Escolhas Infelizes...

Quem nunca na vida fez uma escolha infeliz, como por exemplo, pintar o cabelo de vermelho sem levar em consideração que essa cor em nada combina comigo? Ou então, fazer um piercing no umbigo aos 14 anos que ficou inflamado por 7 meses e teve que ser retirado posteriormente por uma microcirurgia e curetagem? Não calma, tenho uma bem melhor, a suprassumo das escolhas infelizes: Noivar aos 15 anos de idade (sim, é verdade!) jurando que "ele" seria o grande amor da minha vida.

Desde pequena, olho para o céu e fico traçando planos para meu futuro, tentando desesperadamente concretizá-los com o passar dos anos. Mas isso é impossível. A vida adora brincar conosco, adora mostrar que está no comando e não se sente satisfeita de tirar nosso tapete incessantemente, nos levando por caminhos tortuosos por meio de raquetadas, como se fôssemos bolinhas de ping-pong.

Ela nos obriga a criar novas rotas de fuga, ela faz pouco caso de nossos desejos e ela não nos dá tempo de nos lastimarmos por nossas escolhas. Ela é dura, mas ela é sábia. Sempre me pergunto como seria se lá, no passado, eu tivesse o poder da vidência e soubesse como seria a minha vida hoje. Será que teria feito as mesmas escolhas, ou melhor, será que gostaria de estar onde estou?

Chega uma hora em que a gente cansa de viver do "e se". "E se" eu não tivesse me mudado para Santa Cruz, será que teria conhecido meu melhor amigo? "E se" eu tivesse ido para a Itália ao invés de ir para Torres, será que teria conhecido meu marido? Mas "e se" eu não tivesse engordado e feito a cirurgia bariátrica, será que teria me tornado uma pessoa mais humana e sensível ao drama alheio, ou teria me mantido petulante, arrogante e insensível como fora na adolescência?

Depois de velha começo a me perguntar: "Será que a vida não é feita de escolhas infelizes?", ou melhor, "Será que não são essas escolhas infelizes que tornam a nossa vida feliz?" Sempre penso que tudo ocorre por um motivo. Sempre penso que a vida é tão perfeita que não deixa furos. Somos o reflexo de tudo o que fazemos, desde as coisas boas, até as coisas ruins. O difícil é, na hora do aperto, tirar boas lições do ocorrido e manter-se otimista. Mas, ao olhar para trás e analisar os caminhos que percorri, só tenho certeza de uma coisa: faria absolutamente tudo de novo, e de novo, e de novo.

Mirelle Candeloro
06/11/2013

* Texto escrito por mim, Mirelle Candeloro, inspirado nos dramas vividos por Lottie e Fliss, personagens do livro A Lua de Mel, de Sophie Kinsella.

* Escolhas Infelizes está participando do Concurso Cultural de Aniversário de 5 anos do Blog Depois dos Quinze, da Blogueira Bruna Vieira. Participem também.

* Com este texto estou concorrendo ao exemplar do livro De Volta Aos Quinze, da Bruna Viera, lançado pela Editora Gutenberg. - Quero tantooo!

29 comentários

  1. Amei o texto Mi!!!!!!!!!!!!

    Bjus
    http://infinitoparticulardoslivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Nossa Mi,

    Adorei o texto, pelo menos algumas vezes na vida fazemos escolhas infelizes! Já fiz várias!

    Beijinhos

    As Leituras da Mila

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Miche, quem nunca fez né?! hehe Beijos

      Excluir
  3. Mi, parabéns, eu adorei ler este poste. Pois assim como você, também penso "e se" . Mas acredito que a vida é assim, cheia de surpresas, algumas boas ou não. Mas é por isso que somos o que somos, meros seres humanos.
    Eu até onde me lembro, não me arrependo de nada, pois tudo o que a vida me reservou foi um aprendizado, do qual hoje eu posso mostrar aos meus filhos. É claro que eles terão seus baques da vida, mas acredito, o que aprendi servira para eles também.
    Estou aqui torcendo por você para ganhar o livro!

    Beijokas Ana Zuky

    Blog Sangue com Amor

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ana, concordo, acho que todas as experiências são válidas e representam quem nós somos hoje. Eba, valeu pela torcida. Beijos

      Excluir
  4. Texto perfeito! Sem palavras!

    "Não basta querer contar algo, mas sim saber contar algo"

    eueminhacultura.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada pelo carinho, adorei suas palavras :) hehe Beijos

      Excluir
  5. Amei seu post! Ao longo de nossa vida traçamos planos daquilo que queremos fazer ou realizar, fiz muito isso na minha infância e adolescência, mas como tudo na vida não temos o que desejamos agora faço planos pro agora, pois são de ações presentes que vamos construindo o futuro. Bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade Jake, quase sempre esquecemos de viver o agora e lá no futuro tendemos a nos arrepender.. Mas é tão difícil.. parece que a natureza humana já nasce com uma tendência a viver o antes ou o depois, nunca o agora. Nós devemos tentar quebrar esse padrão. Quem sabe um dia. Beijos

      Excluir
  6. Ai Mi! Eu também já pintei o cabelo de vermelho, mas o problema não foi a cor, foi eu mesma querer passar uma cor dessas sozinha, sem ajuda de profissional. Eu comprei a tinta e fui toda metida passar, imagina, eu, aos treze anos me achando a esperta. Bom final de semana.

