Resenha - A Filha da Feiticeira

"Cada era exige um novo diário. Assim sendo, começa este livro das sombras. Após a morte, em 1628, de toda a sua família, a menina Elizabeth, de 15 anos, consegue abrigo com o bruxo Gideon Masters. Contudo, ele a aprisiona e a inicia na magia, tornando-a um ser eterno. Com a fuga da jovem, anos depois, o tutor a persegue ao longo dos séculos, passando por momentos importantes da história da humanidade. Com traços de romance histórico e elementos de fantasia, A Filha da Feiticeira é uma arrebatadora iniciação no mundo mágico, embora perigoso, da feitiçaria. É impossível esquecer essa heroína forte e independente, que sobrevive a pragas e guerras, na busca por se manter fiel a seus princípios. A autora descreve com destreza épocas e locais distintos ao longo dos tempos, como a Inglaterra de 1628, a Paris de 1917 e os dias atuais. Para isso, Paula Brackston pesquisou durante anos as características das sociedades que lá viviam. No fim, uma certeza: o desejo urgente por uma continuação. Uma saga de inocência, entremeada de fantasia. Uma história repleta de magia e feitiçaria, ideal para aqueles que buscam uma trama fascinante. O livro é maravilhosamente escrito, possui personagens bem-construídos e uma trama que prende o leitor até o fim."
Oi gente, finalmente trago para vocês a resenha do livro A Filha da Feiticeira, escrito pela autora Paula Brackston. Essa, sem sombra de dúvidas, foi a resenha mais difícil que eu já fiz na vida. Para vocês terem uma ideia, se não me engano, terminei de ler o livro dia 02 de julho de 2013 e até agora estive tentando escrevê-la, sem sucesso.

Sei que vocês já devem estar cansados de me ouvir falar dela e da minha dificuldade em escrevê-la, outros tantos vieram me perguntar se tal dificuldade tinha a ver com o fato de eu não ter gostado do livro e respondo, não, não foi isso. Eu gostei do livro, bastante. O problema é que esse livro é um tanto complexo por ter tantos detalhes, principalmente históricos, e eu simplesmente não sabia o que contar e o que não contar para vocês. O livro é basicamente divido em 4 partes. A meu ver, eu não podia simplesmente falar apenas da primeira parte e deixar que vocês subentendessem o resto, porque não conseguiria transmitir a essência da história. Mas ao mesmo tempo não podia contar sobre absolutamente tudo, porque senão ao lê-lo, tudo ficaria muito previsível para vocês. Entendem o meu dilema? Acho que esse é o maior dilema que um blogueiro enfrenta na hora de resenhar: o que contar?

Para que eu finalmente conseguisse escrever o texto, decidi que não ia mais me preocupar com isso. Decidi que ia falar exatamente o que desse na telha e azar se não saísse como o pretendido. Tem vezes na vida que devemos fugir um pouco das regras e seguir a intuição. 

Então me perdoem caso vocês considerem o que vou dizer como spoilers do livro. Fiquem à vontade para não ler, ok. Mas foi a única forma que encontrei para conseguir escrever.

Vamos a resenha:

Elizabeth Anne Hawksmith tem 384 anos e é uma feiticeira, mas teve que pagar um preço muito alto pela sua imortalidade. Por volta de 1628, em Batchcombe, Wessex, parte da família de Bess foi devastada pela peste negra, enquanto sua mãe, pouco tempo depois, foi morta por ser acusada de bruxaria. Perdida e sem saber o que fazer, Bess procurou Gideon Masters, um homem estranho que vivia recluso, afastado de seu vilarejo. Lá ela descobriu coisas que nunca imaginou que pudessem existir e selou seu destino com as trevas. Inconformada em ter que viver para sempre ao lado de um monstro, como Gideon, Bess fugiu, mas sabia que sua fuga não duraria para sempre, Gideon iria sempre encontrá-la.
"É claro que passei a vida toda olhando por cima do ombro, ouvindo passos estranhos, e geralmente ficando alerta a qualquer possibilidade de ter sido encontrada. É o que se espera de uma criatura que se tornou uma presa. (...)"
E assim Bess foi vivendo tempo afora, fugindo, se estabelecendo em novas cidades, eliminando seus rastros, trocando de identidade e conhecendo novas pessoas. Mas sempre, em algum momento, Bess sentia a presença de Gideon, que geralmente era sinalizada pela reprodução da música Greensleeves, uma música que Bess passou a odiar, tanto quanto a temer. A única forma de postergar ao máximo a localização do seu paradeiro era evitar usar a magia. A magia imprimia a sua marca no mundo e podia ser sentida a quilômetros de distância por outro bruxo. Bess teve que abrir mão de seu maior dom para sobreviver e, com isso, vagou pela terra tentando ser uma humana normal, misturando-se aos demais.
"Sentidos aguçados e despertar sexual são apenas uma parte do que uma feiticeira realmente poderosa vai experimentar. Eu me conheço como sendo da primeira ordem. Gideon viu isso. Espero nunca descobrir que pacto ele fez com o diabo, mas ele viu em mim todos os seus sonhos de companheira perfeita se materializarem. Por qual outra razão teria me perseguido tão implacavelmente por todo esse tempo?"
Em 1888, em Fitzrovia, Londres, Eliza dedicava o seu tempo para cuidar dos outros. Durante o dia era enfermeira em um importante hospital, e à noite clinicava secretamente nos aposentos atrás da casa onde alugava um quartinho. Lá ela atendia as prostitutas, a escória da sociedade, e tentava medicar seus males. Eliza vivenciou um dos piores pesadelos que assolaram aquela época, os assassinatos cometidos por Jack, O Estripador. Eliza tinha certeza de que Gideon estava por detrás de tais mortes e estava decidida a detê-lo.

