Resenha + Vídeo - The Walking Dead, A Ascenção do Governador

"No universo de The Walking Dead não há maior vilão do que o Governador. Ele é o déspota que governa a cidade isolada de Woodbury e tem doentias noções de justiça: seja a forçar prisioneiros a combater zombies na arena para divertimento dos locais, seja a destroçar violentamente aqueles que o confrontam. O Governador é um vilão que tão cedo não se esquece e a sua história é uma das mais controversas que Robert Kirkman, criador de The Walking Dead, alguma vez concebeu. Agora, pela primeira vez, os fãs irão descobrir como é que o Governador se tornou neste homem implacável e aquilo que o levou a tais extremos."
Olá pessoal, hoje vou resenhar o primeiro livro da série sobre The Walking Dead. O segundo livro, chamado The Walking Dead, O Caminho para Woodbury, foi lançado em janeiro de 2013 e vocês podem ver maiores informações sobre ele aqui. Foi lendo o primeiro capítulo desse livro é que tive interesse de ler o primeiro livro da série e saber como tudo começou, porque gostei muito da narrativa dos autores e porque sou muito fã do seriado.

Voltando ao primeiro volume, em The Walking Dead, A Ascenção do Governador, conhecemos mais sobre a história de Philip Blake e de seu pequeno grupo de resistência, e de sua luta pela sobrevivência. Até então, para quem assiste o seriado, sabe que Philip é o temido Governador de Woodbury. Mas nem sempre ele foi assim. Até então Philip era um homem comum, viúvo, pai de Penny e tinha um irmão mais velho chamado Brian.

Quando as pessoas começaram abruptamente a morrer e a voltar como zumbis, ninguém entendeu o que estava acontecendo. Fazia apenas 72 horas que a epidemia havia começado. As pessoas estavam especulando sobre a origem da doença e ninguém entendia por que e como aquilo estava acontecendo, muito menos como deviam matar aqueles zumbis, mas Philip não queria saber de nada disso, seu único objetivo dali para frente era manter Penny a salvo. Ela era sua única razão de viver. Foi por causa disso que ele decidiu reunir seus amigos e fugir de sua cidade natal, Waynesboro, com destino a Atlanta, onde, pelo que diziam as notícias antes do sinal de comunicação desaparecer, estavam surgindo centros de refugiados.

Quanto mais eles vão se aproximando de Atlanta, mais destruição e morte encontram pelo caminho.

Ao chegarem a Atlanta o desespero deles aumenta. Se lá havia um campo de refugiados, onde estavam os carros de emergências, os postos de controle, o pessoal do resgate? Ao invés de um comitê de recepção, o que lhes esperava era nada mais do que a deterioração e a putrefação. Centenas, talvez milhares de zumbis dominavam a cidade. Eles então percebem, a duras penas, que a ideia de encontrar um centro de refugiados ou até mesmo uma única pessoa viva se tornava cada vez mais impossível.

Como que por um milagre, quando não havia mais esperanças, Philip e seus amigos encontram um pequeno grupo de sobreviventes que os salvaram de um destino cruel. Durante um tempo, ficaram sitiados num apartamento articulando planos de como sobreviver no local. Apesar da confusão e do perigo iminente, Philip se sente bem ao lado de outras pessoas e acaba gostando da possibilidade de viverem em meio a uma comunidade, por mais destroçada que ela esteja.


Só que Philip consegue estragar tudo. Ele vê uma chance de dar uma nova família à filha, mas falha. Em razão disso, Philip, Penny, Nicky e Brian precisam novamente vagar por um mundo destruído e perigoso a procura de um novo abrigo. Eles até encontram, temporariamente, mas será lá que irá acontecer a maior desgraça da vida de Philip, que culminará por enegrecer de vez sua alma e transformá-lo num monstro. Na verdade, ninguém mais será o mesmo depois daquela tragédia!!

O final do livro foi surpreendente. Nunca, nem em um milhão de anos, poderia imaginar o que ia acontecer, coisa que só de fato descobrimos nos últimos capítulos. A narrativa veio vindo numa obviedade tão grande que simplesmente fiquei chocada com o fator surpresa!! Sim, eu fiquei minutos com a boca aberta, olhando para o computador (li o livro em ebook), concatenando as ideias e pensando em como os autores foram geniais ao escrever o final.

Como eu não li as HQs, não sei dizer se o livro é fiel ou se trouxe alguma inovação. Quem tiver lido as HQs pode me elucidar essa questão??

Gente, leiam!!! E descubram sobre o que eu estou falando!! E quem já tiver lido, o que vocês acharam? Me contem, quero saber!! hehe

Agora estou louca para ler The Walking Dead, O Caminho para Woodbury e conhecer um pouco mais sobre essa bizarra história.
 
***

Atenção!! Se vocês nunca assistiram o seriado, meus comentários pessoais sobre a obra podem conter spoilers. Quem assiste o seriado, em específico a segunda temporada, não vai se surpreender com certas revelações, pois são abordadas na série!!

O livro começa de forma eletrizante, com cenas fortes de zumbis morrendo a machadadas, cabeças decepadas e muito sangue escorrendo pelo cenário. Os autores são impecáveis nessas descrições sanguinolentas e violentas, deixando tudo mais real, assustador e até um pouco nojento, assim como no seriado.

Eu fiquei o tempo todo com o coração na mão, minha angústia e meu medo não passaram um sequer minuto, da mesma forma quando assisto a série. Tive até que cuidar para não ter indigestão logo depois de comer de tanto que meu estômago estava apertado.

