Resenha - Paixão Sem Limites

Paixão sem limites Abbi Glines New Adult Romance eróticoATENÇÃO! ESTE LIVRO POSSUI CONTEÚDO ADULTO. PORTANTO, CASO VOCÊ SEJA MENOR DE IDADE E DECIDA MESMO ASSIM LER A RESENHA OU O LIVRO, ESTEJA CIENTE DISSO.

Blaire está passando por um momento muito difícil em sua vida. Depois de perder sua mãe para o câncer, se vê sozinha e sem ter onde morar, já que precisou vender todos os seus bens para pagar as despesas médicas de Rebecca. Em razão disso, é obrigada a procurar o pai, com quem não falava há anos, desde que o mesmo havia as abandonado e sumido de casa, logo após o falecimento de Valerie, sua irmã gêmea.

Ao chegar na Flórida, horas de viagem de Alabama, Blaire descobre que seu pai não está em casa. Ele simplesmente foi viajar com a sua madrasta sem avisar e sem se preocupar com a chegada da menina. Mas Blaire já devia ter imaginado, tal negligência era típica de Abe, um homem oportunista e pouco preocupado com os outros ao redor.

Blaire se vê forçada a entrar de penetra na casa da nova família do pai, bem em meio a uma festa, para se apresentar e pedir um lugar para ficar. Lá ela conhece o gatíssimo e misterioso Rush, que a destrata de imediato, e a humilha, despachando-a para o quartinho da empregada que ficava abaixo da escada.

Blaire sabe que aquele não é seu lugar nem a  sua realidade, e vai atrás de emprego assim que possível para juntar um dinheiro e poder alugar seu próprio apartamento para voltar a cuidar sozinha da sua vida, como sempre fez. Mas seus planos não saem como imaginado. A convivência diária com Rush acaba aproximando-os e fazendo nascer uma paixão devastadora e completamente proibida. Rush esconde um segredo que será capaz de destruir o coração de Blaire caso ela descubra.

Será que Blaire conseguirá resistir às investidas de Rush ou irá tão fundo nessa paixão que não será capaz de se salvar? Leiam e descubram.

***

Oi pessoal, hoje trago para vocês a resenha do tão falado Paixão Sem Limites, da Abbi Glines, que tem levado tantas meninas a loucura. Fazia tempo que estava ansiosa para ler Paixão Sem Limites, desde quando li a resenha dele escrita pela Pah, do Blog Livros & Fuxicos. Já sabia que deveria lê-lo de mente aberta e que não poderia esperar muito da história, mesmo assim, fiquei chateada comigo mesma por não ter gostado tanto quanto eu imaginava que fosse gostar.

O texto é narrado em primeira pessoa por Blaire e, de imediato, conseguimos nos conectar com seu sofrimento, inseguranças e desejos. Blaire é uma menina muito doce e ingênua, fácil de gostar logo de cara, ao contrário de inúmeras protagonistas femininas que costumam me irritar quase sempre, então para mim, este foi um ponto a favor.

Rush é o badboy da história, o "fodão", o "comedor de mulheres", que transa sem nenhum compromisso e que descarta suas presas com a maior facilidade. Mas no fundo, ele mesmo descobre ser capaz de amar e se importar com alguém além de sua irmã Nan, e isso fez com que eu o olhasse com outros olhos no decorrer da trama. Outro ponto positivo. Mas as minhas perguntas são: por que sempre amamos os badboys? Por que sempre suspiramos por amores explosivos e que sempre nos fazem sofrer no final? Por que este é um padrão com o qual sempre nos identificamos nas histórias? Isso é algo muito preocupante para mim, sério, e estou ficando de saco cheio disso.

Paixão Sem Limites é um livro clichê, que fala sobre uma história de amor proibida e dramas familiares. Enquanto lia, tive a impressão de ler Belo Desastre, sem as cenas violentas, ou então Cinquenta Tons de Cinza, sem as cenas de sadomasoquismo. Seu texto para mim foi um pouco confuso no sentido de misturar tantas referências adolescentes e puras, numa narrativa tão fácil de ser lida e absorvida, com trechos absurdamente adultos, com palavreados chulos e cenas de sexo explícito. Achei essa mistura forçada e pouco convincente. Particularmente, quando leio algo, gosto de ler ou uma leitura bem juvenil, ou uma leitura mais adulta. Não gosto quando ambas se misturam. Aliás, não acho que essa mistura combine.

