Curiosidade - Os Segredos de Dan Brown

"Busca e encontrarás! Essa é a mensagem da bela senhora de cabelos prateados. Diante dela estende-se um mar de corpos agonizantes, alguns enterrados de cabeça para baixo até a cintura – uma cena bizarra, dantesca. Langdon tenta fazer contato, perguntar quem é ela, o que deve procurar... Mas então ele acorda. Desmemoriado, ferido, a milhares de quilômetros de casa. E de posse de um objeto muito misterioso: um minitubo de metal, com lacre biométrico e o ícone de risco biológico gravado na lateral. Decidido a não abrir o tubo, que pode conter algum material muito perigoso, o renomado simbologista entra em contato com o consulado, em busca de ajuda. Mas algo inesperado acontece: o governo de seu próprio país manda alguém matá-lo. Quando já não sabe mais o que fazer, Langdon encontra a primeira pista que o ajudará a descobrir o que está acontecendo: a imagem do Mapa do Inferno, de Botticelli, uma famosa obra de arte inspirada no Inferno, de Dante Alighieri. Na companhia de Sienna Brooks, uma jovem médica superdotada, ele parte numa jornada alucinante pela Itália, até um dos lugares mais fantásticos do mundo. Dessa vez Robert Langdon precisa usar sua grande habilidade como simbologista para salvar a própria vida e conter uma ameaça que pode destruir toda a humanidade."
Compre aqui: Submarino / Saraiva

Quem aqui está ansioso para ler Inferno, de Dan Brown? Euuuu!! Desde O Código da Vinci me tornei uma grande fã do autor. Ok, confesso, me neguei a ler O Código da Vinci quando foi lançado de tanto burburinho que fizeram em cima. Tenho certo preconceito com bestsellers, mas no fim quando leio acabo gostando 90% das vezes, e com esse não foi diferente. Logo em seguida quis ler Anjos e Demônios que achei tão bom quanto. E por fim li Fortaleza Digital, que apesar de ter uma narrativa diferente e uma outra temática, gostei muito. Minha fase de Dan Brown terminou aí. Sei que ele tem outros livros publicados, mas não tive a oportunidade de lê-los.

Porém... desde que ouvi falar que o autor iria lançar um novo livro fiquei curiosa.. E quando soube que seria baseado na Divina Comédia de Dante Alighieri fiquei mega curiosa para saber o que o Dan aprontou com o queridíssimo Robert Langdon (coitado, já sofreu tanto nas mãos do autor..kkk). Mas ao pesquisar sobre o livro nas vésperas do seu lançamento descobri os segredos que envolveram a sua tradução, e desde que li a história dos bastidores envolvendo Inferno, aí sim, minha curiosidade por esse livro explodiu!!!!

Preciso dividir com vocês as informações sobre os segredos envolvendo o novo livro do Dan Brown. Sério, só o que li nas páginas abaixo já daria um baita livro. Ia lendo a reportagem e minha cabecinha ia trabalhando a mil. Se eu fosse um pouco mais criativa já dava um jeito de eu mesma escrever uma história cheia de mistério, ação e conspiração baseado no ocorrido. Leiam e me digam se não concordam.. hehe

Quem quiser, baixe o 1º capítulo dele AQUI e deem uma espiadinha.

"Livros secretos, códigos de segurança, armas de fogo, bunkers, informações ocultas. Na história a seguir, há tudo isso. E, embora se trate de Dan Brown, o autor de “O código Da Vinci”, não há ficção nenhuma aqui. Tudo começou no dia 18 de fevereiro, em um esconderijo subterrâneo vigiado por dois seguranças armados, apelidado de “o bunker”. Lá dentro, 11 indivíduos que não falam a mesma língua: ouvem-se frases em alemão, francês, português, espanhol, catalão e italiano. Dada a segurança da operação, o bunker fica no último lugar em que alguém iria procurá-lo: embaixo de um prédio frequentado diariamente por 400 jornalistas — o edifício Mondadori, sede da editora de mesmo nome, projetado por Oscar Niemeyer, às portas de Milão. Assim que entram no bunker, as 11 pessoas têm seus celulares apreendidos, bem como quaisquer outros dispositivos com que possam se comunicar com o exterior. Tudo o que têm é um crachá e alguns cigarros — para os que fumam. Lá fora, o dia. Logo vai nevar, mas o clima pouco importa quando se é obrigado a permanecer em um bunker durante dois meses, incluindo os domingos. Não interessa em quantas semanas os “reclusos” levarão a missão a cabo. Nenhum deles poderia abandonar o local definitivamente antes de 5 de abril. E, no dia de “relaxamento”, nenhum deles seria mais como antes.