Já em 1917, em Passchendaele, Flandres, Elise enfrentou bravamente os campos de batalha da Primeira Guerra Mundial auxiliando os feridos do Nono Batalhão. Esse foi um dos momentos em que Elise mais pôde ser útil como enfermeira e curandeira, já que não dispunham no local de muitos medicamentos para procedimentos cirúrgicos e para aliviar as dores dos soldados. Foi lá que Elise conheceu seu grande amor: Archie. Mas Gideon sempre esteve em seu encalço e fazer o uso da magia tinha o seu preço. Elise não sairia impune.
"Eu, que vagara por este planeta por séculos, observando a incessante luta, a batalha e o esforço que as pessoas sofriam. Poderia ser a morte uma coisa tão terrível? Não havia momentos em que era uma coisa adequada? Ou será que penso assim porque isso me foi negado? Eu não tinha certeza."
Por fim, em 2007, Elizabeth mudou-se para Willow Cottage, uma pequena cidadezinha aparentemente pacata e inofensiva. Estava certa de que não sentia a presença de Gideon por lá e acreditou estar finalmente segura. Em razão disso, acabou baixando a guarda e deixou-se envolver com Tegan, uma espevitada adolescente que se parecia muito com Margaret, sua irmã mais nova. Elizabeth tinha um carinho profundo pela menina e sabia o quanto ela era sozinha, e por isso, tinha uma necessidade enorme de protegê-la e ajudá-la. De certa forma, Tegan supriu em Elizabeth o vazio que ela sentia por não ter uma família, e assim, ambas construíram uma belíssima amizade.

Será que depois de tantos séculos finalmente Elizabeth terá o direito de viver em paz? Que outras surpresas o destino lhe reserva? Leiam e descubram!!

***

A Filha da Feiticeira foi para mim uma agradável surpresa. A autora conseguiu reunir em seu texto, magistralmente, fantasia e ficção, mas com um toque de realidade proveniente dos relatos históricos nos quais ela se embasou.

A narrativa não possui linearidade, muito menos um tempo verbal estabelecido. A obra praticamente começa em 2007 e aos poucos vamos descobrindo o que aconteceu com a vida de Bess na medida em que ela vai relembrando e contando sua história para Tegan.

Amei cada período histórico descrito por Paula no texto, mas meu preferido foi o da peste negra e da caça as bruxas, apesar de ter achado genial a sacada que a autora teve ao inserir Elizabeth como pivô, indiretamente responsável pelas mortes executadas pelo Jack, O Estripador.

Mas o mais engraçado de tudo é que Bess tinha uma mania de perseguição tão grande por causa de Gideon, desconfiando de tudo e de todos, que eu acabei ficando assim. Tudo que lia desconfiava, buscava um duplo sentindo num nome, numa frase, numa expressão. No fim cheguei a duvidar até da própria Bess. A autora me deixou maluquinha.. kkkk. Sem contar na música Greensleeves, minha nossa. Primeiro, nunca tinha ouvido falar da tal música, então fui procurá-la no youtube e a achei lindíssima. Passei a escutá-la enquanto lia o livro. A música persegue Bess tanto quanto Gideon e parece que resolveu me perseguir também. No dia seguinte que terminei de ler o livro fui num escritório de um amigo e quando entrei na sala dele adivinhem qual música estava tocando? Sim, Greensleeves. Foi surreal e acabei caindo na risada enquanto ele me olhava sem entender nada.

