seja a atração crescente por um estudante de arte... uma atração que pode pôr tudo a perder..."
Quem aqui gosta de unicórnios? Eles são sempre tão fofinhos, com aquele pelo branco feito nuvem, e aquele chifre reluzente e mágico, certo? E se eu dissesse que todos nós fomos enganados durante todos esses anos acreditando em lendas forjadas há séculos? E se eu revelasse o quão vis e sanguinários esses bichos são, vocês acreditariam?

Astrid nunca acreditou. Na verdade ela nunca acreditou que os unicórnios sequer um dia existiram, antes de serem extintos, ou que era uma caçadora de unicórnios descendente de Alexandre, o Grande. Sempre duvidou dos absurdos ensinados por sua mãe Lilith, uma pesquisadora que já tinha sido taxada como louca pela sociedade científica e por sua família desde que começou a insistir nessa história de unicórnios.

Astrid era uma menina de 16 anos que só desejava ter uma vida normal, ser um pouco mais popular no colégio, ir com o namorado no baile de final de ano e fazer medicina. Até um zhi aparecer bem em sua frente, no meio de uma floresta escura e atacar seu namorado até a morte. Ali, Astrid não pôde mais ignorar o que os seus olhos viram. Os unicórnios de fato existiam e ao que parecia, estavam ressurgindo.

Cada vez mais relatos de ataques de "animais selvagens" estavam surgindo na mídia e o mundo, mesmo sem saber, precisava da ajuda das caçadoras de unicórnios. Assim que soube, Lilith não deu nem chance de Astrid digerir a ideia, enviou a menina para Roma, aos cuidados de pessoas que nem ao menos conhecia, para ser treinada no Claustro de Ctésias, o antigo Convento da Ordem das Leoas.

Lá, juntamente com Phil, sua prima, e algumas outras caçadoras entre 12 a 19 anos, Astrid aprendeu que, muitas vezes, não temos como escolher nosso destino e que devemos abdicar de nossos sonhos, nossa vida e nossa segurança e, quiçá, do amor, em prol de algo muito maior.

Será que Astrid conseguirá aniquilar estas feras ou será vencida pelos seus próprios temores? Leiam e descubram!

***

Caçadora de Unicórnios, de Diana Peterfreund, é um livro que me prendeu desde quando soube de seu lançamento, pela Editora Galera Record. Não só pela capa linda, ou pela sinopse instigante, mas principalmente pela ousadia da autora em tratar sobre esse tema de forma tão criativa e original. Quando pude imaginar unicórnios como feras bestiais? Achei isso o máximo.

A história é narrada em primeira pessoa por Astrid e tem um texto tão gostoso e fácil de ser lido que me envolveu desde as primeiras linhas. Criei uma empatia tremenda por Astrid, por sua doçura e vulnerabilidade, por suas dúvidas e por sua coragem. Posteriormente, fui conquistada por Phil, pela sua força interior, alegria de viver, grandes ideais e nobreza de caráter. Infelizmente não posso dizer o mesmo de Lilith, mãe de Astrid que, apesar de ter sido muito bem escrita, se tornou para mim uma personagem detestável em razão de seu egoísmo e mesquinharia. Que raiva que tive dessa mulher, mas no final, pelo menos, ela aprendeu a lição, mesmo que da pior forma.

Caçadora de Unicórnios me lembrou muito do filme Como Treinar Seu Dragão, tendo em vista que as caçadoras nada sabem sobre os animais que precisam caçar, baseando-se apenas em relatos históricos encontrados em livros mofados e praticamente ilegíveis. Portanto, juntamente com elas, vamos descobrindo pouco a pouco maiores detalhes sobre as raças dos unicórnios, seus hábitos, assim como sobre os poderes das caçadoras e estratégias de batalha, e dos porquês de muitas coisas.

Nada do que eu disser aqui para vocês vai traduzir o quanto gostei desse livro e o quanto me entreguei à história. Para mim, Caçadora de Unicórnios é um livro completo, pois tem romance, drama adolescente, ação, aventura, mistérios e conspirações, além de mitologia e relatos históricos acerca de crenças europeias, sem contar que boa parte da história se passa em Roma. Tem como querer coisa melhor?

Agora estou ansiosa esperando pela continuação que não tenho nem ideia de quando será lançada no Brasil. O que posso dizer é que leiam e entreguem-se a essa aventura assim como eu fiz. Quem sabe depois desse livro vocês passem a encarar os unicórnios com outros olhos? kkk

Caçadora de Unicórnios - Daiana Peterfreund
Livro 01 - Ordem da Leoa
Editora Galera Record
364 páginas
Comprar: Saraiva

13 comentários

  1. Oi Mi! Estava mesmo querendo saber mais deste livro, nunca li nada da autora, nem nada sobre unicórnios, então estava com o pé atrás se iria gostar, mas vendo que tem todos os elementos que você citou, além de personagens cativantes, vai entrar na meta de 2014.
    Bjos!!
    Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eba Cida, fico feliz em saber e espero que você se apaixone tanto quanto eu. Beijos

      Excluir
  2. Ai que tudo!! Eu não imaginava nada disso.
    Nem sei bem o que exatamente eu imaginava, mas com certeza eu achava que não iria curtir. Agora a coisa mudou totalmente de figura.
    Resenha perfeita, me fez além de mudar de opinião sobre o livro, querer ler logo!!

    Amei

    Bjkas

    Lelê Tapias
    http://topensandoemler.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lelê, fico feliz em saber. Beijos e boa leitura.

      Excluir
  3. Nossa, já estou apaixonada por esse livro! Instigante e devo acrescentar que vou ler. Bjs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que legal. Espero que curta tanto quanto eu. Beijos

      Excluir
  4. Humpf...Humpf...Não sei se leio ou não leio. Me parece interessante, mas eu ando meio enjoada desse tipo de livro entende? Talvez fique para depois. Não que a gente concorde em tudo, mas essa tua opinião positiva me faz pensar que o livro é no mínimo interessante. Talvez eu até compre um dia desses. :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkk Então Laís, confesso que nunca li nada parecido e tão completo. Talvez este livro tenha sido a leitura de que precisava no momento, e talvez por isso tenha amado tanto. Mas só você lendo para saber se irá gostar né?! Beijos

      Excluir
  5. Nossa! Vou adicionar pra minha lista de desejos! Amo livros desse estilo! Beijinhos, Mi :3

    ResponderExcluir
  6. É meu tipo de livro, sem contar que adoooroo "Como treinar seu dragão", e claro que unicórnios que não soltam estrelinhas quando cavalgam são bem mais legais de se ler, rsrs. Na minnha lista!!!

    ResponderExcluir
  7. Oi :) Tudo bem?
    Comecei a ler esse livro o ano passado, mas em e-book no telemovel e apesar de estar a gostar bastante acabei por abandonar. Mas agora que tenho o meu Kindle pretendo ler finalmente até ao fim :)
    Beijo
    www.fofocas-literarias.blogspot.pt

    ResponderExcluir
  8. Muito interessante. Gosto muito de ficção fantastica e acho q vou amar. Já estou no segundo capitulo.

    ResponderExcluir