Estamos falando de um mistério dentro do mistério: a gênese “europeia” de “Inferno”, o mais novo livro de Dan Brown, o quarto protagonizado pelo professor de História da Arte e Simbologia Robert Langdon, que será lançado no Brasil no dia 24 de maio, pela editora Sextante.

Os “reclusos” são os tradutores do livro (dias depois, dois editores se somariam a eles), chegados da França, da Espanha, da Alemanha, do Brasil e da Itália. A cada manhã, uma van particular os levava até o bunker. Todos trabalhavam ali, sem descanso, diariamente, até as nove da noite, quando novamente entravam na van e eram conduzidos de volta. Cada movimento deles era anotado num registro. Consultá-lo, agora, significa ter uma ideia mais precisa do seu dia a dia: “Pausa para fumar”, “Passeio rápido”, “Refeição”, “Olhar a neve”. Sim, a neve. Fabiano Morais, um dos tradutores do Brasil, nunca a tinha visto. Quando notou, através de frestas nas janelas, que caíam alguns flocos de neve, pediu para sair, para descobrir que efeito tinha.

Tudo aconteceu sob os olhares de guardas armados, segundo um rígido código de segurança: nenhum documento podia sair do bunker. Nenhum telefonema era admitido. Os computadores em que se faziam as traduções não tinham acesso à internet: havia terminais à parte, para pesquisas, vigiados por membros da segurança. Nenhum dos tradutores podia sequer revelar o motivo pelo qual estava ali: cada um tinha uma espécie de “álibi”, uma história para despistar os curiosos, que também não pode ser revelada, nem mesmo agora que a operação de tradução já está concluída e os documentos em papel (que, obviamente também eram secretos), destruídos.

Excessos? Não propriamente quando se observam os números: “O código Da Vinci” vendeu, em todo o mundo, 80 milhões de cópias (1,9 milhão só no Brasil). Ao todo, Dan Brown vendeu 150 milhões de livros (4,7 milhões no Brasil). Os dois filmes com Tom Hanks baseados em suas obras (“O código Da Vinci” e “Anjos e demônios”) renderam US$ 1,25 bilhões.

Aproximar-se do bunker, portanto, era impossível: só se pode reconstituir o que aconteceu nos dois meses de trabalho falando com os tradutores, depois de voltarem a suas casas. E a descrição de seu dia a dia mereceria — ela também — um romance.

— Viver em um bunker e dormir em um hotel, desconectados da realidade — explica Alejo Montoto, tradutor espanhol.

— Foi uma experiência verdadeiramente insólita, porque o nosso trabalho é muito solitário — acrescenta o alemão Rainer Schumacher.

— Éramos como marinheiros no mesmo barco — comenta o francês Dominique Defert.

— A experiência nos permitiu mergulhar completamente no livro de Dan Brown — explica Carole Delporte, também francesa. — Mas, estar distante da minha família por tanto tempo, foi fatigante.

Esthel Roig, tradutora catalã, terminou a operação exausta:
— Eu dormia em um hotel, no meio do nada. O resto era trabalho no bunker. Agora, só tenho vontade de estar um pouco com o meu gato.

Nicoletta Lamberti, a terceira tradutora italiana, acrescenta:
— Eu sofri, por não poder traduzir com a música a todo o volume. Meu outro hábito é trabalhar descalça: depois dos primeiros dias, muito formais, não fiz por menos. E ninguém se escandalizou.

Agora, com o livro já impresso e o primeiro capítulo já divulgado, sabe-se que, desta vez, o professor Robert Langdon se vê envolvido com uma organização chamada O Consórcio. Ele irá tentar decifrar um enigma que tem como pano de fundo o italiano Dante Alighieri, autor de “A divina comédia”. O resto é mistério...