    Bjos!!
    Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkk que figura Cida, fiquei imaginando a cena.. no fim temos que rir ao nos lembrar dessas desastrosas situações, né?! hehe Beijos

      Excluir
  7. Texto incrível Mi, amei. Realmente quem nunca fez uma escolha errada que atire a primeira pedra aushaushas
    Eu não me arrependo do piercing que eu fiz por mais que ele vivesse inflamando u.u se eu pudesse hoje em dia o faria de novo, mas minha família é toda cheia de frescura com isso ainda mais por eu fazer faculdade de direito, mas se tudo der certo quando eu tiver minha independência faria de novo e ainda faria algo que muitas vezes as pessoas se arrependem: uma tatuagem

    http://worldbehindmywall.fanzoom.net/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi querida, confesso que hoje não faria novamente o piercing no umbigo por todas as complicações que ele me gerou.. mas faria de novo o da língua, que infelizmente fechou.. amava ele demais.. e o do tragus, que me torturou por quase 2 anos inflamando, não me arrependo jamais, pois adoro ele.. finalmente ele cicatrizou.. kk Também fiz Direito, me formei, passei na OAB, advoguei e trabalhei em diversos locais e sim, infelizmente, o povo do Direito é extremamente formal e preconceituoso e sempre tive que aparentar quem não sou, me vestindo de um jeito que não curto, escondendo minha tatuagem e piercings.. uma pena.. nunca vou esquecer de um dia que conheci um Juiz de cabeça raspada e cheio de tatuagens e achei o máximo.. depois pelos corredores do fórum só fiquei ouvindo maledicências sobre ele por causa disso. Uma grande de uma hipocrisia, fico revoltada com isso, como se a aparência nos diminuísse ou nos marginalizasse. Um absurdo. Espero que não aconteça com você. Beijos

      Excluir
  8. Ai que tudo, Mi!
    Amei o seu texto. De verdade!
    E essa notícia do concurso cultural me deu um ânimo enorme. Estava precisando muito, muito, muito de algo para me tirar da zona de conforto e, ao mesmo tempo, fazer com que eu enfim fique feliz ao fazer outra coisa que adoro!
    Obrigada por isso, tá? Te devo uma!
    Um beijo grande!
    docesabordoslivros.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Jeni, fico feliz em saber, dou a maior força para você participar. Beijos e boa sorte.

      Excluir
  9. Mi, A-D-O-R-E-I !
    Eu pensei que era sobre você, mas.. Você quer me matar e me fazer correr para ler esse livro né?! haha
    Espero que você ganhe o concurso Mi! O livro da Bruna é muito gostosinho de ler ;D

    Beeijos, Dreeh.
    Blog Mais que Livros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amiga, é sobre mim.. kkk apenas me inspirei na temática do livro para escrever sobre o assunto.. e sim, eu realmente noivei com 15 anos.. é tudo verdade.. kk infelizmente.. Que bom que gostou do livro da Bruna, estou bem curiosa para lê-lo. Beijos

      Excluir
    2. =O CHOCADA!
      Noiva com 15 anos amiga? Nem eu que sou louca para casar e ter minha família pensaria em algo assim...

      Excluir
    3. Pois é amiga, já fiz muita meleca na vida.. kkkk Eu usava aliança e tudo viu.

      Excluir
  10. fazer escolhas infelizes é o que mais a gente faz quando somos adolescentes, o problema é continuar quando adulto cometendo os mesmos erros.
    não acho que uma escolha infeliz possa nos fazer feliz, mesmo que indiretamente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Shadai, nós continuamos errando, mesmo quando adultos ou mais velhos, a diferença é que os erros não são os mesmos.. a vida é feita de erros e acertos e isso nunca vai mudar. E volto a reforçar a minha ideia de que as escolhas infelizes podem sim nos fazer felizes, porque, naquela época, podemos ter feito uma escolha infeliz sem saber aonde ela poderia nos levar, já que o destino é uma rede bem tramada.. e se não fosse por aquela escolha, de repente, não estaríamos desfrutando de alguma alegria no futuro, entende? Bom, só posso falar por mim né?! Isso já aconteceu milhares de vezes comigo, por isso nunca me arrependo de nada que faço, pois sempre acho que tudo tem uma razão de ser. Beijos

      Excluir
  11. Ah, os "E se" da vida,
    E se eu não tivesse casado ao 17 anos? E se eu não tivesse abrido mão de um concurso para fazer faculdade em outro estado.... Nossa esse texto falou direitinho comigo, mas uma coisa eu sei, trilhamos os caminhos que devemos trilhar, não há como evitar, vamos viver o que tem pra nós aqui, podemos pegar desvios, tornar o caminho mais longo ou mais curto com nossas escolhas, mas no final o que tiver que acontecer, acontecerá.

    http://soubibliofila.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade Del, é assim mesmo que penso.. somos o reflexo de tudo que pensamos e escolhemos e acho que tudo pelo qual passamos deveríamos, de certa forma, ter passado. Fico feliz que tenha se identificado com o texto.. Beijos

      Excluir
  12. Gostei muito do seu texto, eu também estou participando do concurso, se quizer ler meu texto da uma passadinha no meu blog.
    Bjus
    vestido-de-papel.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eba, que legal, vou ler sim. Beijos e boa sorte.

      Excluir
  13. Oi Mi!
    Gostei do seu texto pela reflexão de forma mais leve e descontraída que sempre fazemos da vida o que é perfeito, mesmo não sendo a época da postagem, com essa época do ano.
    Beijos e até mais,
    Ana.
    http://umlivroenadamais.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ana, fico feliz que tenha gostado. Obrigada. Beijos

      Excluir
  14. Viiiu! Adorei o texto, e adorei a reflexão. Por mim, tinha mais sim! <3

    ResponderExcluir