Outras coisas que me incomodaram foram situações ocorridas no decorrer da história como, por exemplo, o fato da Blaire portar uma arma e sair apontando para as pessoas em seus momentos de fúria, e se vangloriar sobre o fato de saber atirar melhor do que qualquer marmanjo. Fala sério! Achei algo tão artificial e forçado! Isso realmente acontece nos EUA? Porque do jeito que nos mostram nos filmes e livros dá a impressão de que sim.. e de que as pessoas por lá são muito sem noção. E a cena do emprego, em que a Blaire é contratada num piscar de olhos somente por ter um rostinho bonito? Quisera eu que as coisas fossem tão fáceis.

Apesar destes pormenores, preciso dizer que o texto é sim viciante! Eu comecei a ler e não consegui parar até terminar. Eu precisava descobrir qual era o segredo do qual todos sabiam menos a Blaire e eu e, obviamente, fiquei torcendo do início ao fim para que Blaire e Rush ficassem juntos, afinal, a química deles era perfeita, e eu sou uma romântica nata e iludida que me derreto por cenas de paixões tórridas e sempre acho que o amor pode resolver tudo e vencer qualquer barreira. Pena que o mundo adulto me ensinou que nem sempre isso acontece.

De qualquer forma, Paixão Sem Limites parece ser o tipo de livro pelo qual a maioria se apaixona e suspira, e não sou hipócrita, pois também me incluo nesse balaio. Por isso, o que posso dizer é: deem uma chance ao livro, leiam e tirem suas próprias conclusões. Sei que muitos vão amar demais e outros vão se sentir incomodados com alguns aspectos como eu fiquei, apesar de no fundo ter sim gostado do livro, de um jeito meio torto. Tanto é que estou ansiosa para ler a continuação e descobrir o que vai acontecer com o casal. 

A título de curiosidade, Paixão Sem Limites é o primeiro livro de uma trilogia. Ainda não tenho informações a dar a respeito das continuações, chamadas Never Too Far e Forever Too Far, que já foram publicadas nos EUA.

Paixão Sem Limites - Abbi Glines
Livro 01
Editora Arqueiro
192 páginas
Comprar: Saraiva

19 comentários

  1. Que bom que pelo menos você não odiou o livro né?! Tens razão no que dissesse a respeito das atitudes da Blaire, esse negócio da arma eu gostei de começo mas também acho que depois ficou um pouco demais, e essa do emprego você tem absoluta razão, só porque o rostinho dela é lindo é contratada de cara, onde é que isso acontece? Mas divergências à parte eu amei o livro e não vejo a hora de ler o segundo, que pelo que vi será lançado em fevereiro.
    Beijos, Greice.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi amiga, não, eu não odiei o livro, só me senti incomodada em muitas partes. Também quero ler o segundo só para descobrir o que afinal aconteceu.. kkk Bom saber que as previsões são para fevereiro. Beijos

      Excluir
  2. Olá, eu tinha interesse em ler esse livro, somente pelo titulo, depois da sua resenha fiquei mais curiosa ainda. Espero conseguir ler em breve, e colocarei aqui o que achei do livro.

    ResponderExcluir
  3. Eu vi um monte de gente falando desse livro mas sinceramente não me interessei. Acho que tem muito do mesmo ultimamente. Agora lendo a sua opinião que não vou ler mesmo. Sei que você gostou de Cinquenta tons, mas eu achei tão fraco.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Sil, também acho que esse tema tá muito batido.. quando algo vira modinha, explodem livros no mesmo estilo por aí.. Sim, eu adorei Cinquenta Tons principalmente pelo fato de ser uma fanfic de Crepúsuculo e de ter melhorado a história, ao meu ver.. mas esses tipos de livro não são para todos os gostos mesmo. Se você não curte, melhor não insistir. Beijos

      Excluir
  4. Nossa Mirelle, me bateu uma curiosidade!!!Vou comprar esse livro para descobrir o segredo, mais quanto as armas realmente é algo preocupante, tomara que não seja costume dos adolescentes dos EUA, já pensou se a moda pega?Deus nos livre!Sabia que agora não consigo mais ficar sem vir aqui ler suas resenhas?Adorando, beijos!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Mila, essa coisa de armas realmente me preocupa, assim como esses comportamentos obsessivos e doentios de muitos jovens.. ainda mais vendo esses padrões cada vez mais frequentes em livros, uma pena. Ai que coisa gostosa de se ler, obrigada, ganhei o dia. Fico feliz em saber que você gosta das minhas resenhas. Beijos