10 MANDAMENTOS:

“Inferno”: Os tradutores não podiam falar com ninguém sobre a trama;

Papelada: Eles não podiam levar para fora do bunker qualquer material sobre o livro, fosse impresso ou digital;

Telefones: Celulares e outros instrumentos de comunicação eram vetados;

Conexão: Dispositivos pessoais conectados à internet eram proibidos;

Circulação: Não era permitido andar pelo edifício Mondadori, com exceção do refeitório e do café;

Identificação: Os tradutores deviam estar sempre de crachá;

Explicações: A equipe não devia falar sobre os motivos de sua presença no prédio;

Acesso: Só tradutores, editores e seguranças podiam entrar no bunker;

Idas e vindas: Eles deviam assinar um papel toda vez que precisassem sair do local;

Pesquisa: Os tradutores podiam acessar a internet em computadores vigiados por seguranças.

* Reportagem publicada na revista italiana “Sorrisi e Canzoni”." Fonte.


34 comentários

  1. Gente! Eu não sabia sobre isso!
    Esse Dan Brown é cheio das coisas, heim?
    Estou louca para ler este livro.
    Vou ver se compro, pelo menos pro Kindle!
    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Babi, quando descobri fiquei fascinada. Quero ler o quanto antes. Beijos

      Excluir
  2. Oi Mi,

    Sou bem curiosa para ler o Dan, adoro a adaptação de O Código da Vinci e tenho o livro como meta de leitura.
    Adorei a postagem esclarecedora quanto ao autor :)

    Beijos,
    http://www.segredosentreamigas.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Bah, então, por incrível que pareça eu acho que O Código Da Vinci teve uma boa adaptação para o cinema, com exceção de pequenos detalhes que me irritaram. Mas claro que o livro é mil vezes melhor.. hehe Espero que goste dos livros dele. Beijos

      Excluir
  3. Meu deus Mi que tooooooop, vou pesquisar mais sobre o autor agora, beijos !!

    http://euvivolendo.blogspot.com.br/ ( comenta lá :D )

    ResponderExcluir
  4. que doideira! não tinha lido isso não! "to bege"!!! kkkkkkkk

    ResponderExcluir
  5. Tchau, Mirelle, estou indo ler Inferno! kkkkkk
    O que é isso?!?! Não sabia que tinha tido essa coisa toda! Nem estava pensando em ler ele por agora, mas já tá indo pra meta de leitura!! Só li O Código da Vinci e O Símbolo Perdido, mas já adoro Dan Brown *-*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkk Morri rindo!! Viu só.. agora você terá que ler o quanto antes. Farei o mesmo.. hehe Espero gostar. Beijos

      Excluir
  6. Olá, Mirelle! Tudo bem?
    O Dan - olha a intimidade - consegue ser fantástico, né? Estou muito ansiosa para conferir mais um livro que, sem sombra de dúvidas, não irá decepcionar! :)
    Beijos!

    Bianca
    http://hellostar.org

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkk não temos como não nos sentir íntimos dos autores, né?! kkk Então, estou louca para ler o livro e também acho que será sensacional. Tomara, né?! hehe Beijos

      Excluir
  7. Nossa, nem imaginaria nada disso!
    Eu tenho um livro dele aqui, mas por falta de tempo ainda não li =/
    Muito bom saber melhor sobre ele!

    Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Miche, viu só que loucurada toda.. kkkk Adoro os livros do Dan, espero que você também goste. Beijos

      Excluir
  8. Eu conheci ele na época do filme também. E como sou evangélica foi um tal de proibir esse livro na igreja, dai que eu fui ler né? E gostei muito. Já li todos os que foram publicados aqui. Leia O simbolo perdido você não vai se arrepender. Nossa fiquei morrendo de curiosidade e vontade de ler, Inferno deve ser muito bom

    http://blogprefacio.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hum, interessante, não sabia que havia restrições de leitura.. pois é, pelo que pesquisei O Símbolo Perdido é também com o Robert, né?! Quero muito ler. Beijos

      Excluir
  9. Achei bem interessante o post!
    Nunca li nada do Dan Brown e não me interessei por Inferno nem.por nenhum outro livro dele!
    Quem sabe depois de ler alguma resenha eu tenha vontade de ler algo dele....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De repente ele não faça mesmo seu estilo, mas quem sabe alguma resenha não faça aflorar algum desejo de ler algum dos livros dele, né?! Beijos

      Excluir
  10. Ok, eles são malucos?! Achei bizarro isso, mas tudo bem.
    Nunca li nada dele, e nem tenho curiosidade..
    Assisti ao Codigo da Vince e só.
    Não gosto quando livros se misturam com religião =/

    Beeijinho. Dreeh
    Livros e tudo o que há de bom

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkk eu viajei na história toda.. kkk Sim, acredito que seja delicado para alguns quando a religião é envolvida no meio da ficção. Não agrada todo mundo.. hehe Beijos

      Excluir
  11. Nem tinha vontade de ler mas depois disso tudo que li aí em cima eu preciso saber o que está escrito nesse livro. Nunca imaginei um esquema de segurança na hora da tradução, isso é Dan Brown.
    Acho que preciso conhecer a escrita do autor, quem sabe eu goste.
    Adorei as informações Mi.

