Resenha - Fiquei com seu número


"A  jovem Poppy Wyatt está prestes a se casar com o homem perfeito e não podia estar mais feliz... Até que, numa bela tarde, ela não só perde o anel de noivado (que está na família do noivo há três gerações) como também seu celular. Mas ela acaba encontrando um telefone abandonado no hotel em que está hospedada. Perfeito! Agora os funcionários podem ligar para ela quando encontrarem seu anel. Quem não gosta nada da história é o dono do celular, o executivo Sam Roxton, que não suporta a ideia de haver alguém bisbilhotando suas mensagens e sua vida pessoal. Mas, depois de alguns torpedos, Poppy e Sam acabam ficando cada vez mais próximos e ela percebe que a maior surpresa da sua vida ainda está por vir."
Poppy Wyatt é uma garota adorável, divertida e cheia de vida. Ela está prestes a se casar com Magnus Tavish, o homem perfeito que quase todas pediram a Deus, afinal, ele é lindo, bem sucedido profissionalmente e lhe deu de presente de noivado um lindo anel de esmeraldas e diamantes, relíquia da família. O que mais ela poderia querer?

Sua única missão era curtir os últimos momentos de solteira e se preparar para o tão esperado dia, mas a tragédia se instaura quando Poppy, por uma fatalidade do destino, perde "O anel", e pior, bem no dia em que seus arrogantes sogros estavam voltando de viagem e iam jantar com os noivos e, com certeza, iam querer ver o anel.

Para piorar a situação, seu celular é roubado, ou seja, todas as suas chances de reaver a jóia foram por água abaixo. Como alguém poderia, por ventura, comunicar-lhe que o anel havia sido encontrado? Poppy é tomada por um grande desespero e como que por um milagre, encontra um celular na lata de lixo. Como achado não é roubado, se apossa rapidamente do aparelho como se sua vida dependesse dele. 

Mas quem não gosta nada disso é Sam Roxton, consultor da White Globe e chefe da ex-dona do celular, sua ex assistente. Sam é um homem sério, frio e muitas vezes, curto e grosso. Ele exige que Poppy devolva o celular, mas ela se recusa veementemente. Para amenizar a situação, ela promete encaminhar a ele todos os torpedos e e-mails de trabalho, mas ela acaba se metendo num mundo que vai virar sua vida de pernas para o ar.

O drama do anel acaba virando secundário na história e as mensagens trocadas entre Poppy e Sam é que se tornam o palco principal. Xereta como só Poppy consegue ser, ela acaba “sem querer” lendo todos os torpedos e e-mails que são enviados para o celular e, na ingênua tentativa de ajudar, resolve se meter na vida profissional e pessoal de Sam, causando ainda mais problemas.

O que ela não podia imaginar, é que essa troca de mensagens ia ser crucial para ela descobrir quem ela realmente é e avaliar o que quer da vida. A Diva Sophie nos presenteia com um livro leve, divertido e com uma pitada de romance na medida certa.

Logo nas primeiras páginas me matei de rir, de um jeito que há tempos não fazia. Cheguei até a passar mal, meu marido só me olhava e dizia: “interna”. Me apaixonei por Poppy, que personagem divertida, espontânea, estabanada e ao mesmo tempo frágil, insegura, cheia de temores. Ela o tempo todo se preocupa em agradar a todos, em ser legal com todos, em fazer tudo pelos outros, mas evidentemente esquece de si, das suas prioridades, das suas vontades, da sua voz. Posso dizer que acabei me identificando muito com ela. E também amei Sam, seu jeito durão de ser mas, que no fundo esconde um cara muito legal, correto e romântico.

Geralmente os livros da Sophie não são românticos melosos, para quem não conhece. Os personagens não se agarram ou se amam como seu não houvesse amanhã. O romantismo dos livros dela são muito mais sutis, representados por olhares trocados e palavras não ditas e por isso acabam sendo muito mais intensos, deixa a gente com a emoção a flor da pele.

Adorei duas novidades no estilo de escrita da Sophie: as trocas de mensagens entre os personagens (descobri, e não é de hoje, que adoro livros com trocas de torpedos e e-mails, acho muito mais engraçado), e as notas de rodapé que a própria Poppy faz ao longo do livro sobre situações da sua própria vida.

Bom, só posso dizer que amei, amei, amei e vou ficar morrendo de saudades de Poppy e Sam. Se você quer saber como acaba o livro, leia!! Recomendadíssimo!!

Fiquei com seu número – Sophie Kinsella
462 páginas
Editora Record
Comprar: Submarino

4 comentários

  1. Na verdade eu sempre quis ler esse livro, nunca li nada da Sophie e ela parece ser simplesmente hilária >.<
    Quanto ao livro eu só posso dizer que quero muito, e só do livro não ser meloso já ganha pontos comigo...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Gabriela, leia então assim que puder, pois os livros da Sophie são maravilhosos! Trazem boas lições de moral, reflexões, e ao mesmo tempo são muito engraçados e românticos na medida certa. Beijos

      Excluir
  2. Laís Souza18/06/2013 18:36

    AAhhh, esse livro é lindo demais. No começo tive birra da Poppy, achei ela muito criança. Depois entendi, que ela era uma personagem amadurecendo ao longo da história. O livro é lindo demais, a capa é uma fofura e a Sophie soube usar demais a questão da troca de mensagens. Você percebe o quanto elas vão mudando á medida em que o relacionamento dos dois evolui. A parte em que o Sam digita uma carinha é ÉPICA. Quase morro, hihi.

    Tchau, Mi. bjbjbjbjbjbjbjbjbjbjbjbjbjbjbjbjbjbjjbjbjbjbjbjbj (no clima do livro).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala sério, né?! Esse livro é tudo!! E aquela cena da Beyoncé?! Eu morri rindo!! E a cena do joguinho na casa do Magnus (não lembro o nome do jogo) que o Sam ficou ajudando ela mandando as mensagens no celular?! kkkk Tudo de bom! E sim, concordo, a cena em que o Sam mandou a carinha foi épica. Incrível o quanto ambos personagens amadureceram muito ao longo do livro né?! Também adorei o toque de mistério que a Sophie botou, tanto no que diz respeito a perda do anel quanto em relação a conspiração que tava rolando na empresa. Amei também a inovação quanto as notas de rodapé. Eu particularmente detesto, mas notas de rodapé escritas pela própria protagonista?! Foi genial!! Sem contar o final, né?! Mais perfeito impossível. A Sophie vive me surpreendendo, por causa disso estou em cólicas para ler Wedding Night, deve ser fantástico. Bjbjbjbjbjbjbjbjbj :) :) :) kkkkk

      Excluir