O que posso dizer para vocês é que A Filha da Feiticeira é um livro mágico e envolvente. Apesar do texto conter uma energia esplendorosa, também possui muitas passagens obscuras, principalmente nas cenas protagonizadas por Gideon, representando claramente a luta das forças entre o bem e o mal.

Só não darei 5 estrelas pelas seguintes razões: na minha opinião, o livro é muito longo, descritivo e contém muitas cenas monótonas, adquirindo ritmo e dinamismo apenas quando a narrativa se foca nos elementos sobrenaturais. Ok, acho interessante a proposta da autora em nos mostrar a história de vida da personagem ao longo dos séculos, mas acho que tudo poderia ter acontecido mais rapidamente sem ter precisado entrar em tantos detalhes que para mim foram cansativos. De qualquer forma não deixo de recomendar a leitura! Vale muito a pena!

A Filha da Feiticeira - Paula Brackston - Livro 01
Editora Bertrand Brasil
441 páginas
Comprar: Submarino / Saraiva

Conheçam a famosa música Greensleeves:

46 comentários

  1. Olá, Mirelle! Tudo bem?
    Estou apaixonada pela sua resenha! O livro parece ser muito bom e a música é encantadora! <3
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Bi, fico feliz que tenha gostado :o) Beijos

      Excluir
  2. Ah que pena, até me interessei no começo, mas detesto livros sem linearidade :/

    Adorei conhecer seu blog e já comecei a seguir.

    Tá rolando um sorteio lá no blog de um super kit de bijus, ficaria muito feliz de ter você participando, o link é http://goo.gl/E56oH

    Beijos.
    www.duasvezesm.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Natasha, essa foi uma das coisas que mais amei na história, a falta de linearidade nela. A Bess vai e volta contando a sua história e deixa tudo muito mais emocionante. Beijos e volte sempre.

      Excluir
  3. Estou simplismente apaixonada pelo seu blog (Não sei por que hihi) . Parabéns pelo teu blog,estou curtindo bastante seus post's...
    Dá uma olhadinha lá no meu blog,tem varias novidades. Sucesso pra ti,floor =)

    http://opsfoieu.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oi Miii!
    Que bom que gostou do livro, eu imaginei que tu iria gostar mesmo.
    E essa música hein... fiz exatamente a mesma coisa, ficava ouvindo enquanto lia o livro e simplesmente me apaixonei por ela.
    Linda resenha!
    Beijos querida

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ju, obrigada pela visita e pelo carinho.. amoooo tudo que tem a ver com bruxas e fiquei encantada a cada vez que a magia permeava a história. Ai que vontade de ser uma feiticeira!! hehe Li esse livro por causa da sua resenha, agradeço a dica. Grande beijo!

      Excluir
  5. Eu vi uma vez uma resenha falando que a história é muito boa, mas a falta de linearidade irrita um pouco. Ai acontece, é sempre difícil falar de algo sem dar spoiler rs
    vestindo-ideias.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sério que tu não curte! Eu adoro! Quanto mais a narrativa sair do padrão, mais me seduz.. não gosto das coisas muito certinhas.. hehe Beijos, Mi

      www.recantodami.com

      Excluir
  6. Esse livro esta na minha listinhaaaaaa... Amei a resenha!
    Bjos
    http://valmedrado16.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Não sou muito adepta a livros de feitiço, com histórias de feiticeiras e afins, rs. Sua resenha foi bem sincera, até pela demora que a fez, né hahaha.
    Não seria um livro que eu leria, mas com sua indicação, seria um livro do gênero que eu colocaria à frente da lista dos que eu não gosto e que poderia ler sem problemas.

    M&N | Desbrava(dores) de Livros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz pela confiança. Apesar de ter feitiçaria no seu contexto, também há muitos fatos históricos interessantes, de repente você acabe sendo seduzida por isso e pelo suspense que tem na história. Beijos

      Excluir
  8. Olá,tudo bem?
    Eu não conhecia este livro, mas já estou super curiosa para lê-lo.
    Bjs!
    http://pocketlibro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Adorei a resenha, não conhecia o livro!
    Beijos

    Blog | Fan Page

    ResponderExcluir
  10. Ooi!
    Não é a toa que demorou tanto pra escrever a resenha hein?! Fiquei bem curiosa, adoro essa coisa sobrenatural e depois de conhecer a Bonnie Bennet (TVD) passei a amar bruxas.
    Pena que tem esses momentos monótonos porque eu geralmente pego no sono quando isso acontece.
    A música é muito bonita. Acho que algo sobrenatural te perseguiu depois dessa leitura, é muita coincidência você nunca ter ouvido e depois de ler o livro sobre bruxas você entrar em um lugar e a música tocar rsrs.
    Adorei a resenha!

