Curiosidade - Conheçam Esther Grace: A menina que inspirou John Green a escrever A Culpa é das Estrelas

"A collection of the journals, fiction, letters, and sketches of the late Esther Grace Earl, who passed away in 2010 at the age of 16. Photographs and essays by family and friends will help to tell Esther’s story along with an introduction by award-winning author John Green who dedicated his #1 bestselling novel The Fault in Our Stars to her."
Esta semana fui pega totalmente de surpresa quando descobri que, afinal, Hazel Grace, do livro A Culpa é das Estrelas, escrito por John Green, realmente existe, e ela se chama Esther Grace Earl.

Não sei se foi falta de atenção minha enquanto lia A Culpa é das Estrelas, se John fez alguma menção a Esther no texto, mas realmente não sabia sobre esse fato e, investigando mais sobre a história descobri várias curiosidades interessantes.  

Confiram abaixo:

Esther Grace e John Green se conheceram em uma conferência em 2009 e desde então nunca mais se largaram, até a menina morrer de câncer em 2010. Para John, foi muito difícil concluir o livro A Culpa é das Estrelas, pois ele fora nitidamente inspirado nas experiências vividas por Esther e na sua alegria de viver, e John estava com muita raiva e enlutado profundamente por causa de sua morte. A morte de uma querida amiga nerdfighter.
 
A Culpa é das Estrelas This Star Won't Go Out
Quando perguntaram a John se havia sido fácil escrever A Culpa é das Estrelas, ele prontamente respondeu que:

"Não. (...) Foi difícil por muitas razões, (...). Além disso, foi difícil porque eu estava triste. Triste e, francamente, com muita raiva. Isso porque Esther havia morrido, e muitas crianças morriam todos os dias por falta de comida e remédio. Isso começou a consumir minha escrita. Então, enquanto eu queria que o livro fosse engraçado, a pessoa que escrevia estava com muita dor. (...)" Fonte.

Esther, por sua vez, sempre sonhou em ser uma escritora. Depois de sua morte, seu pai decidiu publicar suas cartas e seus diários de forma independente, mas antes disso, acabou mostrando o material para John Green, que apresentou a obra para seu editor, que decidiu publicá-la sob o nome de This Star Won't Go Out: The Life and Words of Esther Grace Earl.

O livro conterá um prefácio escrito por John Green, bem como anotações dos pais de Esther e fotos da família, e será publicado no Brasil em janeiro de 2014 pela Editora Intrínseca.

Imagino que ser ler A Culpa é das Estrelas já foi emocionante para mim, ler This Star Won't Go Out será dolorido demais. Porém, acho importante entrarmos em contato com a dura realidade do câncer e das pessoas acometidas por essa doença, principalmente quando elas são capazes de, mesmo doentes, nos ensinarem o valor da beleza que é viver, como foi o caso de Esther.

Segundo John, "Ela era jovem, tinha um senso de humor adolescente autêntico, era engraçada, empática, loucamente apaixonada por seus amigos e familiares e uma escritora muito talentosa. É difícil achar uma explicação para isso, mas nunca gostei tanto de uma adolescente — pelo menos não desde a época em que eu era um adolescente. Ela era realmente legal, na melhor acepção da palavra. Ela nunca fez com que eu me sentisse pouco à vontade. Ouvia o que eu tinha a dizer e conversava comigo com toda a sua atenção, e também dizia, sem cerimônia, que eu só falava merda." Fonte.

Depois de analisar friamente as fotos de Esther Grace e Shailene Woodley, no papel de Hazel Grace, me peguei pensando, as duas até que não são parecidas? Agora só falta descobrir se existe um Augustus de verdade.

Filme A Culpa é das Estrelas
E aí, o que acharam?

Beijos, Mi

24 comentários

  1. Nossa, eu também não sabia dessa curiosidade.
    Acho tão triste esse mal chamado câncer tirarem de nós pessoas tão queridas né?
    É realmente triste. O mais incrivel é que, como voce disse, quem sobre desse mal nos ensina o valor da vida.
    Adorei o post, emocionante e curioso.
    Beijos

    http://withoutidea.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Catarina, que bom que gostou. Quero muito ler o livro da Esther, com certeza deve ser uma lição de vida. Beijos

      Excluir
  2. lindo lindo lindo, o que o Jhon fez foi incrível transformar essa amizade em um livro onde Ester jamais irá morrer para os leitora *_*

    Amei !

    www.blogavontade.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Grazi, na verdade John deixa claro que Hazel não é Esther e Esther não vivenciou nada do que Hazel passou.. ela apenas serviu de inspiração para a criação da história. Mas sim, por um lado, a essência e a força de Esther permanecerão imortalizados. Principalmente agora com o lançamento do livro dela. Beijos

      Excluir
  3. ainda não li o livro, acho que só o farei depois de ver o filme.
    sei do quanto o livro é fantástico e emocionante, muito legal ser baseado numa garota real e que sirva de inspiração p/ todos nós!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Shadai, acho que essa é uma boa alternativa. Pelo menos sempre que eu vejo o filme e depois leio o livro não costumo me decepcionar. Beijos