      Excluir
  5. Laís Souza22/11/2013 17:44

    Já tinha visto o PDF flutuando pela internet, mas, francamente, esse livro não me chama a menor atenção. Tenho achado essas tramas extremamente repetitivas e os "badboys" me parecem todos iguais. Apostei em algo bem mais leve e estou lendo a tão falada coleção Fazendo Meu Filme, da Paula Pimenta. Comprei a coleção toda numa tacada só e tinha grandes suspeitas de que ia me arrepender porque o começo do primeiro livro é muito infantilizado e bobo. Mas à medida em que se vai mergulhando no cotidiano da Fani, a gente entende o sucesso. Vai ficando viciante mesmo. Acho que não vou ler esse "Paixão sem limites". E também é uma série, né?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, Paixão Sem Limites é uma trilogia. Sério que tu tá gostando de Fazendo Meu Filme? Bom saber, porque levo muito em consideração a tua opinião. Teve uma vez, faz tempo, que eu peguei o livro na livraria e folheei, e achei justamente isso, bobo e infantilizado e nem me atrevi a seguir adiante. Mas se tu diz que é bom.. acho que vou esperar tu ler todos para me dizer se vale a pena.. kkk Beijos

      Excluir
  6. Oi Mi,
    tudo bem?
    Estou muito ansiosa para ler esse livro. As primeiras resenhas que eu li, foram todas positivas e todas me deixaram suspirando........
    E, então, me deparo com sua opinião que realmente me fez refletir: porque nós gostamos daqueles caras que não nos merecem? Acho que quem escreve esses livros, são pessoas super românticas que gostariam de mudar a realidade, por isso que o bad boy sempre se regenera no final. E o que falou d arma, realmente me incomodou.
    Mas quero continuar suspirando.....
    beijinhos.
    Cila- Leitora Voraz
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Cila, pois é, aconteceu o mesmo comigo, só li resenhas positivas e fiquei doente para conferir a história. Sim, pode ser que seja por isso que existam tantos badboys famosos por aí.. kkk eles não deixam de ser apaixonantes.. o problema é que na maioria das vezes já caímos de amores por eles quando ainda são cafajestes..complicado isso.. kkk Beijos

      Excluir
  7. Vixe Mi,

    Solicitei esse livro da editora mas não imaginava esse lado adulto do livro,
    agora fiquei um pouco receosa com a leitura, mas vou esperar pra ver né?? Sei lá, apesar de tudo eu curti Belo desastre e não odiei 50 tons (só a Abby), quem sabe né?
    Vou aguardar meu exemplar

    http://soubibliofila.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Del, juro que nem eu imaginava.. fiquei meio chocada.. e olha que não tenho nada contra livros adultos, só realmente não esperava.. mas você terá que ler para saber né?! E espero que goste. Beijos

      Excluir
  8. Ai Mi! Que conflito, agradou e desagradou? Eu ainda não recebi o meu, mas tenho visto o furor que este lançamento causou, e sua resenha serviu para deixar minhas expectativas mais baixas, e quem sabe não tenho uma decepção, mas pode ser que também fique gamada. Só sei que depois desta sua resenha detalhada e cheia de emoção, eu preciso tirar minhas conclusões.
    Bjos!!
    Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Cida, põe furor nisso.. kkk Paixão Sem Limites virou um segundo Belo Desastre pela Blogosfera.. não me admira que eu tenha ido com tanta sede ao pote.. isso, faz isso.. é bem mais provável que você consiga apreciar a obra sem criar grandes expectativas em torno. Beijos

      Excluir
  9. Estou louca por esse livro
    Parece ser realmente muito bom
    Espero que a Arqueiro aceite minha solicitação

    Beijos
    @pocketlibro
    http://pocketlibro.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. Pelo visto não vai ser um livro que vou gostar muito, assim como vc disse, para mim os livros também tem que ou adultos ou juvenis, separadamente, sou romântica sim, mas não gosto de mocinhos demais, ou badboys demais, acho que tds temos os dois lados, por isso adoro a série 50 Tons... Fora da minha lista (por enquanto)!

    ResponderExcluir