    Beijooos, Greice.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, pois é, achei desnecessárias essas cenas mais paradas, mas ok, ela precisava apresentar bem a personagem e o drama todo que ela viveu. É que eu tenho sérios problemas com cenas descritivas demais.. eu não curto e nem presto muita atenção sabe. Eu construo as coisas conforme a minha cabeça.. Quantas vezes li um livro e construi um personagem loiro na cabeça, de olhos azuis, quando na verdade ele era moreno de olhos escuros? Eu faço isso, por isso não curto quando tem descrição demais, mas vai de cada um, quem sabe você não goste? Quanto a música, surreal demais, né?! Minha risada chegou a ser nervosa.. kkk Beijos

      Excluir
  11. Mi, fiquei tão curiosa para ler esse livro!
    Sabe que eu nem conhecia..
    Adoro histórias de feitiçaria *-*


    Tecido Doce
    Sorteios

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou amiga, leia porque vale a pena! Beijos

      Excluir
  12. Já passei por isso.
    Tem livros que simplesmente não conseguimos resenhar, e não existe um motivo aparente, mas porque existem fatos demais e importantes demais.
    Eu gostei da forma como vc escreveu a resenha. Ficou ótima assim!
    Eu tenho muita dificuldade de escrever resenhas quando o livro me acaba emocionalmente.
    O livro parece ser ótimo! Eu adoro a capa dele!!

    bjus
    terradecarol.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Carol, é exatamente assim, os bloqueios aparecem de repente, do nada, impossível compreender. Eu também morro de dificuldade de resenhar livros que me marcam e também livros que não gosto.. hehe A capa é realmente linda. Beijos

      Excluir
  13. Oi, Mi!
    O que me desanima nesse livro é o preço e que ele é de série u.u
    Mas sua resenha me deixou animado, pois eu amo fato histórico, ainda mais misturado a tanta magia assim. Sobre o ritmo, pode ser que dificulte a leitura um pouco, mas eu vou na fé. Só esperando cair esse preço maluco hehe
    Beijos
    Descobrindolivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lucas, nem fala, os preços da Bertrand são sempre o olho da cara que chega a doer, não entendo o por quê. Lembro quando comprava os livros da Marian em lançamento, pagava mais de R$ 60,00 cada um. Você tem que ficar de olho nessas super promoções que rolam por aí. Uma hora dessas ele vai ter que entrar.. kkk só não espere um desconto bombástico, mas a metade do valor já ia bem né?! Ah, então se você curte fato histórico como eu, com certeza vai gostar, porque achei a autora de uma criatividade ao misturar a realidade com a ficção. Beijos

      Excluir
  14. Mii *--*
    Me dá de presente? haha.
    Sou louca por esse livro, essa capa é absolutamente cativante e a história me chama !!

    Beijos,
    www.segredosentreamigas.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkk se eu pudesse dava sim Bah.. mas quem sabe você não pede para o Mô, como quem não quer nada?! hehe Beijos

      Excluir
  15. Demorou pra resenhar né?! Mas valeu muito a pena, a resenha está PERFEITA!!!

    Esse livro está na lista tem tempo, mas ainda não estou preparada para ler. É só a falta de tempo, mas quero muito!!
    Bjkas


    Lelê Tapias
    topensandoemler.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eba, muito obrigada pelo carinho, fico feliz que tenha gostado :o) Espero que consiga ler ele logo, porque vale a pena. Beijos

      Excluir
  16. Tem livros que não consigo fazer resenha sem soltar spoiler. Já tentei varias vezes fazer resenha de As cronicas de gelo e fogo, mas me sinto igual você falou, são tantos detalhes e tantos personagens envolvidos que não dá para falar só da primeira parte e deixar o resto. Me interessei pelo livro, mas vou esperar uma promoção.

    http://blogprefacio.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, tens razão, têm livros que é impossível falar sem falar nada, fica algo tão sem sentido e superficial. Não consigo imaginar a dificuldade de resenhar As Crônicas de Gelo e Fogo, deve ser algo surreal. Infelizmente este livro da Paula Brackston é realmente caro, vamos torcer para que ele entre em algumas dessas promos fantásticas né?! Se eu souber de alguma, aviso vocês! Beijos

      Excluir
  17. Oi Mi! Mandou muito bem na resenha, só fez minha vontade de ler aumentar. Gostei de mais de saber como a autora viaja pelos períodos históricos, lembrei de um livro que li e amei, atravessou muitos séculos até a história fechar. Muita coisa aconteceu e eu que adoro detalhes, curti demais. Só fiquei pensando que o livro já é tão grande, como arrumaram assunto para uma série?