Confesso que deu para sentir empatia por Philip. Neste livro, Philip nada mais é do que um homem comum, como outro qualquer lutando pela sua sobrevivência e pela dos outros que mais ama. Só que claro, a cada morte, a cada ataque de zumbi, sua alma vai enegrecendo cada vez mais, endurecendo, e sua fúria aumentando. Pouco a pouco ele vai deixando para trás a figura de um sujeito pacato e batalhador para ir se transformando em um monstro.

Criei uma grande simpatia pelo irmão de Philip, Brian. Um sujeito meio covarde e muito medroso, mas de bom coração. E morri de pena de Penny (desculpe o trocadilho), filha de Philip. No seriado da TV sabemos que Penny morreu e virou zumbi, e fiquei o tempo todo aguardando esse fatídico momento que aconteceria no livro. No início pensei "será que o que aconteceu não foi para melhor? É justo uma criança ter de enfrentar um mundo apocalíptico tão cruel e pavoroso, vivendo todos os dias com medo e insegurança, aguardando sempre pelo pior?" e depois, quando cheguei na cena da morte da Penny, conclui que não, sua morte não foi a melhor escolha, pelo contrário.

A morte de Penny deixou uma sensação de vazio, de desesperança, de tristeza profunda em todos. Penny era a cola que mantia o grupo unido. Era o motivo pelo qual todos lutavam. Era quem dava o mínimo de alegria e esperança nas horas em que eles mais precisavam.

A Penny se mostrou uma menininha valente. Apesar de ser calada e de se encontrar muitas vezes em estado de choque e catatônico, em momento nenhum ela deu chilique ou atrapalhou as investidas do grupo. Pelo contrário, quanto mais cheguei ao final da história, mais ia me surpreendendo com a menina e vendo grandes chances dela sobreviver a tudo aquilo. Se não fosse pelo seriado, não poderia imaginar que ela fosse morrer. O pior de tudo, nunca imaginei que ela fosse morrer da forma que morreu, de um jeito tão estúpido. Estava preparada para tudo, menos para aquilo.
 


A morte de Penny, para mim, foi uma das cenas mais cruéis e emocionantes do livro. Não quero entrar em detalhes porque senão vou acabar soltando spoilers. Só posso dizer que fiquei muito emocionada, chocada e frustrada com a sucessão dos atos que decorreram dali. É claro que Philip não se recuperaria dessa perda. Aliás, a partir dali, o futuro de todos foi afetado e mudado abruptamente, como em uma metamorfose.

Quero deixar algo bem claro. Eu gostei do livro porque sou fã da série e adorei saber mais sobre a vida do Governador. Acho que vou começar a enxergá-lo de um jeito diferente. Não sei dizer se qualquer um irá gostar do livro, porque, apesar de ser uma narrativa que nos prende, ela se resume a fuga, morte, mais fuga e mais morte. Entendem aonde eu quero chegar?

The Walking Dead, A Ascenção do Governador com certeza entrou para a minha lista de queridinhos de 2013. Não só pela trama envolvente, pelas cenas de ação e tensão e pelas mensagens de esperança e fé que são trazidos pela obra, mas principalmente pelo fator surpresa. Eu simplesmente amei o rumo que a história tomou.

Além disso, acho que o livro serve de alerta para refletirmos sobre as ações humanas quando nos deparamos com uma grande crise. Até as pessoas boas, gentis e medrosas podem sucumbir a violência e a insanidade quando diz respeito a luta pela sobrevivência. E nem nas piores horas o ser humano deixa de almejar o poder e subjugar o próximo, isso é incrível e ao mesmo tempo muito triste!! 

Chega de blablabla, hehe, LEIAM!!

The Walking Dead, A Ascenção do Governador, de Robert Kirkman e Jay Bonansinga
Editora Galera Record
364 páginas
Compre aqui: Saraiva / Submarino

Fiz também um vídeo-resenha para quem preferir assistir!! Divirtam-se!!



Não esqueçam de curtir o vídeo, dar um joinha e se inscrever no canal!! Beijos

8 comentários

  1. Oii
    Meu namorado é suuuper fã da série, mas eu morro de medo dos zumbis! haha
    Tenho vontade de ler os livros para ver se me animo a assistir a série!

    Beijos,
    http://pitadadecultura.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Gabi, tanto o livro quanto o seriado são ótimos, apesar de trazerem histórias diferentes. Ambos valem a pena serem lido/visto. Beijos

      Excluir
  2. Agora fiquei curiosa com o que acontece no final. Acho que preciso ler esse livro pra ver se eu gosto um pouquinho do governador, ou pelo menos paro de odiá-lo como eu odeio. Também não li as Hqs, só assisti mesmo.

    http://blogprefacio.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahhhhh, se você acompanha a série vai levar um choque com o final do livro. Vale a pena ler viu.. hoje enxergo o Governador com outros olhos.. kkk Depois que ler me conta o que achou. Beijos

      Excluir
  3. Super com vontade de comprar esse livro.. sou viciada no seriado.. hahah..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também!! Você vai gostar com certeza!! Beijos

      Excluir
  4. Eu deveria ler esses livros, ou assistir a série, mas a verdade é que essa coisa toda de zumbis não me estimula muito. Kkkk, prefiro coisas mais leves.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkk eu descobri que adoro coisas de zumbi. Morri de preconceito em relação a essa série até que resolvi assistir. E depois amei o livro. Mas se não faz seu estilo nem adianta muito insistir. Beijos

      Excluir