    Beijos, Greice.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, chega a dar vontade de ler só por saber a história toda que rolou por trás da tradução né?! Não podia ser para menos envolvendo o Dan.. hehe Sim, seria legal você conhecer a escrita dele e ver se gosta. É muito envolvente, sou suspeita para falar. Beijos

      Excluir
  12. Ainda não li, mas quero muito e logo, muito bom seu post não sabia de nada disso...Vlw!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou Mi. Também estou louca para ler. Beijos

      Excluir
    2. Ainda não li, porque me parece que tenho que ter uma preparação antes de ler Dan Brown???Tipo...uma certa responsabilidade para com ele...engraçado...eu viajo nas suas histórias, chego até acreditar na veracidade de tudo...

      Excluir
    3. kkk como assim Mi, uma certa preparação? Não entendi. Beijos

      Excluir
  13. Oi Mi, comprei o livro assim que vi o pré-lançamento e não consigo largar desde o dia que chegou. Tão emocionante quanto os outros, uma super aventura do "sofredor" professor Robert Langdon. O primeiro livro que li do Dan Brown foi Código da Vinci, mas virei fã mesmo depois que todos os outros (Fortaleza Digital, Ponto de Impacto e as outras aventuras do professor).
    Sinceramente, achei Código da Vinci a menos emocionante de todas, perto das outras histórias vividas por Robert Langdon.
    Então é isso, Inferno vale muito a pena. E, e sugiro também fazer uma busca na internet pelas imagens das esculturas e pinturas que são citadas no livro. Ajudam a impressionar ainda mais.
    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Si, bom saber que você está adorando. Amei a dica, pode deixar, vou pesquisar as imagens e pinturas citadas no livro se você acha que nos impressiona mais. Aff, nem me fala, morro de pena do Robert, cada uma que o Dan apronta com ele.. kkk Beijos

      Excluir
  14. Mi,
    Dan Brown é sinônimo de sucesso, por isso esse sigilo e segurança são mais do que necessários.
    Tenha amigas lendo o livro e adorando. Eu li apenas 2, mas tenho 3 do autor. Tenho as edições em Hard Cover de O Código da Vinci e Anjos e Demônios e são a coisa mais linda. Espero que façam desse também, facilita muito a leitura.
    Adorei esta postagem, as informações foram ótimas mesmo e me fez querer ler mais rapidamente devido à atenção que teve, realmente deve ser muito bom.

    Beijos
    Chrys
    Todas as coisas do meu mundo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Chrys, tens razão, não podíamos esperar nada menos que isso do Dan.. hehe estou louca para ler o livro. Beijão

      Excluir
  15. Laís Souza08/06/2013 16:46

    Olha, eu já li tudo do Dan Brown menos esse mais recente. Não vou ler. Eu super entendo quem gosta, mas eu nunca vi nada demais e nenhuma das suas histórias me envolveu de verdade. Achei interessante os bastidores (por assim dizer) da produção mas é só. Detalhe: o filme do Código da Vinci é ruim pra caramba. Pelo menos eu não gostei.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu gosto do jeito que o Dan escreve, dos mistérios que ele cria aliando com fatos históricos e mitos. Analisando o filme de O Código da Vinci de forma isolada, até acho que foi uma boa produção, mas claro que nunca chega perto do livro. Estou bem curiosa por Inferno, principalmente depois de saber sobre os bastidores. Beijos

      Excluir
  16. Também estou louca para ler esse livro \o/ I ♥ Obras de Dan Brown. No momento estou lendo Fortaleza Digital (: Muito bom né Mirelle?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Apesar de achar que Fortaleza Digital foge um pouco do estilo das aventuras vividas pelo Robert, adorei a história. Achei super inteligente e envolvente, sem contar que o toque de mistério é mara!! hehe Beijos

      Excluir