    Bjos!!
    Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Cida, que bom que gostou.. pois é, escrevi para Deus e o mundo querendo saber se o livro era único ou se teria continuação, todo mundo veio me dizer que era um livro único, inclusive a Editora, e que ano que vem seria lançado no Brasil um outro livro de bruxas que ela escreveu, mas não uma continuação. Até aí estava convencida. Só que a própria Paula me disse que o livro terá sim continuação, e levando em consideração o final, ele realmente deu margem para a história seguir e confesso que estou mega ansiosa para descobrir o que aconteceu com os personagens. Beijos

      Excluir
  18. Finalmente, vamos comentar!
    Sabe, você não é a primeira a dizer que esse livro é monótono e extremamente descritivo, isso foi uma das coisas que me desanimou quando procurei o livro. acho que esperava uma impressão diferente de vocês, para ver se eu me animava mais rsrs enfim.
    Adorei a resenha, não acho que você tenha contado nenhum spoiler - pelo menos nenhum que vá estragar a leitura! Essa sacada de misturar a história com os acontecimentos do livro é algo que eu acho muito, muito interessante! Pena que nunca peguei um livro assim - acho que esse pode ser o primeiro rs.
    E essa musica.. me fez lembrar Crepúsculo, Edward Cullen!
    vai entender o porque, mas ela é tao gostosa de ouvir.. acho que poderia passar o dia inteiro a ouvindo.. nao consigo imagina-la como algo sombrio!
    eeh, acho que terei que ler o livro rsr

    Beeijinho. Dreeh
    Livros e tudo o que há de bom

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Dreeh, curioso, porque não li nenhuma resenha sobre essa parte meio chata, tanto é que fui com muita sede ao pote, esperando uma coisa e encontrando outra. Ou vai ver que eu criei uma ideia mega diferente da realidade na cabeça. Espero que goste da história, eu adoro quando os autores misturam realidade com ficção.
      Quanto a música, ela é lindíssima mesmo, mas tem uma carga emocional forte, porque a letra fala sobre um amor não correspondido, então é bem melancólica e tem um fator primordial na história. Leia e descubra.. kkk Beijos

      Excluir
    2. kkkk Leia assim que puder!! Beijos

      Excluir
  19. Que resenha bem feita.. Parabens.. Amei'
    Adorei seu blog..
    JÁ SEGUINDO AQUI'
    ' .Beijo
    Blog: http://umqfeminino.blogspot.com
    Fanpage: http://facebook.com/amorafins

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, feliz que tenha gostado. Beijos

      Excluir
  20. Sinistro... =D rsrs
    Ótima resenha, como vc consegue me fazer querer ler todos? haha
    Muito interessante a proposta do livro, essa junção história + ficção me chama muito a atenção!
    Gostei da capa, e a música é muuuuito linda! *---*
    Também me cansam livros muito descritivos, + às vezes vale a pena não desistir XD

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkk fico feliz em saber que consigo essa proeza.. hehe Concordo, o acúmulo de descrições na história não tira o mérito do livro que é ótimo e bem escrito. Leia que vale a pena. Beijos, Mi

      www.recantodami.com

      Excluir
  21. Já tinha gostado do livro só pela entrevista da autora. Como disse antes, adoro história antiga. E a autora ter misturado fatos reais tornam o livro mais interessante ainda. Pena que voc~e achou ele cansativo em algumas partes. Mas se apesar disso recomenda, eu quero ler!!!!!!
    beijos.
    Cila- Leitora Voraz
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Cila, eu achei cansativo pelo texto conter muita descrição e se apegar muito aos detalhes.. mas porque eu não sou fã disso, mas não quer dizer que outra pessoa não goste. Então leia. Vou torcer para você se envolver com a história tanto quanto eu. Beijos

      Excluir
  22. Li outras resenhas desse livro e vou te contar uma coisa: o que mais me chamou a atenção foi essa capa fantástica!

    ResponderExcluir