      Excluir
  4. Oi Mi,
    tudo bem?
    Fiquei muito triste agora. Eu nunca quis ler esse livro, justamente por todo esse sofrimento. Não queria ficar arrasada. E saber que ela tem um nome, é de verdade, foi um golpe. Mesmo que a história não seja dela, ela teve o seu próprio drama.
    Só nos resta rezar por esse anjinho.
    beijos.
    Cila- Leitora Voraz
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Cila, vendo por esse prisma é realmente muito triste.. mas John foi sábio ao escrever o livro.. porque não narrou somente a história de uma menina doente, mas sim, de uma menina cheia de vida, e esse é o grande diferencial da história. Tanto Esther quanto Hazel foram e são fontes de inspiração para muitas pessoas e isso nunca ninguém poder apagar. Sim, que Esther seja eternamente abençoada. Beijos

      Excluir
  5. Aiii, fiquei emocionada só de ler sobre isso. E acredita que também não fazia ideia de que ela foi uma inspiração para John. ;/
    Quero muito esse livro. Achei linda a história.
    beijos
    Apenas um Vício

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Dessa, também me emocionei demais.. Agora quero muito ler o livro da própria Esther. Beijos

      Excluir
  6. Eu sabia sobre a Esther, mas não sabia ainda sobre o livro.
    O John deve ter sofrido enquanto escrevia, mas isso só me faz acreditar ainda mais que ele gosta do que faz e por isso o faz bem, com o coração, se entregando de alma ao colocar uma história num papel e fazê-la tocar o coração de tantos leitores, formando tantos outros, fazendo pessoas realmente gostarem de ler.
    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Babi, pelo visto foi uma tarefa muito árdua para John, mas ele ainda sim conseguiu escrever um texto lindo, doído, mas divertido ao mesmo tempo. Não é à toa que ele é o mestre. Beijos

      Excluir
  7. Oi Mi! Eu sabia sobre a verdadeira Grace e toda essa história. Não sei onde fiquei sabendo, mas já faz um tempo. Achei incrível da parte dele escrever e dedicar uma obra tão linda a essa menina, que o inspirou a fazer um livro tão lindo. Deve ser maravilhoso pra ele ver que essa história conquistou tanta gente e, ainda mais, agora virar um filme. É como se a verdadeira Grace estivesse sempre aqui.
    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, de certa forma é como se a Esther tivesse sido imortalizada.. ele mesmo comentou sobre isso.. lindo demais :o) Beijos

      Excluir
  8. Oi Mi.

    Eu realmente nem sei o que dizer...Sempre soube que a estória do livro dele é sim algo que muitos vivem, mas não imaginava.

    Parabéns pelo post.

    Beijos Fê
    http://fernandabizerra.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Lindo post,
    já sabia que o livro havia sido inspirado em alguém, mas não havia visto nenhuma imagem da garota ou lido algo pais detalhado a respeito, adorei poder conhecer melhor o que está por trás dessa estória maravilhosa.

    http://soubibliofila.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Del, também adorei saber os detalhes. Fiquei bem emocionada. Beijos

      Excluir
  10. Eu nunca quis ler esse livro apesar do sucesso todo, quando li o caçador de pipas, parava a todo momento para chorar e era muita tristeza, tentando entender várias situações, para mim a leitura deve ser prazer e não me deixar triste. Mas essa é só minha opinião.
    Muito legal essa curiosidade e bom saber que o autor teve na vida uma pessoa que o marcou tanto, uma amiga tão querida a ponto de se inspirar nela para escrever uma história.
    bj

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Rê, acho que as histórias, num modo geral, servem para diversos propósitos diferentes e não somente para entreter, mas claro, essa é a minha opinião. É muito triste quando nos envolvemos emocionalmente a tal ponto que dividimos o sofrimento do personagem. Eu também chorei muito quando li O Caçador de Pipas. Já em A Culpa é das Estrelas, apesar do tema ser triste, ri muito. Beijos

      Excluir
  11. Eu tambem fui pega de surpresa. Fiquei sabendo sobre a Esther justamente por causa do livro que será publicado com as anotações dela. A culpa é das estrelas não foi um livro que me emocionou tanto assim.. mas tenho certeza que com esse será totalmente diferente. E posso dizer uma coisa? Estou com medo de ler. Sou totalmente envolvida com a dor alheia =/ principalmente nesses casos onde simplesmente acontece. Não foi culpa dela ou de qualquer outro sua doença. É simplesmente conspiração do universo.

    Ta ai. depois de meses a culpa é das estrelas conseguiu me emocionar de alguma forma. acho que preciso relê-lo =')

    Beeijos, Dreeh.
    Livros e tudo que há de bom

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Dreeh, a mim também não emocionou tanto, gostei, mas nada do jeito que o pessoal mega fã gostou. Cheguei a inclusive preferir O Teorema Katherine, mas vai do gosto de cada um. Mas sim, este, talvez por ser uma história que sabemos ser real, pegue no meu ponto fraco. Sei que também vou sofrer por e com Esther. Beijos

      Excluir
  12. Realmente depois de ler essa curiosidade, entedi um pouco mais sobre a obra ambiciosa e emocionante dele, eles tinham um tipo de amizade que geralmente não vimos muitos, Essa historia me fez refletir um pouco, a vida pode acabar no momento mais feliz de sua vida.
    " Ele registra a morte com fidelidade. Você morre no meio da vida, no meio de uma frase " Jonh sempre me emociona com seus livros, depois de ler essa emocionante historia, começei a dae valor a vida, pois ela só é preciosa porque acaba.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ana, exatamente. Você disse tudo. Beijos

      Excluir